17 de agosto

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais

Destaques

Seguindo a Instrução Normativa nº 4, de 1º de junho de 2022, sobre a divulgação e publicidade no período eleitoral, iremos suspender a publicação de conteúdos em nossas redes sociais. 

Os grupos de whatsaap também estarão inativos.

A medida acontecerá a partir do dia 2 de julho até o fim das eleições de 2022. 

Toda e qualquer informação que for essencial para a população do DF será compartilhada no perfil oficial do GDF (@gov_df) e no site da Agência Brasília (agenciabrasilia.df.gov.br).

Caso tenha dúvidas, entre em contato com a Ouvidoria do GDF pelo telefone 162, pelo site www.ouv.df.gov.br ou diretamente com a Administração Regional pelo telefone 3350-7026

Agradecemos a compreensão!

 

Na tarde de terça-feira (28), empresários e comerciantes do Sudoeste, Octogonal e SIG se reuniram com representantes da Administração Regional do Sudoeste/Octogonal e autoridades dos principais órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) ligados à limpeza urbana, desenvolvimento urbano e habitação, iluminação pública e segurança. Uma das principais pautas do encontro foi o projeto que, destinado ao Setor de Indústrias Gráficas (SIG), vai contar com acessibilidade, reforma de espaços públicos, ajuste do sistema viário e replanejamento dos estacionamentos.

O subsecretário de Projetos e Licenciamento de Infraestrutura da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), Vitor Recondo, ressaltou a importância dessa ação. “O SIG é um complemento das atividades do Sudoeste e é o único lugar que tem grandes lotes para fazer grandes empreendimentos”, lembrou.

Uma das demandas recorrentes da região é iluminação pública. Segundo o diretor-presidente da CEB Ipes, Edison Garcia, outros locais da Região Administrativa (RA) terão as luminárias convencionais trocadas por equipamentos de LED. “Estamos lançando hoje o programa Iluminação que Protege, que vai deixar o SIG 100% de LED”, disse. “Já estamos trabalhando para que em breve a Octogonal também receba essa benfeitoria. A ideia é instalar LED em todo o DF.”

O administrador do Sudoeste/Octogonal, Júnior Vieira, se manifestou otimista quanto ao desenvolvimento da região. “Como diria o governador Ibaneis Rocha, estamos transformando o DF em um canteiro de obras”, afirmou. “Em nossa RA não é diferente: em breve, vamos ter a região como uma das melhores para morar e empreender.”

Também estiveram presentes ao encontro o secretário de Cidades, Valmir Lemos; o presidente do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Silvio Vieira; o procurador Cícero Matos, do BRB; o comandante do 7º Batalhão de Polícia Militar do DF, Jasiel Tavares; a deputada federal Celina Leão; e o deputado distrital Reginaldo Sardinha; além de prefeitos, lideranças e moradores da região.

*Com informações da Ascom Sudoeste/Octogonal

Fonte: Agência Brasília

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira (28) com empresários e empreendedores do Sudoeste, o Governo do Distrito Federal e a Companhia Energética de Brasília (CEB) anunciaram o início das obras de eficientização de toda a região administrativa, incluindo a Octogonal e o Setor de Indústrias Gráficas (SIG).

O presidente da CEB, Edison Garcia, explicou como será a dinâmica das obras, que serão iniciadas na próxima semana. “Começaremos a substituição de todas as lâmpadas convencionais na Octogonal por modelos LED. Serão 647 luminárias, com um investimento de R$ 546.079,39. A partir dali, seguiremos para o SIG, que hoje é local de diversos empreendimentos, como bares, restaurantes e escolas, e muita circulação de pessoas. No SIG, nossa projeção é de um investimento na ordem de R$ 1 milhão, e a finalização das obras ainda este ano”, disse.

Garcia comentou o empenho do GDF em viabilizar o desenvolvimento da região. “Além da mudança na destinação do SIG, o que permitiu a diversos empreendedores e empresários a tranquilidade de investir em seus negócios com a segurança jurídica de poder operar, o governo tem buscado melhorar a infraestrutura do local, que gera milhares de empregos diretos e indiretos. Modernizar a iluminação pública faz parte desse pacote de melhorias”, finalizou.

A região administrativa do Sudoeste/Octogonal e SIG já conta com mais de 900 luminárias de LED localizadas nos arredores do campo esportivo da SQSW 304, na Quadra 8 do Setor Indústrias Gráficas, no Sudoeste Econômico, na Primeira Avenida, na SQSW 300, na CCSW 1 a 5 e SQSW 101.

*Com informações da CEB

Fonte: Agência Brasília

Reunião com o diretor-presidente da Novacap!

Nesta segunda-feira (27), o administrador regional Júnior Vieira participou de reunião com o diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite.

No encontro, foram abordadas pautas como o andamento da nova pista do Skate Park da Octogonal, Parque da Octogonal, estacionamentos da QRSW e obras de acessibilidade em toda a região.

O encontro contou também com a presença do deputado distrital Reginaldo Sardinha.


Feirarte e Feira Pet reúne mais de 80 expositores no Sudoeste!

No último final de semana, quem passou pela quadra 104 do Sudoeste pôde aproveitar muita coisa boa na 4ª Feirarte e no Aurraiá do Play Dog.

A feirarte contou com dezenas de expositores de artesanato, trabalhos manuais, artes plásticas, gastronomia, apresentações culturais e musicais.

Também tivemos o Aurraiá do Play Dog, que trouxe para a feira diversos expositores pet, feira de adoção de cachorros, apresentação do Batalhão de Cães da PMDF, desfile de moda pet, entre outras atrações.

Foi demais! Ansiosos para os próximos? A gente também! 🙋🏻‍♀️🙋🏽

Estiveram presentes no evento o administrador regional do Sudoeste/Octogonal e SIG, Júnior Vieira, o administrador regional do Cruzeiro, Luiz Eduardo Pessoa, e o deputado distrital, Reginaldo Sardinha.
 

Resumo da Semana!

• Operação Tapa-Buraco na QMSW 6, 1ª e 4ª avenidas, quadras 3, 6 e 8 do SIG;

• Remoção de rampas irregulares na região;

• Manutenção de tampas de bueiro na quadra 4 do SIG;

• Continuidade na revitalização de calçadas na 4ª avenida, na altura da QRSW;

• Poda de árvores na SQSW 304;

• Reunião com SLU e comerciantes locais;

• Instalação de ponto de água ao lado da quadra de areia do Parque Bosque do Sudoste;

• Roçagem de gramados em diversos pontos;

• Nivelamento de tampa de caixa de rede de telefonia na ciclovia da quadra 103;

• Reunião com prefeitos da SQSW;

• Atendimento à comunidade, comerciantes e ambulantes;

• Foram recolhidos cerca de 9 caminhões de lixo verde na região.

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouvidoria.df.gov.br ou ligue para 162.

📲 Agora ficou mais fácil registrar sua demanda à Administração. Baixe agora o aplicativo e-GDF.

O Instituto Brasília Ambiental atingiu, por meio da Superintendência de Unidades de Conservação, Biodiversidade e Água (Sucon), a meta estabelecida no Plano Plurianual (PPA) 2019-2023 de elaboração de 15 planos de manejo. Com mais dois planos previstos para serem publicados ainda este ano, a autarquia tem como certo o cumprimento dessa meta.

A superintendente da Sucon, Rejane Pieratti, lembra que o plano de manejo é o mais importante instrumento de gestão de uma unidade de conservação (UC). “É por meio dele que se tem o diagnóstico consistente da unidade. Por meio dos programas do plano de manejo, são deixados claros quais os desafios a serem enfrentados para que uma unidade cumpra 100% de sua vocação”, explica.

O plano estabelece, a partir dos objetivos definidos no ato da criação de um espaço ecológico, diretrizes e normas de uso. “Isso ocorre mediante o zoneamento ambiental, que visa proteger seus recursos naturais. A expectativa agora é ultrapassar a meta planejada”, comemora a diretora de Implantação de Unidades de Conservação e Regularização Fundiária do Brasília Ambiental, Carolina Lepsch.

Planejamento

Em 2019, quando da elaboração do PPA do Brasília Ambiental, foi considerada uma estimativa de serem publicados 42 planos de manejo até 2023. Porém, com a pandemia, foi feita uma revisão no planejamento.

“Revimos essa meta, a colocamos de maneira mais condizente com a situação, no nosso contexto, com a estrutura de servidores e de recursos financeiros”, esclarece a chefe da Unidade de Planejamento (Uplan) do Brasília Ambiental, Ariana Leite.

As 15 UCs que já contam com seus planos de manejo são Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) do Bosque, Arie Cruls, Arie JK, Monumento Natural (Mona) Conjunto Espeleológico Morro da Pedreira, Reserva Biológica (Rebio) do Guará, Refúgio de Vida Silvestre (RVS) Mata Seca, além dos parques ecológicos Cortado (Taguatinga), Burle Marx (Asa Norte/Noroeste), Saburo Onoyama (Taguatinga), Santa Maria, Três Meninas (Samambaia), Areal, Tororó (Santa Maria) e os parques distritais São Sebastião e Boca da Mata (Samambaia/Taguatinga).

Estão previstos planos de manejo publicados ainda este ano os parques ecológicos Olhos d`Água (Asa Norte) e das Sucupiras (Sudoeste).

*Com informações do Instituto Brasília Ambiental

 

  • Resumo

  • IBGE inicia Pesquisa Urbanística do Entorno dos Domicílios. Levantamento vai de 20 de junho a 12 de julho.
  • Pesquisa traça um panorama da infraestrutura urbana do país e marca o início das operações do Censo 2022.
  • Mais de 22 mil Agentes Censitários percorrerão 326.643 setores urbanos. Isso representa 72% dos setores do Censo e toda a área urbana pública do país.
  • Levantamento é feito na etapa de reconhecimento e atualização dos mapas e garante a cobertura da coleta para o Censo 2022.
  • Serão investigados dez quesitos, sendo três deles novos: capacidade da via, pavimentação da via, bueiro/boca de lobo, iluminação pública, ponto de ônibus/van (novo), via sinalizada para bicicletas (novo), existência de calçada, presença de obstáculo na calçada (novo), rampa para cadeirante, arborização.
  • Pela primeira vez, a Pesquisa do Entorno abrangerá todos os aglomerados subnormais localizados nas áreas urbanas, independentemente de terem arruamento regular ou não. Uma nova metodologia será utilizada para fazer a identificação do percurso em áreas labirínticas e sem sinal de GPS.
  • Para 2022, além de dar continuidade à série iniciada em 2010, permitindo a comparação das informações, serão publicados resultados experimentais em níveis mais detalhados.

    O IBGE inicia hoje (20) a Pesquisa Urbanística do Entorno dos Domicílios. Até o dia 12 de julho, mais de 22 mil agentes censitários percorrerão 326.643 setores urbanos, em todas as unidades da federação, observando temas relacionados à infraestrutura urbana do país.

    “A Pesquisa do Entorno é o marco oficial do início da operação do Censo Demográfico 2022, que entra em campo em 1º de agosto. Ainda não é o recenseador passando de porta em porta, realizando as entrevistas, mas é a primeira operação pública de coleta de informações do Censo”, explica Cláudio Stenner, diretor de Geociências do IBGE. Ele ressalta que nesta etapa não há nenhum tipo de entrevista: a pesquisa é feita somente pela observação dos quesitos nas áreas públicas dos setores censitários.

    Serão investigados dez quesitos, sendo três deles novos: capacidade da via, pavimentação da via, bueiro/boca de lobo, iluminação pública, ponto de ônibus/van, via sinalizada para bicicletas, existência de calçada, presença de obstáculo na calçada, rampa para cadeirante e arborização.

    “Os novos quesitos da pesquisa em relação àquela feita no Censo 2010 são ponto de ônibus/van e via sinalizada para bicicletas, que estão relacionados à questão da mobilidade urbana, e presença de obstáculo na calçada, que está relacionada à acessibilidade”, indica Filipe Borsani, supervisor técnico da pesquisa. “Além disso, houve a ampliação do quesito capacidade da via, que antes era perguntado apenas no Levantamento de Informações Territoriais (LIT)”, complementa.

     

    A pesquisa está alinhada com o monitoramento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. “A finalidade é fornecer um panorama da infraestrutura urbana do país, considerando temas como acessibilidade, circulação, equipamentos públicos e meio ambiente. Ela é muito importante para a formulação de políticas públicas em áreas urbanas para melhoria da qualidade de vida da população”, destaca o supervisor.

    Stenner complementa que o Censo trabalha em uma série de escalas: primeiro, caracteriza-se o entorno onde o domicílio está localizado, depois, o recenseador coleta informações do próprio domicílio e das pessoas que vivem nos domicílios.  “Tudo isso articulado e integrado na pesquisa do Censo. Isso é fruto de o IBGE ter a geografia e a estatística no mesmo instituto, possibilitando esse tipo de abordagem”, afirma.

    Segunda edição da pesquisa trará resultados mais detalhados

    Esta é a segunda vez que o IBGE realiza o levantamento. A primeira, em 2010, compreendeu 222.541 setores urbanos, com resultados por setor censitário. No Censo 2022, além de dar continuidade à série iniciada em 2010, permitindo a comparação das informações, a intenção é publicar resultados experimentais em níveis mais detalhados, como, por exemplo, por faces de quadras. “Isso foi feito no Censo Experimental de Poços de Caldas em 2019 e queremos repetir, pelo menos, para os grandes centros urbanos”, conta Borsani.

    Pela primeira vez, IBGE pesquisará entorno em todos os aglomerados subnormais

    Outra novidade é que, para 2022, a Pesquisa do Entorno será feita em todos os aglomerados subnormais localizados nas áreas urbanas. No Brasil, os aglomerados subnormais são conhecidos por diversos nomes como favelas, invasões, grotas, baixadas, comunidades, vilas, ressacas, loteamentos irregulares, mocambos e palafitas, entre outros.

    “Em 2010, entraram apenas os aglomerados que possuíam arruamento regular. Agora, vamos utilizar uma nova metodologia para fazer a identificação do percurso em áreas labirínticas e sem sinal de GPS”, explica o supervisor técnico da pesquisa.

    Etapa garante a melhor cobertura na hora da coleta

    Além da pesquisa do entorno, o agente realiza o reconhecimento do setor censitário, percorrendo a área e avaliando a necessidade de fazer atualizações no mapa a partir da identificação de novas avenidas e ruas. “Essa etapa é muito importante para garantir a cobertura da coleta, ou seja, garantir que todos os domicílios serão visitados pelo recenseador”, destaca Maikon Novaes, gerente de Regionalização e Classificações Territoriais.

    A pesquisa é feita em toda a área urbana pública do país. “Para as áreas rurais, a atualização dos mapas é realizada durante a coleta do Censo, através da supervisão no SIGC (programa de acompanhamento) e do monitoramento geoespacial da coleta”, explica o gerente.

    Em tempo recorde, o IBGE passará por mais de 10 milhões de faces de quadras, ou seja, os lados das calçadas que compõem as ruas. Isso representa 72% do total de setores do Censo. Novaes explica que nesse percurso, o agente censitário – que será o responsável por supervisionar o trabalho do recenseador – verifica o atual mapa, busca por novos logradouros ou novos edifícios e avalia situações que podem facilitar a coleta do recenseador, como a melhor forma de acesso àquele setor e o transporte público que ele tem que pegar, por exemplo.

    “Vamos visitar áreas remotas, áreas de municípios pequenos, não importa: todos os municípios do país serão contemplados”, garante Novaes.

Fonte: Agência Notícias IBGE

Onze agentes da Vigilância Ambiental orientaram cerca de 50 trabalhadores da construção civil para o combate à dengue nesta terça-feira (21), no Sudoeste. Além das instruções, os agentes vistoriaram obras em busca de possíveis criadouros do Aedes aegypti – mosquito transmissor da chikungunya, dengue e zika vírus. Na inspeção, não foi encontrado nenhum depósito de larvas.Esta foi a primeira ação em parceria direta da Secretaria de Saúde com o setor da construção civil com o objetivo de intensificar os cuidados e capacitar os operários para prevenir possíveis casos de dengue. A Vigilância Ambiental já desenvolve ações em diversos setores da economia para reduzir o número de infectados pelo mosquito transmissor.

De janeiro até hoje foram 1,7 milhão de imóveis inspecionados no Distrito Federal. Desses, 116 mil são imóveis comerciais e 73 mil são outros tipos de imóveis, como órgãos públicos, escolas, igrejas, canteiros de obras. A ação de hoje contou com estande educativo para conscientizar sobre as características reprodutivas do mosquito.

Para o servente de obra Otávio Augusto Gonçalves, 24 anos, que já teve dengue, ações como a desta terça-feira são importantes para esclarecer dúvidas e evitar que as pessoas peguem a doença. “A gente sempre pensa na água parada, mas às vezes uma lona que fica estendida pode, no período de chuva, se transformar num possível foco do mosquito.”

A chefe do núcleo de Vigilância Ambiental Sul, Sandra Silva, ressalta que a vistoria em obras esclarece ainda sobre outros transmissores, como ratos, escorpiões e pombos. “Fazemos toda a parte da orientação, principalmente quanto ao descarte de lixo, de marmita, de insumos de obra. Nosso maior problema é o descarte”, explica.

“É muito difícil definir o local exato em que uma pessoa diagnosticada com dengue foi infectada”, alerta a chefe da Assessoria de Mobilização das Ações de Combate às Endemias, Cristina Soares. “A parte de obras em geral tem lata de tinta, entulhos e possíveis locais de armazenamento e quando as orientações são seguidas corretamente há redução no número de pessoas doentes.”

Ações educativas

A expectativa é que cada um dos 50 profissionais transmita a outros setores o que aprenderam com a Vigilância Ambiental e que esse conhecimento seja repassado para 2 mil trabalhadores na obra.

O engenheiro de segurança do trabalho Gerson de Oliveira Alcântara reforça que ações como essa também têm o objetivo de chamar a atenção de empresas para os cuidados com o trabalhador e suas famílias. “Aqui queremos que esse profissional seja um multiplicador, para que leve também para casa e que reproduza os ensinamentos com os colegas.”

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, destaca que a ação pedagógica forma agentes voluntários, que são fundamentais para o combate efetivo à dengue. “Se não tiver a participação da população, dificilmente vamos vencer esse mosquito. Por isso, essa atividade é importante. O ideal seria que cada cidadão fiscalizasse cada ambiente em que frequenta”, ressalta.

Ao todo, 1,3 mil servidores da vigilância ambiental fazem vistorias diariamente, de segunda a sexta, e ações intensificadas em finais de semana para combater o Aedes aegypti. Ações preventivas como essa, somadas às mudanças do período climático (do quente e chuvoso para o seco e frio), apresentaram uma redução de 55,5% dos casos de dengue neste mês.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Fonte: Agência Brasília

A partir desta quarta-feira (22), 14 unidades básicas de saúde (UBS) passam a funcionar também de 19 às 22h, oferecendo testagem e vacinação contra covid-19 nas sete regiões de saúde para todas as pessoas a partir dos 12 anos. Estratégia é mais um esforço para garantir a cobertura vacinal de 100% da população. No feriadão de Corpus Christi, a Secretaria de Saúde alcançou mais de 30 mil pessoas imunizadas em três dias.

“Temos a expectativa e a certeza de que a vacina é o caminho correto. Precisamos lembrar que o retorno às atividades só é seguro com a vacinação. Só vamos ter a liberdade realmente plena com a população vacinada”, afirmou o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, durante evento público na manhã desta terça-feira (21).

Reforçando as palavras do chefe do Executivo, a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, destacou que o DF está num momento de maior transmissão da doença. “Faço um apelo a toda a população, para que procure as UBS para testar e vacinar. É o único caminho para quebrarmos a cadeia de transmissão do coronavírus”. A orientação, de acordo com a pasta, é reforçar a testagem em pessoas sintomáticas para que sejam isoladas.

No cronograma de funcionamento noturno, a Secretaria de Saúde disponibiliza duas unidades no Plano Piloto, quatro em Ceilândia, além de unidades no Paranoá, São Sebastião, Águas Claras, Taguatinga, Vicente Pires, Gama e Santa Maria. Para atender em horário estendido, as equipes de saúde foram reorganizadas e receberam reforço da Atenção Secundária e complemento de horas por meio de trabalho por período determinado (TPD).

Na região de saúde Sudoeste, por exemplo, 24 profissionais serão responsáveis pelo turno da noite em três pontos de vacinação e testagem. “Estamos nos organizando para garantir o serviço para a população”, comenta a diretora da Atenção Primária da Sudoeste, Cleunici Godois.

Além disso, mais 11 servidores foram capacitados para aplicar vacinas e reforçarão as equipes. “É um processo contínuo e dinâmico, em resposta à necessidade de aumento de cobertura vacinal e conscientização da população”, afirma Fernando Erick Damasceno, coordenador da Atenção Primária.

Confira abaixo quais são as unidades abertas das 19h às 22h a partir desta quarta-feira (22)

– UBS 1 Asa Sul
Endereço: SGAS 612
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 2 Asa Norte
Endereço: EQN 114/115
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Guará
Endereço: QI 06 AREA ESPECIAL LT A
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac e Janssen

– UBS 1 Paranoá
Endereço: Quadra 21 Conjunto 15 Área Especial
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 São Sebastião
Endereço: Centro de Múltiplas Atividades
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 12 Ceilândia
Endereço: EQNQ 03/04
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 3 Ceilândia
Endereço: QNM 15 Lote D Área Especial 15
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 5 Ceilândia
Endereço: QNM 16 Lote F Área Especial 16
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 7 Ceilândia
Endereço: QNO 10 Área Especial 10
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Águas Claras (Areal)
Endereço: QS 5 Lote 24 Av. Areal
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 5 Taguatinga
Endereço: Setor D Sul Área Especial 23
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Vicente Pires
Endereço: Rua 4C Chácara 12 – Colônia Agrícola Samambaia
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 3 Gama
Endereço: EQ 3/5 Setor Leste
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Santa Maria
Endereço: QR 207/307 Conjunto T
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Fonte: Agência Brasília

Nesta semana, 24 regiões administrativas (RAs) e a Câmara Legislativa do DF (CLDF) terão atendimento itinerante da Neoenergia Brasília. Nas administrações regionais estarão disponíveis todos os serviços técnicos e comerciais da concessionária, como parcelamento de débitos, solicitação de reparos de danos elétricos, troca de titularidade e ligação nova. Os clientes podem, também, buscar orientações de segurança, consumo consciente e regularização da energia elétrica.

A Neoenergia Brasília oferece também outros seis pontos fixos de atendimento presencial – no Paranoá, em Planaltina, São Sebastião, Taguatinga, Samambaia e no Lago Sul ­–, sem necessidade de agendamento. Outra possibilidade são os sete postos do Na Hora.

Confira as regiões que terão atendimento itinerante da Neoenergia Brasília nesta semana:

Segunda-feira (20)
8h às 12h: Candangolândia, Ceilândia e Santa Maria
14h às 18h: Gama, Núcleo Bandeirante e Taguatinga

Terça-feira (21)
8h às 12h: Arniqueira e Jardim Botânico
14h às 18h: Plano Piloto e Sobradinho II

Quarta-feira (22)
8h às 12h: SCIA/Estrutural, Fercal, Sobradinho e Sol Nascente/Pôr do Sol
14h às 18h: Recanto das Emas e CLDF

Quinta-feira (23)
8h às 12h: Itapoã, Lago Sul e Vicente Pires
14h às 18h: Lago Norte e Varjão

Sexta-feira (24)
8h às 12h: Planaltina e Sudoeste/Octogonal
14h às 18h: Brazlândia e SIA

*Com informações da Neoenergia Brasília

Fonte: Agência Brasília 

 

No mês junino tem feira de artesanato e feira pet? Tem sim, senhor!

No final de semana dos dias 25 e 26 de junho, tem programação especial na cidade com a 4ª Feirarte do Sudoeste e o Aurraiá Play Dog, na área verde da CLSW 104, ao lado do bloco C (estacionamento do mercado Dona de Casa), de 10h às 18h.

🎉 Com muito artesanato, trabalhos manuais, gastronomia, expositores pet, feira de adoção, apresentação do Batalhão de Cães da Polícia Militar, rifas e brindes, fotógrafo profissional, apresentação de marcas veterinárias, brinquedos infantis, desfile de moda pet, aulão de educação canina, roda de capoeira e muito mais!

🔸 4ª Feirarte do Sudoeste
Dias: 25 e 26 de junho (sábado e domingo)

🔸 Aurraiá Play Dog
Dia: 25 de junho (sábado)

🗓 Horário: 10h às 18h
📍 Local: área verde da CLSW 104, ao lado do bloco C (estacionamento do mercado Dona de Casa)

Administradores regionais do Distrito Federal puderam conhecer de perto, nesta semana, a proposta do projeto Poiato, uma iniciativa que tem como objetivo oferecer a coleta e a destinação adequada para as bitucas de cigarro. No Museu da Limpeza Urbana, os administradores do Sudoeste, Cruzeiro, Guará, Park Way e SIA ouviram os primeiros resultados dessa iniciativa que começou no Plano Piloto.

Em encontro que contou com a presença do diretor-presidente do SLU, Silvio Vieira, o sócio-fundador da empresa que coordena as ações, Marcos Poiato, apresentou o projeto que já foi implantado no Plano Piloto. Em 20 dias desde a instalação dos 100 coletores em diversos pontos da região, foram recolhidos 11 quilos do material, o que corresponde a 28 mil bitucas de cigarro aproximadamente.

O material coletado segue agora para reciclagem, num processo desenvolvido pela empresa com apoio da Universidade de Brasília (UnB), utilizando tecnologia 100% nacional. As bitucas se transformam em massa celulósica que poderá ser utilizada em artesanato e outras finalidades junto a entidades sociais.

“Quando se fala em cigarro, as pessoas logo pensam que o correto seria não fumar. Com isso, pouco se pensa no resíduo gerado por esse hábito que ainda persiste em uma grande parcela da população. Estamos há 12 anos nesse estudo para implantar esse projeto que hoje já está presente em 82 cidades brasileiras. Nossa intenção é ampliar esse serviço no Distrito Federal, com apoio do poder público”, explicou Marcos Poiato.

As bitucas de cigarro são um problema de saúde e de meio ambiente. De acordo com estudos das Nações Unidas (ONU), são mais de 7 mil substâncias tóxicas contidas nas bitucas de cigarro, os resíduos mais encontrados em ruas, calçadas, praias, mares e oceanos. No planeta, são vendidos cerca de 15 bilhões de cigarros a cada dia. E a estimativa é de que apenas 1% deste resíduo tem destinação correta, provocando muitos danos ao meio ambiente.

“Nós, do SLU, que fazemos a gestão de resíduos no Distrito Federal, ficamos entusiasmados quando vemos esse tipo de projeto que envolve parceria entre iniciativa privada e poder público, porque trata-se de um problema que precisa da participação de todos”, afirmou Silvio Vieira.

*Com informações do SLU

Fonte: Agência Brasília 

 

Serviços de manutenção na Praça Esaú de Carvalho!

Equipes do @slu.df e da Administração Regional estão desde ontem (15) realizando diversos serviços de manutenção na Praça Esaú de Carvalho como capina, frisagem, pintura de meios-fios, lavagem dos bancos e mesas, varrição e limpeza.

✨ A praça está ficando linda para a comunidade continuar aproveitando o espaço!

 Resumo da Semana!

• Continuidade na revitalização de calçadas na 4ª avenida;

• Ação de mobilização do SLU sobre coleta seletiva no SIG;

• Instalação da composteira pública na Horta Comunitária do Sudoeste;

• Poda de árvores na quadra 100;

• Operação Tapa-Buraco na Avenida das Jaqueiras;

• Limpeza da praça Esaú de Carvalho na CCSW;

• Atendimento ao público;

• Reuniões com o SLU, CAISP, Sicoob e Seduh;

• Foram recolhidos cerca de 6 caminhões de lixo verde na região.

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026

✨ Acompanhe a administração, acesse o link na bio.
 

O Sudoeste é a primeira região administrativa de Brasília a ter uma composteira pública urbana. Construído pelo Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da administração regional e do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), o equipamento vai transformar resíduos orgânicos em adubo e atender a produção da horta comunitária localizada na lateral do Parque Bosque do Sudoeste.

A composteira segue modelo construído no mês passado na Usina de Tratamento Mecânico Biológico do SLU no P Sul, em Ceilândia. No primeiro trimestre deste ano, o espaço foi responsável por produzir e doar a pequenos e médios produtores rurais cerca de 832 toneladas mensais de resíduos orgânicos de outras origens.

A proposta da composteira do Sudoeste é que, além da comunidade, restaurantes parceiros da região abasteçam a estrutura com resíduos orgânicos – como restos de alimentos não cozidos, casca de ovos e frutas, borra de café, saquinhos de chá.

“Isso dará a eles a chance de sair da condição de grandes geradores de lixo [quem produz 120 litros por dia] e, ao descartarem menos, poderem deixar de pagar taxa extra pela coleta”, ressaltou o diretor-presidente do SLU, Silvio Vieira.

Os resíduos orgânicos são responsáveis pela produção de 50% do lixo recolhido no DF. O governo tem investido na expansão da coleta seletiva – que gera renda para os catadores e já abrange quase 100% da área urbana –, estimulando a produção de composteiras em condomínios residenciais.

Além de ensinar como fazer a coleta (veja aqui), o órgão disponibiliza técnicos para orientar na construção e montagem da estrutura. A composteira do Sudoeste foi planejada pela engenheira ambiental do SLU Mayara Menezes. “Ao definirmos estratégias, conseguimos reduzir bastante o que é aterrado no aterro sanitário e que pode poluir o meio ambiente”, disse ela.

Ao custo aproximado de R$ 4 mil, a estrutura é própria para depósito e compostagem de materiais orgânicos que, em vez de serem descartados na natureza, são transformados em húmus. O adubo do solo com esse material rico em matéria orgânica deixa a terra mais porosa, mantendo a água à disposição das plantas por mais tempo.

Ao lado da composteira foi construída uma caixa para descarga do biofertilizante, líquido que, diferentemente do chorume, que não tem contato com o oxigênio e é poluente, é ainda mais rico em componentes orgânicos para adubação.

O administrador regional do Sudoeste, Júnior Vieira, garante que a proposta é seguir a orientação do governador Ibaneis Rocha de atender a população no que for preciso. “E a construção da composteira para a nossa horta comunitária, que produz alimentos, ervas medicinais e agora adubo, vai de encontro a isso”, ressalta.

As moradoras Ykuio Nakamura, 78 anos, e Anelise Pulschen, 59, são duas das responsáveis pelo cultivo de hortaliças, frutas e plantas medicinais na horta comunitária do Bosque do Sudoeste. Até então fazendo a compostagem de orgânicos em menor escala por meio de um minhocário, elas agora se sentem animadas com o novo equipamento.

“Já recebemos apoio do governo por meio da Emater, com ferramenta,s e estávamos batalhando por adubo. Agora, com a composteira, nem vamos mais precisar”, comemora Ykuio.

Fonte: Agência Brasília

Toneladas e mais toneladas de terra retiradas das obras do Distrito Federal têm atualmente uma destinação adequada. O montante escavado em obras grandiosas como o Túnel de Taguatinga e o Viaduto da Epig, na entrada do Sudoeste, é aproveitado em outras construções. É uma prática ambientalmente correta, ao evitar jogar montanhas de terra na natureza, e que gera economia aos cofres públicos.A quantidade é bastante alta, mas órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) têm hoje mapeados pontos de armazenamento do solo escavado para que esse material passe longe do desperdício. Ele pode ser reaproveitado na própria obra da qual foi retirado ou usado na construção de rodovias, na terraplanagem, para dar sustentação a alças de viadutos, entre outras destinações. A Secretaria de Obras criou uma ferramenta online, o Sistema de Gestão de Solo de Escavação (SGSE), para gerenciar esse processo.

 

Implantado no primeiro semestre, o sistema monitora a terra arrecadada e a coloca à disposição de órgãos do GDF interessados. “Nosso objetivo é usar a maior sustentabilidade possível em nossas construções, além de eficiência orçamentária. Não se produz solo, é preciso comprar em jazidas, minerar esse solo”, explica o subsecretário de Acompanhamento Ambiental da Secretaria de Obras, Aldo Fernandes. “Na construção do túnel sob o Balão do Aeroporto [inaugurado em 2014], por exemplo, uma quantidade enorme de terra ficava acumulada ali ao lado da obra. Não temos mais isso.”

Reaproveitar no Túnel de Taguatinga 

O moderno Túnel de Taguatinga – maior obra viária em execução no país – vai beneficiar cerca de 135 mil motoristas diariamente. Até o momento, cerca de 285 mil toneladas de solo foram cavadas na reforma. Essa quantidade corresponde a 86% de um total de 330 mil toneladas que serão retiradas dali.

Segundo levantamento da Secretaria de Obras, mais de 20 mil viagens de caminhão foram feitas para transportar parte do material até o 2º Distrito do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), que é o ponto de armazenamento.

Todavia, a pasta calcula que 47% do total de terra cavada, segundo o sistema, vai permanecer na estrutura da própria obra. Ela será reaproveitada no reaterro de lajes ou na construção do boulevard, que integra o projeto do túnel. Para toda essa engenharia, as construtoras cavam pelo método tradicional ou usando uma técnica que se chama escavação invertida.

Trânsito entre obras vizinhas

O DER também reaproveita a terra escavada nas reformas, transportando-a para outras obras. Seus oito distritos espalhados pela capital também guardam a terra. “Temos uma obra que é emblemática – o viaduto do Itapoã, com suas trincheiras, gerou muita terra. Esse material está sendo usado na duplicação da rodovia DF-250, que dá acesso ao próprio elevado”, explica o superintendente técnico do departamento, Plínio Fragassi.

 

De acordo com ele, o insumo é muito usado para fazer a base e a sub-base da pavimentação de estradas, em aterros nas construções e na compactação dos paredões que sustentam viadutos. “O DER hoje transporta a terra de uma obra nossa para outra, mas o material também está disponível para outros órgãos. Temos a Novacap, que precisa muito, e as administrações regionais, caso precisem”, pontua Plínio.

“Há uma preocupação com a degradação de áreas verdes e, também, é uma forma de diminuir o descarte na Unidade de Recebimento de Entulho [URE]”, explica o engenheiro, ao se referir ao equipamento gerido pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e que também recebe a terra. Trata-se de uma gestão feita em parceria pelos executores de obras no DF e que viabiliza o uso sustentável de um elemento natural, indispensável nas construções.

Fonte: Agência Brasília

Vinte e uma regiões do Distrito Federal vão ganhar 86 equipamentos esportivos para uso gratuito pela população, atendendo 380 mil pessoas diretamente. A ação é fruto de parceria público-privada e foi lançada nesta terça-feira (14) pelo governador Ibaneis Rocha em cerimônia na Praça do Buriti.

O projeto, sem custos para o Governo do Distrito Federal (GDF), vai instalar 65 estações de musculação, 20 estações de skate e uma academia completa ao ar livre no Parque de Cidade Dona Sarah Kubitschek. O acordo foi firmado entre a Secretaria de Esporte e Lazer e a empresa Mude Mobiliários Urbanos Desportivos S/A.

“Durante muito tempo a área do esporte ficou abandonada no DF, e nós retomamos com muita força. Temos equipamentos sendo inaugurados toda semana. Todos os equipamentos colocados à disposição da sociedade tiram as pessoas das drogas, permitem a retomada de atividades físicas e dão uma limpeza na mente, muito importante para todos. Não vamos parar com esses 86, queremos chegar a 500 equipamentos espalhados em todas as cidades”, disse o governador Ibaneis Rocha.

As 65 estações de exercícios possibilitam uma série de atividades e alongamentos, enquanto os 20 módulos de skate incluem pista fabricada em aço com rampa, espaço para alongamento e fortalecimento.

A academia completa do Parque da Cidade conta com banco e máquina para supino, aparelho conjugado com barra de alongamento e paralela, banco extensor, aparelho para agachamento, banco para remada, pesos diversos, banco de panturrilha sentada, banco declinado para abdominal, suporte para halteres, barra móvel do tipo olímpica, entre outros equipamentos.

 

Nove estações de exercícios são dedicadas às pessoas com deficiência. Todas as unidades atenderão, em média, 380 mil pessoas diretamente. Cada equipamento corresponde a um tempo de montagem diferente, a partir da data de assinatura, mas a expectativa é que todas estejam prontas em até 120 dias. A manutenção e conservação das estações e da academia, por parte da empresa parceira, obedecem ao prazo de cinco anos.

“Nosso governo é amigo do esporte, e pela primeira vez vamos entregar academias a céu aberto, 20 pistas de skate e academia completa no Parque da Cidade. Levaremos saúde para 21 cidades do DF, valorizando o esporte”, destaca a secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira.

“Dentro da nossa premissa de democratizar o esporte, realizamos um estudo prévio que possibilitasse contemplar todas as regiões administrativas do DF com equipamentos esportivos adequados. Com essa nova iniciativa, vamos garantir mais saúde e qualidade de vida às pessoas”, acrescenta a secretária.

Estações de skate

As estações de skate estão sendo instaladas em 12 regiões administrativas: quatro no Plano Piloto (Asas Sul e Norte), duas no Lago Sul, uma no Lago Norte, uma no Noroeste, uma na Vila Planalto, uma no Sudoeste, uma em Samambaia, uma no Gama, uma em Taguatinga, duas no Guará, três em Águas Claras, uma em Ceilândia, uma no Riacho Fundo II.

Estações de exercícios

As 65 estações de exercícios serão instaladas da seguinte forma: 14 nas Asas Sul e Norte, quatro no Noroeste, seis no Lago Sul, uma no Lago Norte, oito no Sudoeste, uma no Cruzeiro Novo, uma na Octogonal, três em Taguatinga, quatro no Guará, seis em Águas Claras, duas na Vila Planalto, duas no Jardim Botânico, uma no Jardim Mangueiral, uma em Santa Maria, uma em Arniqueira, uma na Candagolândia, uma no Riacho Fundo II e seis no Parque da Cidade.

Academia

A academia completa será instalada no Parque da Cidade.

Fonte: Agência Brasília

 

Moradores de algumas áreas do Guará, Paranoá, Planaltina, Sobradinho e Sudoeste ficarão sem energia, nesta terça-feira (14), para execução de reparos na rede elétrica.

No Guará, o desligamento será necessário por conta de uma obra de substituição de rede convencional para rede compacta protegida. No Paranoá haverá a substituição de um transformador e divisão de circuito e recondutoramento da rede de baixa tensão.

Em Planaltina, também será substituído um transformador de 15 KVA para 45 KVA e extensão da rede de baixa tensão, além de instalação de poste. Em Sobradinho as equipes irão implantar um poste na rede de alta tensão. No Sudoeste será feito o lançamento de cabos e transferência de clientes do transformador.

Confira os endereços que terão o fornecimento suspenso para os reparos e os horários que cada serviço será executado:

Paranoá
Horário: 8h30 às 16h
Local: Quadra 21, Conjuntos A, B, D ao F, M e N; Quadra 21, Conjunto 13, Lote 4
Serviço: Divisão de circuito e recondutoramento da rede de baixa tensão

Horário: 8h30 às 16h
Local: Condomínio Privê Morada Sul, Conjunto 35, Lotes 01, 02, 04, 06 e 07, Conjunto 36, Casa 04
Serviço: Substituição de transformador

Planaltina
Horário: 8h30 às 13h
Local: Bica do DER, Chácara 13

Horário: 8h30 às 14h
Local: Colônia Agrícola São José, DF-100, Chácara Taquara
Serviço: Instalação de poste e transformador

Sobradinho
Horário: 9h30 às 13h
Locais: DF 205, km 5, Chácara Sabiá, Chácara Rancho Alegre, Chácaras 269, 275 e 449, km 6, Chácaras Boa Vista, Pequizeiro, Alto Paraíso, Chácaras 272, 273, 275, 276, 279, 281, 283, Setor 3, Conjunto A, Casa 17, km 7, Chácara 7
Serviço: Implantação de poste em rede de alta tensão

Guará
Horário: 9h30 às 17h
Locais: Colônia Agrícola Águas Claras, Chácara 7, Casa 22, Chácara 12-A, Casas 7 a 9), Chácara 15, Lotes 5, 7, 10, 13 ao 16, 18 ao 23, 26 ao 30, 33, 35, 36 e 38, Chácara 15-A, Casa 2, 11-B, 12, Chácara 16, Lotes 1 ao 4, 4-A, 5 ao 7, 8, 9 ao 17, 19 ao 22, 25, 27, 28, Chácara 16-A, Lotes 1, 2, 2-A, 3, 5 ao 8, 9, 10, 10-A, 11 ao 15 e 17 ao 24, Chácaras 16-B, 16-C, 17, Lotes 1 ao 8, 9/10, 11, 12 ao 14, 15, 16 ao 25, 27-A, 27-B, Chácara 18, Lotes 1 ao 5, 7 ao 10, 11, 12, 13, 15 ao 19, 20, 21 ao 25, 26, 27, 28-A, 28-B, 28-D, 28-E, 30-A, 30-B, Chácara 19, Lote 1-B, 1-A, 2-A, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 17 e 20), Chácara 19-A, Lotes 2 e 4, Chácara 19-B, Lotes 1, 2, 2-A, 2-B, 4, 5 e 9, Chácara 19-C, Lote 3, Chácara 22, Lotes 1-D e 4-B, Chácara 41, Lotes 25 e 45), Chácara 42-A, Lote 3, Chácara 42-B, Lotes 1 a 3, Chácara 43, Chácara 44, Lotes 1, 2, 2-A, 3, 4, 5, 7, 9 ao 14, 14-B, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23 e 23-A, Chácara 45, Lotes 1, 2, 3, 4, 5, 6, 8, 9, 10, 10-B, 11, 12, 13, 13-A, 13-B, 13-C, 13-E, 13-F, 19-B, 14 ao 17, 18, 19 ao 20, 21, 22 e 23, Chácara 46, Lotes 1, 1-B, 2, 2-A, 3, 4, 6, 7, 8, 9, 10, 12, 13 e 16, Chácara 47, Lotes 1 ao 12, 13, 14 ao 21, 22 e Chácara 51, Lotes 5, 6 e 10-A.
Serviço: Obra de substituição de rede convencional para rede compacta protegida

Sudoeste
Horário: 13h30 às 17h
Locais: CLSW 100, Bloco A; SQSW 100, Blocos A e B
Serviço: Lançamento de cabos e transferência de clientes do transformador

Fonte: Agência Brasília 

 

 Inauguração da Composteira da Horta Comunitária do Sudoeste!

Na terça-feira (14), às 10h, será realizada a Inauguração da Composteira da Horta Comunitária do Sudoeste, localizada ao lado do Parque Bosque.

A composteira é o local adequado para o depósito e reaproveitamento dos resíduos orgânicos como comida, folhas, borra de café, entre outros. O equipamento tem como finalidade transformar o material orgânico em adubo.

🍃 Interessante, né?

Te esperamos amanhã!

Inauguração Composteira
🗓 Dia: 14 de junho (terça-feira)
⏰ Horário: 10h
📍Local: Horta Comunitária do Sudoeste (ao lado do Parque Bosque)

 

✨ Resumo da Semana! 

 

• Instalação de grama na SQSW 105;

• Reunião na diretoria de urbanização da Novacap;

 

 

• Visita à Escola Classe 8 da Octogonal;

 


• V Curso de Prevenção em Segurança Condominial;

 

• Manutenção de tampa da CAESB na quadra 104;

• Reunião com representantes da QRSW;

 

• Atendimento ao público e comerciantes da região;

 

 

• Poda de árvores na CLSW 105;

• Roçagem de gramados na EPIG e na quadra 504;

 

• Instalação de composteira na Horta Comunitária do Sudoeste;

 

• Operação Tapa-Buraco na quadra 105;

• Revitalização de calçadas na altura da QRSW 6;

 

• Manutenção de gramado da PEC da CLSW 300A;

• Revitalização de calçadas na EQSW 101/102;

 

 

• Foram recolhidos cerca de 11 caminhões de lixo verde na região.

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

✨Acompanhe a administração, acesse www.linktr.ee/admsudoesteoctogonal

 

 Audiência debate regularização do lote D do Setor de Oficinas do Sudoeste!

Na noite de sexta-feira (10), foi realizada na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) uma Audiência Pública para debater a regularização do bloco D do Setor de Oficinas do Sudoeste. Local onde os empresários ainda não foram contemplados com os documentos legais de uso e ocupação da área.

Para o administrador regional do Sudoeste/Octogonal e SIG, Júnior Vieira, o papel dos empresários e trabalhadores do bloco D da QMSW 2 é de suma importância. “O direito de propriedade é constitucional, ainda mais quando a propriedade exerce um papel social com geração de renda e empregos, que é o caso dos senhores. Precisamos mais que tudo realizar esta regularização e contem com a Administração Regional para chegarmos a uma solução”, destacou.

Presidida pelo deputado distrital Reginaldo Sardinha, a audiência contou com a presença do presidente da Fecomércio-DF José Aparecido da Costa Freire, de representantes da Associação de Micro e Pequenos Empreendedores do Sudoeste/Octogonal e SIG e empresários locais.

 

V Curso de Prevenção em Segurança Condominial!

Nesta sexta e sábado (10 e 11/6), acontece o V Curso de Prevenção em Segurança Condominial promovido pelo Conselho Comunitário de Segurança Pública do Sudoeste, Octogonal e SIG (Conseg).

O curso abrange um ciclo de palestras que tem como objetivo capacitar prefeitos, síndicos, encarregados, zeladores, porteiros e moradores sobre segurança condominial com orientações dos órgãos governamentais como Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, SLU. Empresas também ligadas ao tema irão abordar temas como aspecto jurídico, seguro condominial, entre outros.

Na abertura do curso de hoje, o administrador regional Júnior Vieira esteve dando as boas vindas aos participantes.
 

Em função do avanço das obras do viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig), a Secretaria de Obras e Infraestrutura terá de interditar um trecho de 250 metros da Avenida das Jaqueiras, no Sudoeste, em ambos os sentidos. O trajeto alternativo da via entra em funcionamento na sexta-feira (10), a partir das 21h.

O acesso/saída ao bairro pela Epig ficará indisponível por cerca de 120 dias. Como alternativa, os motoristas podem optar pelo acesso/saída da Quarta Avenida ou a via de acesso às quadras da Octogonal.

“A ação é necessária em função do início da escavação das trincheiras, para implantação do projeto viário e a complementação da rede de drenagem. A movimentação de veículos pesados e máquinas é maior nessa fase da obra, e precisamos tomar algumas medidas de segurança”, explica o subsecretário de Acompanhamento e Fiscalização de Obras, engenheiro Ricardo Terenzi.

O secretário de Obras, Luciano Carvalho, lembra que o serviço será realizado da forma mais eficiente possível, para minimizar os impactos no trânsito. “Assim que concluirmos mais esta importante obra, quem trafega pela região terá uma excelente opção de mobilidade”, afirma.

*Com informações da Secretaria de Obras e Infraestrutura

Fonte: Agência Brasília 

 

 

A 18ª turma do Projeto Conhecer Direito, organizado pela Escola de Assistência Jurídica da Defensoria Pública do Distrito Federal (Easjur/DPDF), se inicia na próxima terça-feira (14/06), a partir das 15h. Com a Aula Inaugural do Projeto, ministrada presencialmente, na sede da Easjur, representantes da instituição e professores estarão no primeiro dia para dar as boas-vindas aos estudantes. Defensores(as) e servidores(as) da DPDF, e a comunidade escolar também estão convidados para prestigiar o encontro.

Ainda restam pouquíssimas vagas. A pré-inscrição para o Projeto deve ser efetuada no site oficial da Easjur e confirmada presencialmente, com a entrega de declaração de escolaridade, cópia do registro geral (RG) e termo de autorização do pai ou responsável. 

Para divulgar os detalhes do Projeto, o Diretor da Easjur, Evenin Ávila, e a equipe estiveram em diversas escolas públicas dialogando com alunos(as), professores(as), coordenadores(as) e demais membros. A partir da iniciativa, toda uma rede de apoio é formada para acolher, guiar e levar Educação em Direitos aos estudantes da rede pública de ensino médio do Distrito Federal.

Com o início do Projeto, marcado para o dia 14 de junho, as aulas devem ocorrer, assim, semanalmente, todas às terças-feiras e, ainda, toda última quarta-feira do mês. Em dezembro de 2022, acontecerá a formatura com entrega de certificados e bolsas de estudo obtidas a partir de parcerias com instituições de ensino privadas. 

As aulas serão ministradas presencialmente na sede da Easjur, localizada no Setor Comercial Norte, Quadra 01, Lote G, Edifício Rossi Esplanada Business, subsolo (próximo ao HRAN e Liberty Mall). 

Desde 2010, o Projeto Conhecer Direito difunde a socialização do conhecimento jurídico básico e o desenvolvimento pleno do exercício da cidadania pela população mais vulnerável do DF, a partir de jovens e adolescentes.  

Cultivar ideais democráticos, por intermédio do respeito aos seus valores constitucionais, e proporcionar a compreensão plena dos direitos do cidadão, incluindo o significado social dos seus direitos e deveres assegurados pelo ordenamento jurídico para sua efetivação, compõem o cerne do Projeto Conhecer Direito.

Para acessar o termo oficial de autorização do pai ou responsável, clique AQUI.

Larissa Costa Silva

Assessoria de Comunicação

Fonte: Defensoria Pública Do Distrito Federal

 

 

A Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF) disponibilizou, desde março deste ano, o site Gestão de Riscos (www.gestaoderiscos.cg.df.gov.br), ferramenta que vai auxiliar os órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) no desenvolvimento de projetos estratégicos para a implementação da gestão de risco. O sítio reúne informações e conceitos sobre o que é a gestão de riscos e a importância da implementação dela nos órgãos públicos, além de modelos de projetos de gestão de riscos que podem ser baixados pelo usuário, gerenciamento e tratamento de riscos.

No endereço eletrônico, o visitante vai encontrar, de forma fácil e rápida, todo o passo a passo para elaborar o projeto de gestão de risco e implementá-lo. A gestão de risco é um processo sistemático para identificar, analisar, avaliar e tratar eventos de risco de qualquer natureza, com o objetivo de minimizar ou potencializar seus impactos sobre os objetivos da organização.

Também é possível acessar todas as informações fundamentais para a implementação dos Programas de Integridade, auxiliando os órgãos e entidades do GDF no desenvolvimento de seus sistemas de Gestão.

Os órgãos e entidades do DF que tiverem interesse na implementação da gestão de risco e dos programas de integridade podem solicitar apoio técnico consultivo da Controladoria-Geral do DF. Além disso, a CGDF também oferece capacitações e sugestão de trilhas de treinamento e aperfeiçoamento voltadas à Gestão de Riscos, Integridade e contratações.

Acesse www.gestaoderiscos.cg.df.gov.br e conheça a ferramenta.

Fonte: Divulgação CGDF

  Recolhimento de lixo verde no Setor Econômico!

Nesta segunda-feira (06), a equipe de obras e manutenção da Administração Regional recolheu 3 caminhões de lixo verde no Sudoeste Econômico.

🍃 O acondicionamento das folhas deve ser feito, preferencialmente, em sacos plásticos resistentes. Não são recolhidos entulhos como móveis e restos de obra.

Caso tenha dúvidas de onde descartar o lixo verde, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

👩🏻‍💻 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, formalize por meio da Ouvidoria do GDF, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue 162.

 

🐶 Sudoeste ganhará “PlayDog” na quadra 104!

Saiu ontem (03), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), a Ordem de Serviço N. 26/2022 que dispõe sobre a criação do “PlayDog” do Sudoeste.

🐕 O espaço mais conhecido como “ParCão” é destinado à recreação e passeio dos animais de estimação e será localizado na área verde próxima ao bloco C da quadra 104 do Sudoeste.

Quem aí já está ansioso para levar seu animalzinho para brincar no “PlayDog”? 🐾

📱 Não deixe de acompanhar as redes sociais da Administração Regional e ficar por dentro de tudo o que acontece na região!

Resumo da Semana!

• Podas de árvores na QMSW 2, Avenida das Jaqueiras e EPIG;

• Continuidade na revitalização das calçadas entre a QRSW 3, 4, 5 e 6;

• Atendimentos ao público;

• SLU realizou frisagem de meios-fios no SIG;

• Instalação de bancos no local destinado ao ParCão na quadra 104;

• Visita técnica à Horta Comunitária com equipe do SLU para futura instalação de equipamento de compostagem;

• Revitalização de espaço no Parque Bosque com pintura de bancos, mesas e concretagem de piso;

• Plantio de grama ao redor do Ponto de Encontro Comunitário da CLSW 300A;

• Reuniões no DF Legal, Secretaria de Mobilidade e Secretaria de Cidades;

• Continuidade na revitalização de calçadas na EQSW 101/102;

• Limpeza no ponto de táxi da quadra 4 da Octogonal;

• Tapa-Buraco na SQSW 303;

• Foram recolhidos cerca de 6 caminhões de lixo verde na região.

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026

✨ Acompanhe a administração, acesse o link na bio.

 

Hoje é dia do quadro – Administração Resolve!

E neste episódio, viemos conferir as melhorias realizadas pelo Governo do Distrito Federal na Octogonal 1 e proximidades.

Dentre algumas, destacam-se a construção das faixas de aceleração e desaceleração na via entre o Sudoeste e a Octogonal, a recente poda de árvores na lateral da quadra 1 e o recolhimento de lixo verde em toda a AOS.

💭 A Maria da Graça, moradora da Octogonal 1, está satisfeita com as melhorias e deixou um recadinho especial.

Vamos conferir? 🔉

Até semana que vem, pessoal! 👋🏼

Saiba onde encontrar as estações de bikes compartilhadas

Quem transita pelo Distrito Federal já deve ter notado as diversas estações com bicicletas rosas compartilhadas por aí.

🚲O projeto de iniciativa da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), já instalou cerca de 41 estações de bikes, totalizando mais de 355 unidades das “rosinhas” espalhadas por diferentes pontos das regiões.

No Sudoeste/Octogonal e SIG, podemos encontrar estações de bikes compartilhadas nos seguintes locais:

📍Quadra 2 do SIG, na altura da EPIG;
📍Quadra 4 do SIG, na altura do Eixo Monumental;
📍1ª Avenida do Sudoeste, na altura da CLSW 101;
📍4ª Avenida do Sudoeste, na altura da SQSW 103;
📍EPIG, marginal do Parque da Cidade;

Para achar outras estações e saber mais informações de como utilizar o serviço é muito fácil, basta acessar https://brasilia.tembici.com.br/ ou baixar o aplicativo Tembici no celular.

Tendo a educação em direitos como dever estampado na Constituição Federal de 1988 e na Lei Complementar n.º 80/94, e instituída oficialmente no Distrito Federal por meio do Decreto N° 39.321/2018, a Defensoria propõe a formação de jovens participativos e conscientes, por meio do conhecimento em direitos, deveres, princípios e valores sociais, e da construção coletiva de ideias, dando condições para que sejam autores de sua própria história, apesar do contexto de duras desigualdades.

A bandeira da educação em direitos é defendida como forma de efetivação da cidadania e de acesso à ordem jurídica justa, evitando, assim, a extrema judicialização que ocorre nos dias atuais.

O projeto Conhecer Direito, que já foi o ponto de partida para a mudança na vida de milhares de pessoas por meio da educação, oferece a possibilidade de construção de uma nova forma de convivência, onde se informa para depois responsabilizar e, não, responsabilizar para depois informar.

A partir do dia 19 de maio de 2022, estão abertas as inscrições para a sua 18ª turma. São 100 vagas limitadas e para garantir a participação, o estudante do 1º, 2º ou 3º ano da rede pública de ensino médio do DF deve fazer a pré-inscrição no link: https://bit.ly/37XdwBD e, em seguida, efetivá-la presencialmente até o dia 10 de junho na sede da Escola da Defensoria Pública do DF (Easjur), com a entrega de declaração de escolaridade, cópia do RG e termo de autorização do pai ou responsável.

As aulas se iniciam em 14 de junho e acontecerão no horário das 15h às 17h, semanalmente toda terça-feira e toda última quarta-feira do mês, na sede da Easjur, localizada no Setor Comercial Norte, Quadra 01, Lote G, Edifício Rossi Esplanada Business, subsolo (próximo ao HRAN e Liberty Mall).

O curso é inteiramente gratuito e oferecerá acesso a material didático consistente em livro “Educação para a Vida e Acesso à Cidadania – Os direitos e deveres da vida humana em sete tempos” (disponível em: https://bit.ly/3oeTvfc), que contempla a jornada do conhecimento sobre as regras básicas da vida em sociedade desde o nascimento, a infância, a adolescência, a juventude, a vida adulta, a velhice, após a morte, até os mecanismos de proteção constitucionais.

Também serão abordados conteúdos de cartilhas temáticas produzidas pela Defensoria Pública do DF, que tratam de assuntos como a Violência Doméstica e Familiar, os Direitos da Criança e do Adolescente, a Pessoa com Deficiência, as Relações de Consumo, o Direito de Família, entre outros que estão disponíveis em: http://escola.defensoria.df.gov.br/easjur/publicacoes/cct/cartilhas/.

Ao final do curso, em dezembro de 2022, teremos um evento de formatura com a maior premiação de bolsas da história do projeto – em parceria com instituições privadas de ensino superior e cursos preparatórios – para os alunos com melhores aproveitamentos em simulados aplicados ao longo das aula.

 

Mais informações:

e-mail: escoladpdf@gmail.com

Fonte: SECRETARIA DE ESTADO DE ATENDIMENTO À COMUNIDADE

A partir de 6 de junho, as 33 administrações regionais do Distrito Federal passarão a contar com um atendente presencial da Neoenergia Brasília. O posto itinerante da empresa vai funcionar uma vez por semana em cada uma das regiões administrativas, em dias alternados e sem hora marcada.

A medida visa facilitar o acesso do cidadão aos serviços prestados pela companhia, como retirada de segunda via de contas, parcelamento de débitos, ligações novas, trocas de titularidade e outras solicitações. O cronograma semanal de atendimento poderá ser consultado no site da Neoenergia Brasília (Neoenergia Brasília) ou nos perfis da distribuidora no Twitter e no Instagram (@neoenergiabsb).

Nesta terça-feira (31), o governador Ibaneis Rocha assinou a ordem de serviço autorizando o termo de cooperação entre a Secretaria de Governo, com participação da Secretaria das Cidades, e a empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica no Distrito Federal.

“Esse acordo é um somatório de tratativas realizadas anteriormente para atender melhor a população, sem a necessidade de transferência de recursos financeiros”, explica o secretário executivo das Cidades, Valmir Lemos. “É o GDF buscando alternativas para que tanto em tempos de sol quanto de chuva o consumidor tenha seus problemas resolvidos, com menos tempo de deslocamento e, consequentemente, menor gasto”, reforça o secretário de Governo José Humberto Pires.

Expansão

Em janeiro deste ano, dez administrações regionais começaram a receber o posto itinerante da Neoenergia. O procedimento serviu de teste para que pudesse ser aprimorado e ampliado, servindo como mais um canal de atendimento ao consumidor.

Além do virtual, 24 horas por dia – tanto pelo site quanto pela central 116 – , a concessionária conta com seis agências físicas próprias – Lago Sul, Paranoá, Planaltina, Samambaia, São Sebastião e Taguatinga -, nos sete postos do Na Hora e nas duas agências móveis que circulam pelas cidades.

“Nosso objetivo é estar mais próximo do consumidor e ampliar as possibilidades de atendimento presencial para aqueles que necessitam e optam por esse tipo de atendimento”, afirma o diretor-presidente da Neoenergia Brasília, Frederico Candian

Fonte: Agência Brasília

Resumo da Semana!

• Iniciada a construção de calçadas entre as quadras 101 e 102;

 

• Continuidade na revitalização das calçadas na altura da QRSW 3, 4 e 5;

 

• Construção de trecho de calçada e recuo para contêineres de lixo na SQSW 104;

 

• Visita ao local que será instalado o ParCão, ao lado da quadra 104;

 

• Poda de árvores na altura da quadra 104;

 

•Giro na cidade com o SLU para mapear focos de lixo;

 

• Reuniões na Novacap, com a Unitrailers e permissionários de trailers, quiosques e ambulantes;

 

 

• Lançamento dos dados da PDAD 2021 referentes à população do Sudoeste/Octogonal;

 

• Pintura de bancos e mesas no Parque Bosque;

 

• Atendimento ao público;

 

• Foram recolhidos cerca de 12 caminhões de lixo verde na região.

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026

✨ Acompanhe a administração, acesse o link na bio.

Sejam bem-vindos ao mais novo quadro da Administração Regional do Sudoeste/Octogonal – o Administração Resolve.

No episódio de hoje, vamos mostrar para vocês a revitalização de cerca de 60 metros de passeio público localizado na quadra 4 do SIG, ao lado da parada de ônibus em frente à EPIG.

🔊 Vamos ouvir também o recado da Maria Zélia, que trabalha na quadra 300 e diariamente transita pelo local para esperar o transporte público.

Até o próximo episódio! 👋🏼

👩🏻‍💻 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, formalize por meio da Ouvidoria do GDF, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

 Entrega de equipamentos esportivos no Parque Bosque!

Hoje (27) no Parque Bosque do Sudoeste, a Administração Regional realizou a entrega de uma parte dos equipamentos esportivos doados pela Secretaria de Esporte e Lazer (SEL) do Distrito Federal.

⚽️ A entrega faz parte de uma série de ações da secretaria com o objetivo de fomentar e dar condições à prática esportiva da população nos espaços públicos das cidades.

Dentre os esquipamentos estão cama elástica para jump, cordas, colchonetes, bolas de pilates, barras, entre outros.

Estiveram presentes na entrega o administrador regional Júnior Vieira e o deputado distrital Reginaldo Sardinha.

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026

 

A Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) realizou nesta quarta-feira (25) mais um ciclo de um total de sete apresentações da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (PDAD) nas cidades. Dessa vez, foram os moradores do Plano Piloto, Sudoeste/Octogonal, Cruzeiro e Candangolândia que tiveram seu perfil e caraterísticas revelados pelo estudo, como média de idade da população, etnia, se possui ou não alguma deficiência, estado civil.

 

A apresentação foi transmitida pela internet a partir do auditório da Administração Regional do Plano Piloto. Anfitriã do evento, a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, ressaltou a importância da PDAD para a aplicação de políticas públicas. “É uma felicidade muito grande a gente receber aqui essa rodada de apresentação dos dados da pesquisa. Essa pesquisa é completa. Revela outros aspectos jamais abordados por outros estados, como identidade de gênero, orientação sexual e outros recortes que são fundamentais para termos um retrato fiel da nossa sociedade e conseguirmos atender a todos”, destacou Ilka.

 

O presidente da Codeplan, Jean Lima, que pegou a palavra de Ilka, também frisou que a PDAD é uma importante ferramenta utilizada como parâmetro para se embasar a aplicação de recursos e políticas públicas. Entusiasta do levantamento, Jean deu alguns spoilers da apresentação que seria feita em seguida a sua fala. “Teremos dados sobre perfil dos domicílios, da população quanto a infraestrutura, segurança pública. A vantagem de a gente estar aqui divulgando estes dados é que a população pode ter acesso a ele”, disse Jean.

 

A pesquisou visitou mais de sete mil domicílios do Plano Piloto, Sudoeste/Octogonal, Cruzeiro e Candangolândia no período entre junho a dezembro de 2021. Entre os dados mais importantes, registra-se o uso da bicicleta.

 

Bicicleta apenas como diversão 

Apesar da pouca distância do centro da capital federal, os moradores do Sudoeste, Octogonal, Cruzeiro e Candangolândia vão na contramão mundial e utilizam cada vez menos a bicicleta como meio de transporte. Essa população prefere ir e voltar de carro do trabalhado ou da escola.

 

A informação faz parte dos vários recortes que a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (PDAD) trouxe nessa quarta-feira (25/5) sobre a população concentrada na Unidade de Planejamento Territorial (UPT Central), que tem ainda o Plano Piloto como integrante.

 

Curiosamente, esta localidade é a que mais utiliza o meio de transporte entre as demais, mas não chega nem a 1% dos entrevistados, diz o estudo. É o que diz o estudo da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

 

O número decepcionou o síndico de um condomínio no Sudoeste que acompanhou a apresentação. Luiz Valério, 60 anos, elogiou a apresentação, mas se ateve mais ao índice “Deslocamento de bicicleta para o trabalho”. “Brasília se desenvolve no desenho de vias rodoviárias. Sem carro não há Brasília. É uma pena que a bicicleta ainda seja usada apenas para diversão”, lamenta o morador.

 

Além desse retrato das quatro localidades, a PDAD também revelou a cidade com a população mais envelhecida e de maios renda domiciliar. O estudo também trouxe a região maior quantidade de pessoas negras e que denominaram LGBTQIA+. Aliás, este é o dado inédito entre todas as pesquisas já realizadas no Distrito Federal.

 

Segundo a pesquisa, o Plano Piloto continua sendo o principal polo de trabalho do DF. Mais de 90% dos moradores afirmam trabalhar na localidade.

 

Em contrapartida, o Sudoeste/Octogonal tem a maior renda bruta média e ultrapassa os R$ 9 mil mensais entre a população economicamente ativa. O levantamento traz ainda os dados referentes à comparação entre a renda entre homens e mulheres e qual dos gêneros gasta mais tempo com afazeres domésticos. Segundo esse recorte, as mulheres recebem menos que os homens em todas as cinco cidades da UPT Central.

 

O gênero feminino só supera o masculino quando o dado refere-se às horas dedicadas a afazeres domésticos. Em média, no Plano Piloto, Sudoeste/Octogonal, Cruzeiro e Candangolândia, elas gastam entre 10h e até 15h por semana com esse tipo de serviço.

 

Matéria: Ary Filgueira, Assessoria de Comunicação Social da Codeplan

Fonte: Codeplan

O Comitê de Gestão Participativa (CGP) aprovou, na noite desta terça-feira (24), o calendário das reuniões mensais do colegiado sobre a revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) – ferramenta essencial para balizar as políticas públicas territoriais e ambientais nos próximos dez anos. A decisão foi tomada durante a quarta reunião entre os representantes da sociedade civil e do governo que formam o comitê.

O encontro foi promovido virtualmente pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh). A equipe técnica da pasta apresentou aos conselheiros a proposta para que as reuniões continuem sendo feitas em formato virtual, sempre na última terça-feira de cada mês, entre junho e novembro. A sugestão foi acatada pelo comitê.

 

Também foi apresentado um cronograma de trabalho da revisão do Pdot para 2022/2023, que prevê para este ano reuniões técnicas com as administrações regionais e demais órgãos colegiados.

No ano que vem, são esperadas reuniões públicas em cada região administrativa para debater a revisão do Pdot, além de audiências públicas, discussão de minutas e demais reuniões com os órgãos competentes.

A expectativa é que o resultado dos trabalhos do CGP seja apresentado, ao final, para a aprovação do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan). Em seguida, será enviado à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF).

“O nosso objetivo é iniciar esse processo de construção, juntamente com o CGP, de todos esses passos. As reuniões mensais são para que todas as informações que formos colhendo nas outras reuniões sejam trazidas ao comitê. É um trabalho coletivo”, informou a secretária-executiva de Planejamento e Gestão do Território da Seduh, Janaína Vieira.

Na próxima reunião do CGP, prevista para 28 de junho, a metodologia da revisão do Pdot deverá ser o tema debatido com os representantes da sociedade civil. Além disso, o regimento interno do comitê será apresentado para aprovação dos conselheiros.

O CGP é mais um canal para manter o diálogo ativo com a sociedade civil organizada e incorporar as demandas da população no processo de revisão do Pdot. Trata-se de uma construção conjunta entre o governo e a comunidade.

*Com informações da Seduh

Fonte: Agência Brasília

Na Candangolândia, a frequência escolar entre jovens de 15 a 17 anos está acima da média geral, em comparação com regiões administrativas como Plano Piloto, Sudoeste/Octogonal e Cruzeiro. Os percentuais beiram a totalidade, ou seja, representam 94,6% dos alunos dessa faixa etária na cidade pioneira.

 

Outro dado interessante com relação à RA é que 75,5% dos moradores locais sentem a presença do policiamento nas ruas. Das quatro regiões, Sudoeste/Octogonal é a que se sente mais segura, com 93,7% de percepção da população.

Os dados foram revelados na Pesquisa Distrital de Amostragem por Domicílio (Pdad) 2021, divulgada nesta quarta-feira (25) pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

Os índices fazem parte do segundo encontro de divulgação da pesquisa por Unidade de Planejamento Territorial. Desta vez, foram apresentadas as características do Plano Piloto, da Candangolândia, do Cruzeiro e do Sudoeste/Octogonal que, juntos, formam a Unidade de Planejamento Territorial (UPT) Central.

A Pdad é uma pesquisa domiciliar amostral realizada a cada dois anos pela Codeplan. Ela representa mais de 97% da população brasiliense, visita todas as 33 regiões administrativas e fornece um diagnóstico detalhado da situação de cada uma delas. Na edição de 2021, o levantamento visitou mais de 30 mil domicílios, a maioria em áreas urbanas. O resultado da Pdad 2021 está sendo divulgado por região, em uma série de sete encontros.

Chefe de gabinete da Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas (Dieps) da Codeplan, Thiago Mendes Rosa analisa e contextualiza os dois percentuais: “Com relação à questão escolar, é um dado que teve certa influência da pandemia, já que parte da pesquisa foi realizada com diferentes configurações de ensino, ora remoto, híbrido e ora presencial”.

De acordo com Thiago Mendes, “no geral, a percepção da população do DF quanto ao policiamento regular se elevou quando comparada com 2018, o que pode ser resultado de uma ampliação do policiamento ostensivo na capital federal”, constata.

Para o administrador da cidade, Pablo Valente, os números positivos com relação à baixa evasão escolar são reflexo de parcerias eficientes realizadas entre a regional de ensino local e a administração, juntamente com os pais dos alunos. “Temos trabalhado muito em parceria com os diretores das escolas, as famílias, trocando informações sobre o tema e realizando ações para atuar nessa questão da presença escolar”, avalia o gestor.

Pedagoga e recém-formada em Antropologia, Mercedes Castro, 45 anos, repercute os dados com a propriedade de quem trabalhou 20 anos como orientadora educacional nas escolas públicas da Candangolândia. “Essa questão da presença nas escolas na Candangolândia é bem rigorosa, seguindo à risca a Lei de Diretrizes Brasileiras de Educação”, salienta a acadêmica. “O aluno faltou três vezes, a direção encaminha, imediatamente, ao Conselho Tutelar, não tem conversa”, relata.

Presença policial

Segundo a pesquisa da Codeplan, entre as quatro cidades localizadas na área central do DF, o Sudoeste/Octogonal é a que tem maior índice de credibilidade das pessoas nas forças de segurança, com 93,7% de aprovação popular.

Embora com o percentual mais baixo das demais regiões administrativas, 75, 5%, Candangolândia ainda apresenta dados acima da média no DF. Números comemorados pelo administrador Pablo Valente.

“Uma das primeiras ações para resgatar a confiança da população na segurança foi reativar o conselho de segurança, debatendo o tema com a própria população”, conta o gestor. “Além da presença permanente de policiamento nos espaços públicos, especialmente na Praça dos Bosques, a cidade tem câmeras de monitoramento, o que dá essa sensação de segurança”, diz.

Há mais de um ano morando na cidade, o carioca Monaco Gama da Silva Oliveira, 42 anos, se sente seguro vivendo na Candangolândia. “A cidade é bem policiada, a gente vê bastante viatura circulando pelas ruas, malandro aqui não se cria, não”, garante.

Fonte: Agência Brasília

📌 Encontro reúne treilistas, quiosqueiros e ambulantes!

Na tarde da terça -feira (24), a Unitrailers-DF juntamente com o apoio das administrações regionais do Sudoeste/Octogonal/SIG e Cruzeiro realizaram um encontro que reuniu diversos treilistas, quiosqueiros e ambulantes das respectivas regiões.

O intuito da reunião, que acontece regularmente, é reforçar as principais demandas da categoria, sanar dúvidas e dar orientações sobre a nova lei Nº 7.071 DE 18/02/2022, que versa sobre a autorização de uso para os quiosques e similares situados no Distrito Federal.

👩🏻‍💻 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, formalize por meio da Ouvidoria do GDF, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

 

 

 

Construção de recuo para contêineres e calçada na SQSW 104!

A SQSW 104, agora, conta com mais um recuo para contêineres de lixo ao lado do bloco G.

A demanda foi executada, pois os caminhões do SLU tinham dificuldade para manobrar entre os blocos F, E e G, o que inviabilizava a coleta de lixo.

Além do recuo, a equipe de obras da administração regional também construiu trecho de calçada em frente à faixa de pedestre na entrada da quadra.

👩🏻‍💻 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, formalize por meio da Ouvidoria do GDF, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue 162.

 

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A ESCOLA DE ELETRICISTAS EM SOBRADINHO E TAGUATINGA
 
Neoenergia Brasília convida mulheres a se inscreverem. São 175 vagas disponíveis
 
Brasília, 09 de maio de 2022 – As inscrições para a escola de eletricistas da Neoenergia Brasília estão abertas e objetivam formar 175 profissionais de forma gratuita para atuar no mercado de trabalho. Serão sete turmas mistas, para mulheres e homens, que ocorrerão de forma simultânea a partir de junho, em Sobradinho e em Taguatinga. Os interessados podem se inscrever a partir desta segunda-feira (9/5) até o próximo dia 1° de junho e a formação é feita em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).  

Os cursos têm ênfase em redes de distribuição de energia elétrica e as aulas são divididas em duas etapas, começando pela parte teórica, em formato remoto, e finalizando com as aulas práticas presenciais. Ao todo, já foram formados 86 profissionais para o mercado de trabalho em todo o Distrito Federal. Destes, 55 já foram contratados e 20 estão em processo de contratação para o quadro de colaboradores da Neoenergia
 Brasília, sendo 35 homens e 20 mulheres.  
 
PÚBLICO FEMININO – Além de fomentar
 a geração de emprego e renda, a iniciativa objetiva ampliar a oportunidade de uma nova profissão para mulheres, contribuindo, principalmente, para a equidade de gênero em profissões majoritariamente masculinas. Além disso, a escola possibilita que, depois
 da formação, as alunas possam integrar o quadro de colaboradores da empresa. A expectativa é formar turmas com no mínimo 30% de participantes do sexo feminino. Conheça o dia-a-dia da nossa eletricista Raissa Machado, formada pela escola de eletricistas e contratada
 pela Neoenergia Brasília:
https://youtu.be/ydygDVamsgQ

INSCRIÇÕES – As vagas estão disponíveis de forma gratuita para pessoas com idade acima de 18 anos, ensino médio completo e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias B, C ou D. Para se inscrever, acesse o site da Neoenergia Brasília:
https://www.neoenergiabrasilia.com.br/Paginas/oportunidades-de-emprego.aspx 

ESCOLA DE ELETRICISTAS – O projeto é realizado pelas distribuidoras do grupo Neoenergia e se destaca como pioneiro ao criar turmas para mulheres, a fim de promover a diversidade e a inclusão. A ação é reconhecida como exemplo global de um dos Princípios de Empoderamento das Mulheres pelo WeEmpower,
 programa da ONU Mulheres junto à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e à União Europeia, para estimular boas práticas das empresas.

Fonte: Neoenergia

Dentro do ciclo da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (Pdad) nas cidades, a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) fará uma apresentação nesta quarta-feira (25) sobre características das regiões do Plano Piloto, Candangolândia, Cruzeiro e Sudoeste/Octogonal, que formam a Unidade de Planejamento Territorial (UPT) Central.

Os resultados da pesquisa feita em 2021 nessas áreas serão mostrados às 10h, na sede da Administração Regional do Plano Piloto. A apresentação terá transmissão simultânea ao vivo, pelo canal da Codeplan no YouTube. É mais um encontro aberto ao público para informar sobre dados referentes às características dos moradores, como idade, etnia e estado civil, entre outras.

Na edição de 2021, a pesquisa visitou mais de 30 mil domicílios, a maioria em áreas urbanas, para investigar aspectos demográficos, de migração, condições sociais e econômicas, situações de trabalho e renda, a fim de oferecer um amplo diagnóstico da realidade atual da população.

Fonte de informação

Além das questões tradicionais, o estudo trouxe o questionário de identidade de gênero e orientação sexual para maiores de 18 anos, levantamento de informações sobre a existência de animais domésticos nos domicílios e questões relacionadas à insegurança alimentar.

Realizada a cada dois anos, a Pdad é a principal fonte de informação para a gestão governamental subsidiar políticas públicas eficazes. O estudo traz um diagnóstico completo do DF, tratando de temas para fornecer um retrato socioeconômico de suas 33 regiões administrativas.

O primeiro evento descentralizado da Pdad foi apresentado no dia 18 à população da UPT Central Adjacente 1, que compreende o Lago Norte, Lago Sul, Park Way e Varjão.

Serviço
Pdad 2021 – Apresentação de resultados por UPT
→ Quarta-feira (25), às 10h, na Administração Regional do Plano Piloto – SBN Quadra 2, Bloco K, Asa Norte. Transmissão simultânea pelo canal da Codeplan no YouTube.

*Com informações da Codeplan

Fonte: Agência Brasília

 

⏭️ Encaminhamento de demandas!

Hoje pela manhã (24), o administrador regional do Sudoeste/Octogonal, Júnior Vieira, esteve em reunião com o chefe do departamento de parques e jardins (DPJ) da Novacap.

O objetivo do encontro foi para dar encaminhamento às solicitações de podas de árvores e recolhimento de lixo verde, demanda recorrente da comunidade.

A equipe da Administração Regional está em constante contato com os demais órgãos do GDF para que as manifestações dos cidadãos sejam atendidas com maior brevidade possível.

🔹 É o GDF em ação!

👩🏻‍💻 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, formalize por meio da Ouvidoria do GDF, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

 

Comércio da 105 ganha mais acessibilidade!

O comércio da quadra 105, agora, conta com novas calçadas e novo acesso à faixa de pedestre.

As calçadas estão localizadas ao lado do chaveiro e o acesso à faixa em frente ao bloco B.

A equipe de obras da administração está concentrando esforços para atender diversas demandas de acessibilidade na região, solicitação recorrente da população local e de quem diariamente transita pelas ruas da cidade.

🔹 É o GDF em ação!

👩🏻‍💻 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, formalize por meio da Ouvidoria do GDF, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

 

A linha de apoio Meu Primeiro FAC nasceu em 2021 como consequência direta da experiência da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) na execução da Lei Aldir Blanc. Na época, a gestão fez um amplo trabalho de busca ativa e percebeu que uma faixa significativa de artistas e técnicos da cadeia produtiva estava fora da principal política pública da gestão: o Fundo de Apoio à Cultura (FAC).

Constatou, a partir de indicadores de edições passadas, que o FAC se concentrava em proponentes que já tinham um histórico de ganhar o recurso. Dessa junção, nasceu a possibilidade de reservar vagas para quem nunca ganhou essa verba pública. O resultado foi impactante. Só no primeiro edital, o Cadastro de Entes e Agentes Culturais (Ceac) aumentou em 34% com os novos inscritos e teve 153 contemplados num investimento de R$ 6.581.305,09.

Neste ano, o Meu Primeiro FAC volta com expressão como uma das três linhas de apoio do edital Brasília Multicultural I, que segue com inscrições abertas até as 18h do dia 1° de junho. São R$ 32 milhões para, ao menos, 332 projetos, por meio preenchimento eletrônico.

São, ao menos, 100 vagas de projetos no valor de R$ 60 mil. O valor total é de R$ 6 milhões, com 40 vagas regionalizadas, dez vagas reservadas para pessoas com deficiência (PCD) e sete para proponentes com idade acima de 60 anos. Todos os projetos devem apresentar ações de acessibilidade cultural e ter alcance e relevância cultural. As vagas regionalizadas são reservadas para agentes culturais não residentes no Lago Sul, Lago Norte, Plano Piloto (excetuando-se Vila Telebrasília e Vila Planalto), Sudoeste/Octogonal e Noroeste. Os projetos apresentados são livres.

“O Meu Primeiro FAC é uma das marcas dessa gestão que ampliou a política pública da cultura para um contingente de artistas e técnicos que estavam à margem. Buscamos trazê-los para dentro do Sistema de Arte e Cultura do DF”, aponta o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues.

Orientações

Aptos no Ceac, os proponentes podem inscrever projetos livres em nove áreas de linguagem: artes visuais, artes cênicas, música, audiovisual, manifestações tradicionais populares, literatura, multilinguagens, arte técnica e diversidade (cultura LGBTQIA+). Só pode apresentar projetos nesta linha de apoio proponente pessoa física ou jurídica, detentora de registro no Ceac, e que não tenha celebrado contrato com o FAC.

No entanto, agentes culturais que tiveram projetos apoiados no programa Conexão Cultura DF ou em eventuais editais de premiação estão livres para apresentar propostas. Assim, deve ser preenchida a declaração do Anexo nessa categoria. É obrigatório também o preenchimento do Anexo VIII para dar anuência de que o agente nunca foi agraciado pelo fundo. Para cada linguagem, é preciso acessar no edital quais as ações específicas, como acessibilidade cultural e alcance e relevância dos produtos propostos.

“Meu Primeiro FAC é uma categoria que teve bastante sucesso em 2021. Trabalhamos agora no aprimoramento com mais democratização, descentralização e oportunidades para todos”, destacou o subsecretário de Fomento e Incentivo Cultural, João Moro.

Dúvidas do edital podem ser esclarecidas pelo e-mail selecao.sufic@cultura.df.gov.br.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Fonte: Agência Brasília

Seis unidades de conservação do Distrito Federal passarão por reformas neste ano. Executados pelo contrato de compensação ambiental, os serviços consistem na implantação de guaritas e em outras melhorias, como iluminação e estacionamento. O investimento previsto é de mais de R$ 2,1 milhões, de acordo com o Instituto Brasília Ambiental.

As seis unidades são o Parque Distrital das Copaíbas, o Parque Ecológico de Santa Maria, o Parque Ecológico Anfiteatro Natural, o Arie do Bosque, o Parque Ecológico das Sucupiras e o Parque Distrital de São Sebastião.

 

“Guarita e cercamento são medidas de proteção para o frequentador. Teremos guarita, por exemplo, no Copaíbas, um parque distrital mais restrito, que só tem trilhas rústicas. Será uma guarita com vigilância”, adianta a gestora das Unidades de Conservação do Brasília Ambiental, Rejane Pieratti.

No Parque Distrital das Copaíbas, serão implantados uma guarita com vigilância e banheiros, além de pergolado ao ar livre, conjunto de lixeiras e bancos de concreto. O valor estimado desse serviço é R$ 230 mil. No Parque Ecológico de Santa Maria, serão investidos R$ 205 mil para a colocação de uma guarita com pórtico.

O Parque Ecológico Anfiteatro Natural, no Lago Sul, terá duas guaritas com vigilância, trabalho que demanda um investimento de R$ 450 mil. Também nessa mesma região administrativa, a Arie do Bosque ganha uma guarita com vigilância e banheiros. Além disso, o parque vai ganhar um estacionamento. Para essa unidade, serão investidos R$ 560 mil.

No Sudoeste, o Parque Ecológico das Sucupiras ganhará duas guaritas. A implantação foi autorizada judicialmente. Ainda não há estimativa do valor a ser investido. No caso do Distrital de São Sebastião, os trabalhos contarão com a reforma do anfiteatro e da Escola da Natureza e a instalação da iluminação. Os serviços são estimados em R$ 700 mil.

A capital federal tem 82 unidades de conservação. Dessas, 28 são abertas para visitação do público, que pode aproveitar o espaço para praticar atividades esportivas e de lazer. A 29ª unidade será inaugurada em breve, no Noroeste. Confira no site Eu Amo Cerrado – Educação Ambiental os parques ecológicos do DF.

Fonte: Agência Brasília 

O frio chegou e deve ficar ainda mais intenso nos próximos dias. Para colaborar com as pessoas em situação de rua, o cidadão pode entregar cobertores e agasalhos nos dois centros Pop e nas 12 unidades do Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), bem como em todos os pontos disponibilizados pela  Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) para atendimento ao público.

 

A Sedes ressalta que doar é um ato pessoal e voluntário e que a intenção é amenizar os efeitos das baixas temperaturas para esse público. “São unidades com atuação direta junto à população em situação de rua. O contato contínuo durante o atendimento vai ser fundamental para que as peças cheguem o mais rapidamente a quem mais precisa”, afirma a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

Confira abaixo os endereços das unidades socioassistenciais.

Centros Pop (funcionam diariamente das 7h às 19h)
– Taguatinga: QNF 24 A/E nº 2. Módulo A
– Brasília: SGAS 903, Conjunto C

Creas (funcionam de segunda a sexta-feira das 8h às 18h)
– Brasília: SGAS 614/615, Lote 104 (L2 Sul)
– Brazlândia: A/E nº 1, lotes K/L
– Ceilândia: QNM 16, AE, Módulo A
– Diversidade: SGAS 614/615, Lote 104 (L2 Sul)
– Estrutural: AE 9 – Setor Central
– Gama: AE 11/13 – Setor Central
– Núcleo Bandeirante: Avenida Central, AE, Lote E
– Planaltina: AE H, Lote 6 – Setor Central
– Samambaia: QN 419, AE 1
– São Sebastião: Quadra 101, AE s/nº, Administração Regional
– Sobradinho: Quadra 6, AE nº 3
– Taguatinga: AE nº 9 – Setor D Sul.

Outra opção para quem quer ajudar fazer a doação de cobertores e agasalhos diretamente para as instituições cadastradas no Conselho de Assistência Social (CAS-DF).

Mobilização de outros órgãos 

Nesta quinta-feira (19), para proteger a população em situação de vulnerabilidade, que não possui o vestuário adequado para a queda de temperatura, a Defesa Civil, Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) arrecadaram agasalhos, cobertores e roupas em geral.

As doações, que serão encaminhadas a moradores de rua, entidades assistenciais, hospitais e albergues, precisam estar em condições de uso e limpas. O cidadão deve colocar os itens em sacolas plásticas, preferencialmente transparentes, e entregar no ponto de coleta mais próximo.

A Defesa Civil e o CBMDF começam a receber doações na próxima segunda (23), com a campanha Agasalho Solidário 2022. Os itens devem ser levados ao Quartel Operacional do Corpo de Bombeiros e ao Centro de Capacitação Física e Academia de Bombeiros Militares – localizados no Setor Policial Sul (SPS) – e ao Quartel do Comando-Geral, no Setor de Administração Municipal (SAM), Quadra 2.

As doações também poderão ser deixadas nos batalhões da corporação localizados nas regiões administrativas. O foco da campanha é a arrecadação de agasalhos e cobertores, mas também estão sendo recebidos lençóis, roupas e calçados.

*Com informações da Sedes

Fonte: Agência Brasília

 

✨ Resumo da Semana! 

 

• Podas de árvores 1° Avenida na altura do SIG;

• Revitalização de trechos de calçadas na altura da QRSW 3 e 4;

• Limpeza da praça localizada na QMSW 02;

• Finalização da construção de recuo para lixeiras na SQSW 104;

• Reunião no 7° Batalhão PMDF com representantes do Conseg, SLU e 45° Grupamento de Bombeiros;

• Manutenção de canteiros;

• Instalação de placa de sinalização no estacionamento do 7° Batalhão;

• Reunião no DF Legal;

• Atendimento ao público na Administração Regional Sudoeste/Octogonal;

• Reunião no Colégio COC e Cassi;

• Foram recolhidos cerca de 6 caminhões de lixo verde na região;

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

✨Acompanhe a administração, acesse www.linktr.ee/admsudoesteoctogonal

Casacos, jaquetas, cachecóis, luvas e toucas… É assim que os moradores do Distrito Federal saíram de casa nesta quinta-feira (19), considerado o dia mais frio da história. Os termômetros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) marcaram mínima de 1,4ºC na estação meteorológica do Gama, devido ao avanço de uma massa polar que atinge o Sul, Sudoeste e Centro-Oeste do Brasil. O recorde anterior ocorreu em julho de 1975, quando o Plano Piloto registrou 1,6ºC.

Para proteger a população em situação de vulnerabilidade, que não possui o vestuário adequado para a queda de temperatura, a Defesa Civil, Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) arrecadam agasalhos, cobertores e roupas em geral. As doações, que serão encaminhadas para moradores de rua, entidades assistenciais, hospitais e albergues, precisam estar em condições de uso e limpas. O cidadão deve colocar os itens em sacolas plásticas, preferencialmente transparentes, e entregar no ponto de coleta mais próximo.

 

A Defesa Civil e o CBMDF começam a receber doações na próxima segunda-feira (23), com a Campanha Agasalho Solidário 2022. Os itens devem ser levados ao Quartel Operacional do Corpo de Bombeiros, Centro de Capacitação Física e Academia de Bombeiros Militares – localizados no Setor Policial Sul (SPS) – e ao Quartel do Comando Geral, no Setor de Administração Municipal (SAM), Quadra 2. As doações também poderão ser deixadas nos batalhões da corporação localizados nas regiões administrativas. O foco da campanha é a arrecadação de agasalhos e cobertores, mas também estão sendo recebidos lençóis, roupas e calçados.

Distribuição

Antes do início oficial da campanha, na quarta-feira (18) a Defesa Civil, por meio da Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil (Sudec), distribuiu 550 agasalhos e cobertores a pessoas em situação de rua que ficam às margens da pista de ligação L3-L4, Avenida L4, 910 Norte e Rodoviária do Plano Piloto. A entrega foi possível por meio de uma parceria com o Colégio Militar Dom Pedro II (CMDP II) e o CBMDF, que realizou uma campanha de arrecadação dos itens junto aos alunos da escola.

“Distribuímos para as pessoas que mais precisam. Às vezes a pessoa só tem um cobertor velho, é muito difícil. Também vamos aos locais indicados pela própria população”, conta o major Souza, da Defesa Civil. “Quem puder doar, que doe também. Carregue casacos e cobertores no carro para dar a alguém em situação de vulnerabilidade no caminho do trabalho ou de casa”, incentiva.

“A parceria da Segurança Pública ultrapassa as ações de policiamento qualificado para reduções criminais, que seguem em queda. Nossas ações são pensadas também de acordo com a necessidade da população. Com o retorno da Defesa Civil para nossa pasta, vamos intensificar essas ações, sempre que necessário”, ressalta o secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo.

 

Já na terça-feira (17), o comando do Colégio Militar Dom Pedro II deu início à campanha no ambiente escolar e a entrega foi possível já na noite de quarta-feira (18), como explica o comandante do CMDP II, tenente-coronel Thiago John. “Percebemos um engajamento muito grande dos alunos, que aceitaram esse desafio em tão pouco tempo. Havia uma necessidade de os alunos participarem da entrega, mas não seria possível, por conta da logística, pois seria necessário que os pais acompanhassem e não seria possível em tão pouco tempo. Mas podemos pensar numa próxima oportunidade.”

Após a arrecadação junto aos alunos, o comando do CMDPII solicitou à Sudec a entrega do material. “A entrega de agasalhos e cobertores às pessoas que estão em situação de rua é uma das nossas atribuições e tínhamos meios para essa distribuição. Esperamos contar com outras parcerias”, finaliza o subsecretário do Sistema de Defesa Civil, coronel Luciano Maximiano.

A Polícia Militar começou a coleta de agasalhos nesta quinta-feira (19). Quem quiser ajudar o próximo pode entregar os itens nos batalhões da corporação até 17 de junho. A ação é desenvolvida anualmente pelo Centro de Comunicação Social em junho, mas como o frio chegou antes do previsto, a campanha foi antecipada. Os donativos serão encaminhados para moradores de rua, entidades assistenciais, hospitais e albergues.

Proteção redobrada

As baixas temperaturas devem se manter até sábado (21), de acordo com a meteorologista Naiane Araújo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). “O frio intenso continua nesta sexta-feira, mas no sábado as temperaturas devem começar a aumentar gradativamente. No sábado, a mínima é prevista em torno de 5°C e a tarde deve ter máxima de 22°C graus. No domingo, a mínima sobe para 10°C e máxima para 25°C”, explica.

A infectologista Ana Helena Germoglio, da Secretaria de Saúde, alerta que, neste período, o organismo humano desenvolve mecanismos adaptativos para sobreviver à temperatura, como o aumento da produção de muco e a congestão nasal. “O corpo precisa manter o calor para evitar que fique tão frio dentro das vias aéreas. Por isso, muitas pessoas ficam com o nariz escorrendo ou entupido”, afirma.

“A gente pode ajudar o organismo mantendo a hidratação, bebendo bastante água e se agasalhando bem, principalmente as crianças e os idosos”, completa. E, como o frio aumenta a circulação de vírus, a orientação da especialista é evitar aglomerações e manter o uso de máscara de proteção facial.

A doméstica Amanda Kênia, 26 anos, se agasalhou corretamente para ir trabalhar nesta quinta-feira (19). Ela apostou na máscara facial, luvas, touca e um casaco reforçado. “Frio só é bom quando a gente está em casa, quentinho. Tenho nem roupa para isso, gosto mesmo é do calor”, diz.

Já a jornalista Carolina Sales, 34 anos, é apaixonada por temperaturas mais baixas. “Estou adorando esta época. Até comentei com meu esposo que já posso tirar todos os casacos do armário. Acho, inclusive, que as pessoas ficam mais elegantes”, afirma. Mãe de uma menina de 7 anos, ela revela que o único problema é acordar a filha de manhã cedo. “Ela só não foi para a escola de cobertor, mas estava agasalhada da cabeça aos pés”, completa.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Fonte: Agência Brasília 

Praticar uma atividade física tendo a natureza como companhia é um dos privilégios que o brasiliense encontra atualmente em 28 dos parques ecológicos abertos para visitação, que integram as 82 unidades de conservação existentes do Distrito Federal. Ainda este mês, o número subirá para 29, com a inauguração do Parque Ecológico Burle Marx, no Noroeste.

 

Cada uma dessas unidades conta com, pelo menos, 30% de área de preservação e o restante de espaço público para caminhadas, corridas, atividades de lazer e outros esportes. Nos locais, os frequentadores convivem com espécies típicas do cerrado e animais silvestres em áreas restritas que precisam ser conservadas, preservadas e até recuperadas.

“É muito importante que a população faça a distinção de um parque urbano de uma unidade de conservação. No parque ecológico, nós temos uma parte de conservação, que está ali para cumprir uma função ambiental, de fauna e flora, que vai dar saúde para a população”, explica a superintendente de Unidades de Conservação, Biodiversidade e Água do Brasília Ambiental, Rejane Pieratti.

Entre os parques, 16 têm estrutura com sede, vigilantes e agentes de parque – os chamados administradores. Dos 13 parques ainda sem agentes lotados, três possuem guaritas e os demais as terão em breve. As melhorias serão feitas por compensação ambiental pública e privada, cabendo ao Brasília Ambiental os trabalhos de reparo e recuperação.

Desde o início desta gestão do GDF, 19 unidades foram reformadas pelo projeto Reviva Parques, ação da Secretaria de Governo em parceria com o Brasília Ambiental e a Secretaria de Meio Ambiente (Sema). Os trabalhos estão sendo finalizados no Parque Ecológico Asa Sul, e o próximo a receber a ação é o Parque Ecológico do Gama.

Funcionamento

 

Com entrada franca, as unidades costumam funcionar de 6h até as 21h, a depender do parque. Desde o início da pandemia, o número de frequentadores aumentou. “A nossa visitação quase que dobrou [no período]. As pessoas passaram a ter essa necessidade de contato ao ar livre”, completa Rejane. Fechados apenas nas primeiras semanas da crise sanitária, os espaços foram alternativas para a população se exercitar e aproveitar momentos ao ar livre durante o período de medidas restritivas.

Segundo o agente do Parque Olhos d’Água, Edeon Vaz, a unidade de conservação, de 21 hectares, tem um uso intenso pela comunidade do Plano Piloto, principalmente os moradores do final da Asa Norte. Ele estima uma média de 900 a 1.000 visitantes por dia.

“Estamos sempre preocupados em oferecer aos visitantes as melhores condições. Esse é um atrativo para os frequentadores continuarem vindo aqui. Também temos uma comunidade muito consciente, que entende e conserva o espaço público”, afirma.

Após mais de dois anos sem frequentar a unidade, o casal Helena Bustamante e Leonardo Farias, ambos de 25 anos, teve uma segunda-feira diferente no Olhos d’Água. Passeando pela manhã, eles aproveitaram a área verde ao som de uma banda de chorinho. “A gente se sentou no meio da mata e ficou aproveitando a música”, conta Leonardo.

O aposentado Carlos Antunes, 63 anos, costuma caminhar e depois se exercitar no ponto de encontro comunitário (PEC) localizado na entrada do parque. Ele vem do Noroeste só para desfrutar da natureza do local. “Só o fato de não ter poluição, de poder respirar um ar puro, é ótimo. O parque é bom. No final de semana tem muita atividade”, afirma.

Confira abaixo, ou no site Eu amo Cerrado, as unidades de conservação abertas para visitação.

→ Parque Recreativo do Gama (Prainha)
→ Parque Ecológico do Gama
→ Parque Ecológico do Paranoá
→ Parque Ecológico dos Jequitibás (Sobradinho)
→ Parque Ecológico do Sucupira (Planaltina)
→ Parque Ecológico Ezechias Heringer (Guará II)
→ Parque Ecológico do Lago Norte
→ Parque Ecológico da Asa Sul
→ Parque Ecológico Olhos d’Água (Asa Norte)
→ Parque Ecológico Veredinha (Brazlândia)
→ Parque Ecológico do Cortado (Taguatinga)
→Parque Ecológico Águas Claras
→ Parque Ecológico Areal
→ Parque Ecológico Saburo Onoyama (Taguatinga)
→Parque Ecológico Três Meninas (Samambaia)
→ Parque Ecológico do Riacho Fundo
→Parque Ecológico do Tororó (Jardim Botânico)
→Parque Ecológico Península Sul (Lago Sul)
→Parque Ecológico das Garças (Lago Norte)
→Parque Distrital de São Sebastião
→ Parque Ecológico Santa Maria
→ Parque Distrital dos Pequizeiros (Planaltina)
→Parque Ecológico Anfiteatro Natural (Lago Sul)
→Arie do Bosque (Lago Sul)
→Parque Distrital das Copaíbas (Lago Sul)
→ Parque Ecológico do Varjão
→Parque Distrital Salto do Tororó (Santa Maria)
→ Parque Ecológico das Sucupiras (Sudoeste)
→ Parque Ecológico Burle Marx (Noroeste): a ser inaugurado em breve.

*Com informações do Brasília Ambiental

Fonte: Agência Brasília 

O Distrito Federal chega ao Dia Nacional da Doação de Leite Humano, comemorado nesta quinta-feira (19), com motivos de sobra para festejar. A capital do país consegue coletar, em média, 1.425 litros do alimento materno por mês, considerando os últimos três meses. O número fica bem perto dos 1.500 litros mensais que garantem a autossuficiência em estoque. Mais tranquilidade para as mães que não podem amamentar, mais saúde para os bebês.

“As mulheres do DF são muito solidárias”, celebra a neonatologista Miriam Santos, coordenadora de Políticas de Aleitamento Materno da Secretaria de Saúde. “Trabalhamos pela conscientização diária porque a todo momento surgem novas mães que podem doar e novas crianças que precisam de doação.”

A neonatologista conta que parte do trabalho de compreensão envolve mostrar que a doação de leite materno no DF é mais simples do que algumas mulheres acreditam. “Não é preciso ir até o banco de leite, tudo é feito no conforto do lar”, explica. “Também não focamos no volume arrecadado, qualquer quantidade é bem-vinda.”

Quando se trata de aleitamento, o Corpo de Bombeiros (CBMDF) atua como ponte entre as mães que desejam doar e as mães que dependem de doação. Faz 33 anos que a corporação mantém uma equipe nas ruas para fazer a coleta diária de leite materno em todo DF e no Entorno, sempre de segunda a sexta-feira.

Chefe dos programas sociais do CBMDF, a major Débora Gontijo conta que 11 duplas de bombeiros recolhem as doações de acordo com agenda determinada pela Secretaria de Saúde. “Os frascos do alimento congelado são transportados em caixa térmica direto para os bancos de leite”, comenta.

 

Saiba como doar

Toda mulher que está amamentando é uma doadora em potencial. E dividir a produção de leite com quem precisa é fácil. Basta entrar em contato pelo telefone 160 (opção 4) ou realizar o cadastro pelo site Eu Divido Meu Leite, da Secretaria de Saúde. A equipe do banco de leite mais próximo entrará em contato para marcar uma visita do Corpo de Bombeiros.

Os bombeiros levam um kit completo com máscara, touca e potes esterilizados. Assim que for coletado, o alimento deve ser armazenado no congelador. A mãe não precisa se preocupar em encher os recipientes de uma só vez. É só completar o frasco que está no congelador, com a ajuda de um copo de vidro, conforme o leite for retirado.

A doação precisa chegar a um banco de leite para ser pasteurizada em até 15 dias – o processo livra o alimento de germes e aumenta sua validade. Por isso, é importante que a mãe identifique os potes com a data da primeira coleta de cada um deles. Pasteurizado e congelado, o leite poderá ser usado em até seis meses.

Toda quarta-feira, a estudante Sarah Costa Souto Cabral, 20 anos, recebe uma dupla de bombeiros em sua casa, em Sobradinho. A produção de leite da jovem é maior do que o pequeno Bernardo, 3 meses, consegue mamar.

“A doação é superprática, recebo os frascos limpinhos, não me dá trabalho algum”, garante Sarah. “Conheço várias mães que tiveram dificuldade para amamentar. Meu leite, além de nutrir outras crianças, também é uma forma de amor e carinho”.

Fonte: Agência Brasília 

Chegou a vez das cidades conhecerem um pouco mais da sua população. Após a divulgação da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) 2021, da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), no último dia 9, no Palácio do Buriti, com a presença do governador Ibaneis Rocha, chegou a vez de cada uma das 33 regiões administrativas se informar sobre as características dos moradores, como idade, etnia, se possui ou não alguma deficiência, estado civil, aspectos das habitantes (dados separados das mulheres), entre outras. Além de características dos domicílios, entre os quais arranjos familiares, infraestrutura, atributos internos do lar, animais e indicadores sociais.

A partir desta quarta-feira (18), a Codeplan iniciará um ciclo de apresentações do raio-x das regiões do Distrito Federal. Serão sete encontros por Unidade de Planejamento Territorial (UPT), sendo uma por semana. As UPTs são subdivididas em Central (Plano Piloto, Candangolândia, Cruzeiro e Sudoeste/Octogonal), Central Adjacente 1 (Lago Norte, Lago Sul, Park Way e Varjão), Central Adjacente 2 (Águas Claras, Guará, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo, SCIA-Estrutural, SAI, Vicente Pires e Arniqueira), Oeste (Brazlândia, Ceilândia, Samambaia, Taguatinga e Sol Nascente/Pôr do Sol), Sul (Gama, Recanto das Emas, Riacho Fundo II e Santa Maria), Leste (Itapoã, Jardim Botânico, Paranoá e São Sebastião) e Norte (Fercal, Planaltina, Sobradinho e Sobradinho II).

A primeira apresentação da Pdad 2021 será às 10h, desta quarta-feira (18), na Administração Regional do Lago Sul, localizada na QI 11. Ela está inserida na UPT Central Adjacente 1, composta ainda pelas cidades do Lago Norte, Lago Sul, Park Way e Varjão.

Levantamento

Realizada a cada dois anos, a Pdad é a fonte principal de informação para a gestão governamental subsidiar políticas públicas eficazes. O estudo traz um diagnóstico completo de Brasília, tratando de temas para fornecer um retrato socioeconômico de suas 33 regiões administrativas.

Na edição de 2021, a pesquisa visitou mais de 30 mil domicílios, sua grande maioria em áreas urbanas, a fim de investigar aspectos demográficos, de migração, condições socioeconômicas, situações de trabalho e renda, entre outros, de modo a oferecer um amplo diagnóstico das atuais circunstâncias da cidade.

Como novidade, o estudo trouxe o questionário de identidade de gênero e orientação sexual para maiores de 18 anos, a existência de animais domésticos nos domicílios e questões relacionadas à insegurança alimentar.

*Com informações da Codeplan

Fonte: Agência Brasília

Recapeamento na SQSW 300!

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) realizou obra de recapeamento asfáltico de trechos dos estacionamentos localizados na SQSW 300, em frente aos blocos G e H.

Anteriormente, o asfalto dos estacionamentos estava prejudicado, ocasionando afundamento e problemas nas garagens subterrâneas dos respectivos blocos.

A Administração Regional do Sudoeste/Octogonal agradece aos órgãos do Governo do Distrito Federal pela viabilização da benfeitoria, e também pela parceria da prefeitura comunitária da quadra e dos síndicos dos blocos no suporte à ação realizada.

🔹 É o GDF em ação!

👩🏻‍💻 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, formalize por meio da Ouvidoria do GDF, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue 162.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

 

 

☃️ Campanha do Agasalho!

Vamos aquecer quem mais precisa?

Doe cobertores, agasalhos, meias e roupas de frio em geral.

Onde posso deixar minha doação?

📍Parque Bosque do Sudoeste
📍Administração Regional do Sudoeste/Octogonal

Contamos com a sua doação para ajudar pessoas em vulnerabilidade social.

📞 Para mais informações, entre em contato com a Administração Regional pelo telefone 3550-7026.

A rotina da estudante Ingryd Vitoria Santos, 16 anos, não falha. Todos os dias, a moradora do Recanto das Emas sai de casa e caminha até o ponto de encontro comunitário (PEC) da Quadra 103. Costuma sentar em um dos bancos do espaço para relaxar ou bater papo com os amigos. “Gosto de passar o tempo aqui, está tudo bem cuidado e limpinho”, conta.O Distrito Federal oferece 742 PECs para a população. Desse total, 200 foram instalados nos últimos três anos pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). Cada um dos espaços de convivência é equipado com 10 aparelhos de ginástica, pergolado e bancos.

 

De 2019 para cá, a região administrativa que ganhou mais PECs foi o Recanto das Emas, com nove instalações novas. O administrador da cidade, Wanderley Eres de Deus, comemora a marca: “Nossos moradores usam bastante esses espaços de convivência. Esperamos que a comunidade inclusive ajude a conservar esses pontos”.

De acordo com a engenheira Lorrayne Rodrigues de Souza, da Diretoria de Edificações da Novacap, a ideia é que a comunidade possa usar o local como uma praça e não só para realizar atividades físicas. “Colocamos os PECs mediante solicitação das administrações regionais”, observa. “Após receber o pedido, nossa equipe faz um estudo técnico para checar a viabilidade da instalação”.

A engenheira explica que a área precisa ser plana e não pode ter interferência de redes da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) ou da Companhia Energética de Brasília (CEB). “Além disso, deve ser um local de fácil acesso à comunidade”, detalha Lorrayne.Casos de vandalismo devem ser denunciados à própria administração regional da cidade ou às forças policiais locais. Além disso, a comunidade pode ajudar na preservação dos PECs mantendo os espaços limpos e usando os equipamentos de forma consciente.

Fonte: Agência Brasília

 

Última dia de Cultura nas Cidades!

No domingo (15), finalizamos os três dias de festividades do 19º aniversário do Sudoeste/Octogonal.

A noite foi regada a uma diversidade de apresentações musicais e culturais com o grupo Roda do Sudoca, a peça de teatro “A exceção e a regra” da Companhia da Ilusão, muito xote com o cantor Thal Matos e o músico Marcos Ramalho, e para finalizar cultura folclórica com o grupo Pellinsky.

O projeto Cultura nas Cidades é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa juntamente com o Instituto Cultural e Social do Distrito Federal e apoio das Administrações Regionais, que tem como objetivo levar arte e cultura do povo, para o povo.

Agradecemos a participação de todo o público que compareceu ao evento e se divertiu muito vivendo estes três dias mágicos no Parque Bosque do Sudoeste.

 

 Ontem foi dia de rock, bebê!

Não só de rock, mas tivemos um sábado (14) recheado de atrações para todas as idades no segundo dia de Cultura nas Cidades em comemoração ao 19º aniversário da cidade.

Pela manhã, contamos com uma oficina de perna de pau e um espetáculo circense da Trupe Raiz do Circo. Foi super divertido, as crianças – e adultos – se amarraram.

Já à noite, teve muita atração musical de blues e rock n roll com o cantor Marcius Cabral e as bandas Geriatric Blues Band e Clonning Stones.

Foi uma noite memorável! E hoje (15) tem mais! Vamos conferir a programação?

▪️Domingo (15)

17h – Roda do Sudoca (chorinho)

18h – Espetáculo A Exceção e a Regra, com Cia. da Ilusão e atores do NPMT (Núcleo de Pesquisa e Montagem Teatral)

19h – Thal Matos (música regional)

20h – Grupo Pellinsky (cultura popular)

21h30 – Encerramento
 

Resumo da Semana! 

 

• Manutenção de tampas de bueiro na quadra 6 do SIG;


 

• Podas de árvores nas quadras 101, 102, EPIG, 105,  304, 1ª avenida, QRSW 1

• Revitalização de trechos de calçadas na altura da QRSW 3 e 4;

• Colocação de areia na quadra do Parque Bosque e da SQSW 303;

• Nivelamento de calçada na CCSW 6;

• Finalização da construção de calçada na CLSW 105;

• Limpeza no Parque Bosque e na Praça das Motos;

• Continuidade no serviço de recapeamento da ciclovia do Parque Bosque;

• Reuniões na Secretaria de Educação, Secretaria de Esportes, Conseg, Governadoria e na CEB;

• Atendimento ao público

 

• Continuidade no serviço de pintura de meios-fios;

• Foram recolhidos cerca de 8 caminhões de lixo verde na região.

 

🤳 Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

 

✨ Acompanhe a administração, acesse www.linktr.ee/admsudoesteoctogonal

 

 

Ainda em comemoração pelo aniversário de 19 anos do Sudoeste/Octogonal, o Parque Bosque, da Região Administrativa, recebe uma programação recheada de atrações musicais e teatrais, de sexta-feira (13) a domingo (15). O evento gratuito conta com shows, oficinas de circo e peças de teatro. Do lado externo, comerciantes da cidade estarão vendendo comida aos interessados. A iniciativa faz parte do projeto Cultura nas Cidades, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec).

A atividade faz parte das celebrações dos 19 anos da Região Administrativa do Sudoeste, completados em 6 de maio. Uma semana depois, a programação de atividades para a população segue a todo vapor para trazer diversão para todos os públicos.

Para o gerente de cultura da Administração Regional do Sudoeste/Octogonal, Henrique Behr, o evento é importante também pela oportunidade dada aos artistas locais. “Será um grande palco para que esses artistas, de todos os nichos, possam realizar suas apresentações para a comunidade. Esse tipo de iniciativa reforça a cultura local e a valorização dos artistas, e também agrega ao desenvolvimento da região”, afirma.

Na sexta-feira, primeiro dia de celebração, a programação começa às 19h e conta com muito reggae, com show das bandas Dua Sol e Lua e Banda 2-Dub. Na manhã de sábado, o público terá uma oficina de perna de pau e um espetáculo com a Trupe Raiz do Circo, enquanto na parte da noite, a música será nos estilos de rock e blues. Para fechar o fim de semana, a partir de 17h de domingo, a variedade englobará chorinho, peça teatral, música regional e cultura popular. O encerramento está marcado para as 21h30.

Cultura nas Cidades

Aprovado em março deste ano, o projeto Cultura nas Cidades tem investimento de R$ 3,6 milhões e visa descentralizar a cultura no Distrito Federal e ampliar o alcance do acesso às políticas públicas, de modo que apoie as atividades culturais das Gerências de Cultura das regiões a fim de fomentar a cultura local.

A atividade deste fim de semana no Sudoeste é inteiramente desenvolvida pelo Cultura nas Cidades. A proposta é tentar levar o projeto no mês de aniversário das Regiões Administrativas.

Fonte: Correio Braziliense 

O Parque Bosque do Sudoeste vai receber, de sexta-feira (13) a domingo (15), programação musical e teatral pelo projeto Cultura nas Cidades, iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec). O evento integra as comemorações pelos 19 anos da Região Administrativa do Sudoeste/Octogonal, completados no último dia 6.

 

Além de shows, peças teatrais e oficina de circo, a festividade incluirá estandes de alimentação. Para o gerente de cultura da Administração Regional do Sudoeste/Octogonal, Henrique Behr, o Cultura nas Cidades tem grande importância na valorização dos artistas locais.

“Será um grande palco para que esses artistas de todos os nichos possam realizar suas apresentações para a  comunidade. Esse tipo de iniciativa reforça a cultura local e a valorização dos artistas, e também agrega ao desenvolvimento da região”, afirma.

Confira a programação:

Sexta-feira (13)
19h – Duo Sol e Lua (reggae)
20h – Banda 2-Dub (reggae eletrônico)

Sábado (14)
9h às 12h – Oficina de perna de pau e espetáculo com a Trupe Raiz do Circo
18h – Marcius Cabral (blues)
19h – Banda Geriatric Blues Band (blues e rock’n’roll)
20h – Banda Clonning Stones (rock’n’roll)

Domingo (15)
17h – Roda do Sudoca (chorinho)
18h – Espetáculo A Exceção e a Regra, com Cia. da Ilusão e atores do NPMT (Núcleo de Pesquisa e Montagem Teatral)
19h – Thal Matos (música regional)
20h – Grupo Pellinsky (cultura popular)
21h30 – Encerramento

Fonte: Agência Brasília

 

 Cultura nas Cidades traz shows no aniversário da região!

O primeiro dia de festividades em comemoração aos 19 anos da região no Parque Bosque do Sudoeste foi um sucesso.

Quem passou por ali, aproveitou muito os shows de reggae com o cantor Kadu Caetano da @solelua.original e a banda @2dubbrasil

E sábado e domingo tem mais programação para todos os estilos.

Vem conferir:

▪️Sábado (14)

9h às 12h – Oficina de perna de pau e espetáculo com a Trupe Raiz do Circo

18h – Marcius Cabral (blues)

19h – Banda Geriatric Blues Band (blues e rock’n’roll)

20h – Banda Clonning Stones (rock’n’roll)

▪️Domingo (15)

17h – Roda do Sudoca (chorinho)

18h – Espetáculo A Exceção e a Regra, com Cia. da Ilusão e atores do NPMT (Núcleo de Pesquisa e Montagem Teatral)

19h – Thal Matos (música regional)

20h – Grupo Pellinsky (cultura popular)

21h30 – Encerramento
 

Um debate movimentado, nesta terça-feira (10), reuniu três dos principais ‘tocadores’ de obras do governo: os secretários de Obras e Transporte e Mobilidade, Luciano Carvalho e Valter Casimiro, respectivamente, e o diretor-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER), Fauzi Nacfur. Eles dialogaram sobre mobilidade urbana e obras pelo DF com representantes da construção civil, a convite do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon).

Segundo Carvalho, a união de forças entre vários órgãos foi o que proporcionou os meios para se chegar ao número de 1.600 obras em andamento na capital. “Reunimos na atual gestão competência, coragem e unidade entre as pastas de governo. Executando diversas obras por todo o DF e deixando um legado de várias intervenções para os próximos quatro anos”, explicou o secretário de Obras.

le lembrou do Corredor Eixo Oeste, com seus cerca de 38 km de extensão, como uma das principais obras a favorecer a mobilidade no DF. “Trata-se de um corredor de ônibus que estamos implantando desde o Sol Nascente, passando pelo Túnel de Taguatinga, ESPM [Estrada Setor Policial Militar] até a Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) e que vai proporcionar conforto aos usuários do transporte coletivo”, explicou. E, citou ainda as obras de requalificação total da avenida Hélio Prates, que receberão um investimento de R$ 68 milhões do GDF.

Por sua vez, Casimiro detalhou algumas parcerias público-privadas (PPPs) que visam a ampliação do número de trens do metrô, que pode chegar a 40 equipamentos; e o resgate de parte do projeto do veículo leve sobre trilhos (VLT) que liga as W3 Sul e Norte.

“Esse tipo de obra costuma demorar mais, pois tem a avaliação prévia de ordens de controle, como o Tribunal de Contas. O objetivo é licitar ainda este ano os novos trens e dobrar a capacidade de transporte que o metrô tem”, disse o secretário de Transporte e Mobilidade.

O diretor-presidente do DER também pontuou soluções viárias que o departamento executa atualmente como o Túnel do Recanto das Emas/Riacho Fundo II e do Itapoã/Paranoá, que beneficiarão 90 mil e 30 mil motoristas, respectivamente. “Há quatro anos atrás, o nosso departamento não tinha qualquer obra na prateleira a ser realizada. Hoje, temos vários projetos prontos para serem licitados”, ressaltou Nacfur.

“Brasília é uma cidade de 62 anos que precisa muito da construção civil. Esse trabalho entre o conjunto governo e o privado na realização das obras, no conhecimento do cronograma de construções, é fundamental”, frisou o presidente do Sinduscon, Dionyzio Klavdianos, que mediou a discussão.

Um dos representantes da construção civil presentes, o empresário e engenheiro Juan Polit elogiou a iniciativa e garantiu que não deixará de participar dos próximos eventos. “Acho importantíssimo esse tipo de debate, pois temos um bom conhecimento do que está em andamento no DF para podermos participar das obras, criar mais empregos e contribuir com o desenvolvimento da cidade”, avaliou.

Fonte: Agência Brasília

 

 

Processo seletivo para mais 60 vagas na Escola Superior de Gestão

Inscrições podem ser feitas pela internet entre os dias 26 de maio e 7 de junho

Se você é servidor público efetivo e ainda não tem o curso superior, sua chance de conquistar o título de graduação pode ser agora. A Escola Superior de Gestão (ESG) abriu dois processos seletivos para oferecer 60 vagas no próximo semestre. Os cursos disponíveis são o de Tecnologia em Gestão Pública e, a grande novidade, o de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação. As inscrições podem ser feitas no site da ESG entre os dias 26 de maio e 7 de junho, sem qualquer taxa.

 

Para participar da seleção, o servidor precisa ser estável, estar em exercício e pertencer a uma das carreiras da administração. Para inscrição, o comitê de avaliação exige a proposta de intenção (redação presencial), o histórico escolar, comprovante de atuação do setor atual e o contracheque.

 

A diretora da ESG, Juliana Tolentino, explica que essa é uma oportunidade que o Governo do Distrito Federal (GDF) está oferecendo para aqueles que não tiveram a chance de seguir com os estudos superiores, principalmente por falta de recursos financeiros. “E para o GDF isso é fundamental, porque é um investimento que virá replicado em servidores mais bem preparados para atender o cidadão”, completa.

 

Segundo a diretora, todo o processo seletivo será publicado no site do órgão, com total transparência. “Os candidatos poderão acompanhar tudo por lá, inclusive apresentar recursos, caso haja algum questionamento”, diz, informando que no dia 20 de junho será divulgado o resultado preliminar.

 

Parceria

 

A oferta do curso superior de Tecnologia em Gestão Pública é uma parceria entre a ESG com a Universidade do Distrito Federal Professor Jorge Amaury Maia Nunes (UnDF). “Esses cursos são um marco para o DF e evidenciam a prioridade do governo local em expandir a política de educação superior pública gratuita e a formação dos servidores”, explica a reitora pro tempore da UnDF, Simone Benck.

 

De acordo com os editais, publicados no Diário Oficial desta segunda-feira (9), nas páginas 28 a 35, os certames vão garantir o atendimento às legislações que tratam das cotas. As regras atentam para a distribuição de 20% do total de vagas para pessoas negras; 40% para servidores que concluíram o ensino médio na rede pública de ensino; e 20% para pessoas com deficiência.

 

No cronograma estabelecido, após a divulgação dos selecionados e os prazos de recursos, a nova turma está prevista para iniciar as aulas presenciais no dia 20 de julho.

Calendário do Processo Seletivo

 

 

Inscrições

 

 

25/5 a 7/6

 

Realização da Proposta de Intenção (redação presencial)

 

Datas disponíveis:
30/5; 1/6; 3/6; 7/6; e 9/6

 

 

Divulgação do Resultado Preliminar

 

 

20/6

 

Divulgação do Resultado Final

 

 

28/6

 

Período de Matrículas

 

 

29/6 a 12/7

 

Divulgação de vagas remanescentes

 

 

13/7

 

Matrícula 2ª Chamada

 

 

14/7 a 20/7

 

Início das Aulas

 

 

20/7

SERVIÇO:

Inscrições: 25/5 a 7/6 pelo site da ESG
Mais informações: https://www.esg.df.gov.br/

 

Iniciada em 23 de fevereiro, a obra do viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) chegou a 25% de seu total. A construção, que vai mudar a rotina de aproximadamente 25 mil motoristas que passam pela via todos os dias, tem investimento de R$ 25 milhões e segue aproveitando o período de estiagem na capital para começar uma nova etapa: a escavação entre o Sudoeste e o Parque da Cidade.

 

Embora não seja uma obra de alta complexidade como o túnel de Taguatinga, o viaduto da Epig também utilizará máquinas vindas de São Paulo. Segundo o engenheiro da Secretaria de Obras responsável pela execução do contrato, Carlos Magno Rodrigues, será necessário trazer para o DF um guindaste que fará a colocação das placas de concreto do viaduto e uma máquina perfuratriz.

Segundo Carlos Magno, no momento a construção emprega 80 trabalhadores, mas a expectativa é que futuramente o viaduto tenha 100 pessoas no canteiro. A obra inclui ainda a construção de uma rede de drenagem e a expansão da lagoa de contenção do Parque da Cidade.

O viaduto vai eliminar a necessidade de semáforos na região. Os motoristas que trafegarem no sentido Plano Piloto e os que vão em direção à Estrada Parque Taguatinga (EPTG) passarão pelas duas pistas elevadas do viaduto. Por sua vez, os que fazem o trajeto Parque da Cidade-Sudoeste transitarão por baixo, utilizando uma pista que terá um declive de seis metros em relação ao terreno do local. A obra viária contará, ainda, com quatro tesourinhas, semelhantes às existentes no Eixão, que serão utilizadas para retorno.

O chefe de gabinete da Administração do Sudoeste/Octogonal, Marcos Antônio de Carvalho, também falou sobre a importância da obra viária: “A construção do viaduto da Epig irá desafogar o trânsito não só de quem mora na região, como também minimizar o tempo que as pessoas levam para se deslocar diariamente pela via do Corredor Eixo Oeste. A população vai ganhar mais qualidade de vida”, prevê.

Integração

O empresário Daniel Marques, morador do Sudoeste há 12 anos, diz que, além do benefício viário, os novos equipamentos podem servir para unir os moradores da Octogonal, do Cruzeiro e do Sudoeste. “Facilitando o acesso, pode haver uma maior integração entre os moradores das três localidades”, opina.

Outro morador da região administrativa que acredita que o viaduto vai servir para melhorar o fluxo do trânsito no Corredor Eixo Oeste é Marcelo Galimberti. “Vai facilitar o fluxo do trânsito e será positivo para quem sai do Sudoeste com destino à Asa Sul, via Parque da Cidade”, avalia.

Fonte: Agência Brasília

🌳 Intensificação no serviço de poda de árvores!

Equipes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) estão intensificando o serviço de podas de árvores por toda a região.

Nas últimas semanas, foram realizadas podas na 1ª e 4ª avenidas, na SQSW 102, marginal da EPIG na altura das quadras 101 e 102, SQSW e CLSW 103, entre outros locais.

Para solicitar poda de árvore em área pública, basta oficializar a demanda via Ouvidoria do GDF pelo telefone 162 ou pelo site www.ouv.df.gov.br

📲 Fale diretamente com a administração regional pelo telefone 3550-7026

A programação será em comemoração aos 19 anos da Região Administrativa

Nos dias 13, 14 e 15 de maio, será realizado o evento Cultura nas Cidades no Parque Bosque do Sudoeste em comemoração aos 19 anos da Região Administrativa do Sudoeste e da Octogonal. Com uma programação variada, a festividade trará para cidade shows, apresentações culturais e musicais totalmente gratuitas para todas as idades, além de muita comida boa.

Para o gerente de cultura da Administração Regional do Sudoeste/Octogona, Henrique Behr, o Cultura nas Cidades tem grande importância na valorização dos artistas locais. “Será um grande palco para que esses artistas de todos os nichos possam realizar suas apresentações para a comunidade. Esse tipo de iniciativa reforça a cultura local, e a valorização dos artistas, como também agrega ao desenvolvimento da região. “

O evento é uma iniciativa do projeto Cultura nas Cidades da Secretaria de Cultura e Economia Criativa que tem como objetivo apoiar as atividades culturais das Gerências de Cultura das regiões a fim de fomentar a cultura local. Confira a programação completa:

 

● Sexta-feira (13/05)  – 19h às 21h30

19h – Duo Sol e Lua – Reggae

20h – Banda 2-Dub – Reggae eletrônico

 

● Sábado (14/05) – 9h às 12h – 17h às 21h30

9h às 12h – Oficina de Perna de Pau e espetáculo – Trupe Raiz do Circo

18h – Marcius Cabral – Blues

19h – Banda Geriatric Blues Band – Blues e Rock’n’Roll

20h – Banda Clonning Stones – Rock’n’Roll

 

● Domingo (15/05) – 17h às 21h30

17h – Roda do Sudoca (Chorinho)

18h – Companhia da Ilusão e atores do NPMT – Núcleo de Pesquisa e Montagem Teatral Cia. Ilusão (Alberto) – Teatro (A exceção e a regra – B. Brecht)

19h – Thal Matos 20h – Grupo Pellinsky

21h30 – Encerramento

 

SERVIÇO Cultura nas Cidades – 19º aniversário do Sudoeste/Octogonal

🗓 Dias: 13, 14 e 15 de maio

⏰ Horários: conferir programação

📍Local: Parque Bosque do Sudoeste

🎟 Gratuito 

 

Ciclovia do Parque Bosque passa por reparos!

Equipes da Novacap estão no Parque Bosque do Sudoeste realizando o serviço de recapeamento da ciclovia.

Com uma área de 6.686 hectares, e um perímetro de 1.081 metros, o parque conta com pista de ciclovia de 900 metros.

Agradecemos ao Governo do Distrito Federal e à Novacap pelo pronto atendimento desta demanda dos frequentadores do parque.

 

 

 

 

 

As comemorações dos 19 anos da região não acabaram!

Nos dias 13, 14 e 15 de maio, preparamos uma programação pra lá de especial no Parque Bosque do Sudoeste para toda a família.

Teremos shows, apresentações culturais e musicais totalmente gratuitas. Além de muita comida boa.
 
O evento é uma iniciativa do projeto Cultura nas Cidades, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa que tem como objetivo  apoiar as atividades culturais das Gerências de Cultura das regiões e fomentar os artistas locais.

➡️ Arraste para o lado e confira a programação completa! 

Cultura nas Cidades – 19º aiversário do Sudoeste/Octogonal
🗓 Dias: 13, 14 e 15 de maio
⏰ Horários: conferir programação
📍Local: Parque Bosque do Sudoeste
Gratuito

Administração Regional do Sudoeste/Octogonal

Aniversário da região ganha Sessão Solene na CLDF

Na sexta-feira (06), foi realizada uma Sessão Solene na Câmara Legislativa do Distrito Federal em comemoração aos 19 anos do Sudoeste/Octogonal. Criada em maio de 2003, a região que, anteriormente, pertencia ao Cruzeiro, tornou-se uma Região Administrativa independente. Em 2019, o Setor de Indústrias Gráficas passou a fazer parte da RA.

Na oportunidade, o administrador regional, Júnior Vieira, assegurou que a missão da administração continua a mesma – servir à comunidade. “Quero que os senhores saibam que estaremos sempre disponíveis para servir à população. A administração regional estará sempre de portas abertas para atendê-los”, destacou.

Presidida pelo deputado distrital Reginaldo Sardinha, o parlamentar destacou as melhorias feitas nos últimos anos na região e a parceria entre os órgãos do Governo do Distrito Federal. “As melhorias realizadas no Sudoeste, Octogonal e SIG não seriam realidade sem o apoio da Administração Regional e Novacap, parceiros nessas ações em busca da melhor qualidade de vida da população.” O distrital também ressaltou a aproximação da sociedade ao poder público. “É uma satisfação imensa saber que vocês estão se integrando à realidade do setor público, pois só assim conseguiremos melhorar a região em que moramos”, finalizou.

Também estiveram presentes na sessão autoridades do 7º Batalhão da Polícia Militar do DF, 45º Grupamento do Corpo de Bombeiros Militar, Administração Regional do Cruzeiro, Conselho de Segurança Comunitária, representantes de quadra, do comércio, prefeituras, lideranças comunitárias e moradores. A solenidade contou ainda com uma linda apresentação de chorinho do Grupo Roda do Sudoca.

Cidade Sempre Limpa na região administrativa!

Nesta semana, o serviço de limpeza da região contou com a força do programa Cidade Sempre Limpa – GDF Presente.

Ao todo, as equipes da administração juntamente com o Polo Central recolheram cerca de 20 caminhões de lixo verde, que foram levados para a usina de reciclagem do Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

É o Governo do Distrito Federal em ação!

🤳 Tem alguma solicitação? Encaminhe via canais oficias da Ouvidoria do GDF pelo telefone 162 ou pelo site www.ouv.df.gov.br

📲 Para falar com a administração regional, ligue 3550-7026

É tempo de festa e celebração no Sudoeste/Octogonal, que completa 19 anos nesta sexta-feira. Mais de 54 mil pessoas habitam a região administrativa, segundo a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) de 2018. Destas, 52,9% são do sexo feminino, com idade média de 37 anos. A renda média mensal per capita é de R$ 7.131,40.

 

“O Sudoeste e a Octogonal são cidades excepcionais, com região arborizada, totalmente planejada, de fácil deslocamento. O contato direto que a administração tem com os moradores gera maior celeridade ao resolver as demandas da população”, diz o chefe do gabinete da administração do Sudoeste/Octogonal, Marcos Antônio de Carvalho.

O Governo do Distrito Federal (GDF) investiu na região administrativa para melhorar, ainda mais, a experiência dos moradores. “A administração está focando bastante na acessibilidade, demanda recorrente dos moradores, então damos ênfase a isso, seja construindo ou reformando calçadas e rampas por toda a região. Outro ponto importante é que, em breve, toda a Octogonal terá iluminação de LED, assim como o Sudoeste e o SIG. O viaduto da Epig também é um grande feito, que no governo Ibaneis Rocha está sendo executado e irá beneficiar vários motoristas”, comenta Carvalho.

Neste ano, a CEB Ipes instalou 267 novas luminárias de LED no Sudoeste. Foram 131 lâmpadas na CCSW 1 a 5 e 136 na SQSW 101, com investimento de cerca de R$ 215 mil. Houve também a construção de seis rampas de acessibilidade nas entradas das quadras SQSW 302 e SQSW 103, e na EQSW 301/302.Em 2021, foram instalados 20 papa-lixos do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) no Sudoeste e na Octogonal, com investimento de aproximadamente R$ 800 mil do GDF. No mesmo ano, foi entregue um espaço público totalmente reformado, com renovação da quadra poliesportiva, bancos e mesas de concreto, além do parquinho infantil, beneficiando cerca de 15 mil moradores do bairro. Já em 2020, foram feitos reparos em 1,5 km do calçadão do Setor de Habitações Coletivas – Áreas Octogonais Sul (AOS), com R$ 250 mil de verba parlamentar.

Carinho dos moradores

A história da RA começa na década de 1980, com a idealização do Setor Sudoeste pelo urbanista Lucio Costa no documento Brasília Revisitada. No mesmo período, foram implantadas as Áreas Octogonais, com oito quadras organizadas em condomínios fechados. Até então, os setores eram parte do Cruzeiro. Tudo mudou em 2003, quando criou-se a região administrativa Sudoeste/Octogonal, pela Lei nº 3.153. Em 2019, também foi incluído o Setor de Indústrias Gráficas (SIG).

A secretária executiva Deborah Leitão, 60 anos, chegou ao Sudoeste antes mesmo de a cidade ser inaugurada como região administrativa, em 1998. Ela, que nasceu em Natal, no Rio Grande do Norte, se apaixonou pelas características do bairro e logo firmou morada. “O Sudoeste é um dos melhores lugares do DF. Como fica bem centralizado no Plano Piloto, temos muita mobilidade e acessibilidade. Eu mesma vendi meu carro há cinco anos e faço tudo de bicicleta. O comércio também é muito bom, tem tudo aqui”, conta ela.

 

Já o chaveiro Rodrigo Dias, 34 anos, se mudou para o Sudoeste há apenas seis meses com a esposa e o filho de 3 anos. Ele assumiu o empreendimento do tio, que atende moradores do Sudoeste há 12 anos. “É um ambiente bem tranquilo, espero morar aqui por muito tempo. Mesmo à noite, me sinto seguro”, afirma.

Por sua vez, Zisalva Fonseca de Lima, 70 anos, é apaixonada pela Octogonal. Na cidade desde 1996, ela trabalhou como síndica, prefeita e, agora, atua como administradora de um dos condomínios. “É um paraíso morar aqui, a lista de qualidades é enorme. Temos segurança, ambientes arborizados, conseguimos chegar a qualquer outro local do DF com pouco esforço”, celebra a brasiliense, que também é diretora comunitária do Conselho Comunitário de Segurança Pública do Sudoeste/Octogonal.

Fonte: Agência Brasília 

Equipes do SLU nas ruas!

Uma força-tarefa do Serviço de Limpeza Urbana (@slu.df ) está na cidade realizando diversos serviços como pintura de meios-fios, frisagem, capina e limpeza nas principais vias da região.

A solicitação dos serviços é feita exclusivamente via canais oficiais da ouvidoria:

👩🏻‍💻www.ouv.df.gov.br
☎️ Telefone: 162
🏠 Presencialmente na ouvidoria da Administração Regional do Sudoeste/Octogonal.

 

 

 

Roçagem de gramados em áreas públicas!

Diariamente, equipes terceirizadas da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (@novacapoficial ) realizam o serviço de roçagem de gramados em diversas regiões do Distrito Federal.

A execução do serviço é feita em etapas. Primeiramente, o corte é realizado por tratores e depois com a roçadeira manual para fazer o acabamento em volta das árvores, nas proximidades de calçadas e meios-fios.

🚫 Não são realizados serviços de manutenção de áreas verdes, corte de grama e de roçagem de vegetação espontânea e limpezas em áreas particulares.

Para solicitar o serviço em área pública, basta registrar a solicitação pelos canais oficiais da ouvidoria, telefone 162, pelo site www.ouv.df.gov.br.

☎️ Mais informações, entre em contato diretamente com a Administração Regional do Sudoeste/Octogonal pelo telefone 3550-7026.

A invasão de formigas tem assustado os moradores de Brasília. Na Asa Sul, há registros de formigueiros dentro de esgotos, em lixeiras e nas calçadas. Na Asa Norte, os insetos também estão espalhados nas áreas verdes de diversas quadras A Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) admite um aumento na quantidade de insetos e diz que o departamento de Parques e Jardins "trabalha diariamente no controle de formigueiros". A companhia informou que prepara um edital de licitação para conseguir atender a demanda no Distrito Federal, "que é grande", nesta terça-feira (3), as equipes trabalharam para eliminar formigueiros na Asa Sul, no Sudoeste, na Octogonal e no Cruzeiro.

 

O porteiro Gimadalbérico Antônio da Silva trabalha na 408 Sul há 31 anos. Ele conta que o síndico do prédio contratou uma empresa de dedetização três vezes, mas não foi suficiente para controlar a infestação de formigas.

Segundo o porteiro, os insetos invadiram não só a quadra 408. Gimadalbérico conta que os insetos também tomaram conta da 407 Sul e da 208 Sul. Na via L2 Sul, também é fácil encontrar formigueiros nos gramados.O biólogo Luiz Lira, especialista em insetos, explica que os formigueiros surgem depois das chuvas, "quando as formigas saem pra revoada, pra geração de novos formigueiros". Mas, segundo ele "cada caso deve ser avaliado".

Segundo Lira, as formigas tem muito mais "importâncias do que desimportâncias". Ele lembra que os insetos trabalham na aeração do solo, na ciclagem de nutrientes, na dispersão de sementes e também no controle de algumas pragas.

O entomólago conta ainda que muitos formigueiros são subterrâneos, com grandes túneis e câmaras. "Então, aquilo que você vê do formigueiro, a olho nu, saiba que é muito maior o que tá pelo subterrâneo", alerta.

Em Brasília, muitos moradores se queixam das picadas – nos humanos e também nos animais, principalmente os cães que são levados pelos tutores que moram nos apartamentos do Plano Piloto para passear nas áreas verdes.

A estudante Yasmin Paes é uma das que já foram mordidas enquanto caminhava. "Nossa, dá um ardido assim, muito ruim", diz ela.

O biólogo Luiz Lira aponta que algumas espécies de formigas podem causar desconforto porque têm mandíbulas muito fortes, que podem provocar cortes e pequenos sangramentos. Outras, lembra ele, possuem ferrão.

Mas, conforme o especialista em insetos, "a não ser que a pessoa seja muito alérgica, a indicação é lavar o machucado com água corrente e sabão". Diferentemente das abelhas, as formigas não deixam ferrão na pele das suas vítimas.

No entanto, se algum processo alérgico for percebido, o biólogo alerta que é importante procurar por ajuda médica.

Fonte: G1

O programa tem como objetivo levar treinamento às equipes das Administrações que executam serviços de tapa-buraco.

 

Visando garantir eficiência no trabalho realizado nas ruas e proporcionar segurança aos motoristas que trafegam nas vias da nossa Capital, a Novacap, por meio das equipes da Divisão de Manutenção e Conservação de Vias – DIMAV, lançou hoje (28) o Programa Mão na Massa.

 

Formado por três equipes, o Programa atuará com 30 profissionais da DIMAV fornecendo treinamento às equipes das Administrações Regionais, quanto à forma correta de se realizar a operação tapa-buraco nas cidades.

 

“Esses treinamentos irão aperfeiçoar a qualidade dos trabalhos de tapa-buraco, garantindo mais segurança e qualidade de vida a população do Distrito Federal”, destacou o presidente da Novacap, Fernando Leite.

 

Presente no evento, o secretário de governo do DF, José Humberto, destacou a importância do programa para o Distrito Federal “ Precisamos de qualidade na execução dos serviços e acabar com o retrabalho. Nossa cidade precisa estar constantemente bem cuidada e impecável”.

 

Os treinamentos serão realizados em todas as Regiões Administrativas e os locais serão definidos em discussão conjunta com as Administrações Regionais, priorizando o critério de urgência de cada cidade. A primeira cidade a receber o Programa será Ceilândia.

 

“A capacitação nos leva ao aprimoramento da mão de obra e agrega mais qualidade nas entregas. Iniciaremos os trabalhos na Ceilândia, local que tem maior concentração de demandas”, afirmou a chefe da DIMAV, Walquiria Marra Rodrigues.

 

Segurança ao trafegar pelas vias do DF

 

Os serviços de tapa-buraco são realizados durante todo o ano, no Distrito Federal.

 

De 2019 até abril deste ano (2022), a Usina da Novacap produziu cerca de 120 mil toneladas de concreto betuminoso usinado a quente. O equivalente a quase 8 mil caminhões trucados de asfalto.

Esse volume foi utilizado para que a Novacap, e outros órgãos como Administrações Regionais, DER e Governo Federal, realizassem obras e manutenção nas Vias do DF.

 

Atendimento expresso

 

Além do fornecimento da massa asfáltica, a Novacap também realiza o Atendimento Expresso, um serviço de tapa-buraco em caráter emergencial que é realizado em locais específicos de grande circulação (e que emitem maiores riscos de acidentes) como vias comerciais, setores hospitalares, setores bancários, entre outros.

 

Este é um atendimento realizado com equipamentos diferenciados, uma vez que esses locais geralmente não tem acesso para caminhões e compactadores.

 

Passo a passo do tapa – buraco

 

SINALIZAR para que os condutores desviem de onde o reparo será feito;

 

DEMARCAR a área que será preparada para receber o reparo;

 

RECORTAR as bordas do buraco. Elas deverão ser recortadas alcançando as trincas;

 

LIMPAR e retirar todo o material fino, para que a massa tenha aderência quando aplicada;

 

APLICAR a pintura de ligação, emulsão que liga o asfalto antigo ao novo;

 

APLICAR concreto betuminoso usinado a quente;

 

COMPACTAR toda a área com rolo compactador, liso vibratório, para que tudo fique homogêneo.

 

Fonte: Novacap

 

 

O material traz informações sobre o direito à saúde, garantido pela  Constituição Federal, o papel do Sistema Único de Saúde (SUS) e a atuação da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) na defesa desse direito.

Focada em esclarecer as principais dúvidas e dificuldades da população no que diz respeito ao acesso à saúde pública, a Cartilha da Saúde, elaborada pela Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) por meio da Escola de Assistência Jurídica (Easjur), está disponível gratuitamente, abordando aspectos como a atuação da DPDF na garantia do direito à saúde.

O material é dividido em 13 capítulos, atendendo desde dúvidas específicas até as mais abrangentes, com uma linguagem simples e acessível a toda a população, sob a autoria do Defensor Público Danniel Vargas de Siqueira Campos.

Ao longo da cartilha, os leitores podem compreender a atuação da Defensoria Pública e o papel do seu Núcleo de Assistência Jurídica de Defesa da Saúde, o que diz a Constituição Federal sobre este direito fundamental, como funciona o SUS e qual é a sua estrutura, o que é o disque saúde, além de trazer informações relevantes, como: locais e serviços das unidades de saúde do Distrito Federal e instruções sobre como registrar reclamações, elogios e solicitações de serviços da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

A atuação da DPDF no âmbito da saúde é de extrema relevância para a facilitação do acesso à saúde pública, por isso, o conteúdo da cartilha é abrangente e permite adquirir conhecimento a respeito de outros tópicos diversos, como expressões comuns no universo da saúde pública através do glossário da saúde presente na cartilha, proximidade com o aplicativo Conecte SUS, que permite ao usuário do sistema de saúde pública o check-up de serviços e informações de maneira mais rápida e o telefone de contato/atuação do Disque Saúde.

A Easjur incentiva e promove atividades em busca de promover a educação em direitos e a inclusão social, informando e conscientizando a população sobre os seus direitos e deveres. Nesse sentido, a cartilha pertence ao conjunto de materiais educativos elaborados pela Easjur, que incluem conteúdos online, cursos e protocolos de atuação.Cartilha-da-Saude-Aprovada

Fonte: Defensoria Pública Distrito Federal

O Distrito Federal conta com mais de 100 espécies diferentes de árvores. Só no Plano Piloto, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) contabiliza mais de 1,5 milhão. Essa vasta arborização da cidade tem muitos benefícios, mas também causa algumas adversidades, corrigidas com as podas. A retirada de galhos mortos tem o objetivo de reduzir riscos, aumentar a penetração de luz e liberar a passagem de pedestres nas vias.

Desde a publicação do Decreto nº 39.469/2018, a manutenção da arborização do DF é de responsabilidade da Novacap, que faz as podas a partir de um contrato com cinco empresas selecionadas por meio de pregão eletrônico.

Ao todo, são 40 equipes, compostas por operadores de motosserra e motopoda, auxiliares de limpeza, técnico agrícola, engenheiros e encarregado de equipe, totalizando mais de 500 funcionários. Eles atuam em ações feitas nas 33 regiões administrativas subdivididas em dez áreas.

Intervenção

O serviço funciona tanto para atender demandas da população feitas pela Ouvidoria (por meio do telefone 162) e das administrações regionais quanto a partir das próprias vistorias preventivas da Novacap. “Fazemos uma avaliação e, se for necessário, a intervenção é feita de forma técnica e partindo do princípio de interferência mínima”, explica o chefe do Departamento de Parques e Jardins da Novacap, Raimundo Silva.

A avaliação consiste na análise da saúde da árvore, conferindo se há situações como rachaduras no tronco e fungo na base, e também nos riscos para a comunidade, como a queda de galhos. “A questão da poda é muito difícil. Alguns querem um maior tipo de intervenção e outros, não. Seguimos um padrão. Toda poda nossa tem uma triagem, em que o técnico vai ao local e analisa o grau de necessidade do atendimento”, afirma.

Em 2021, a Novacap realizou 103 mil intervenções desse tipo, e 10 mil árvores que ofereciam risco à população foram erradicadas. “Noventa por cento das árvores que retiramos e que caem não são da Novacap. São plantadas por terceiros com espaçamento errado, espécies que não se adaptam ao DF ou próximo a estacionamentos – o que resulta em queda e na necessidade de intervenções”, completa.

Até por isso, o órgão orienta a população a não plantar em área pública. O plantio e a manutenção da arborização devem ser feitos apenas pela Novacap. “Também é importante frisar que a população não é autorizada a fazer poda nem a contratar empresas terceirizadas para o serviço em área verde pública”, acrescenta Raimundo Silva. A Novacap não faz o recolhimento de poda, galhadas e resíduos de jardinagem que não tenham sido realizados pela companhia.

 

Atuação

Diariamente, as equipes circulam pelo Distrito Federal para garantir que o serviço seja feito. Nos últimos dias, a região do Sudoeste, mais especificamente as áreas verdes nas proximidades das quadras 101 e 102, contaram com a retirada de galhos que estavam atrapalhando a circulação nas ciclovias e calçadas ou adentrando as vias.

A diarista Antônia Ramos, 62 anos, anda a pé na região e comemorou o serviço. “Acho legal a poda. Estava cheio de árvores baixas por aqui. Com certeza vai melhorar para quem anda por essas áreas”, ressalta.

Elaine Cristina dos Santos, 32 anos, é cabeleireira e concorda. “Costumo andar por aqui e sempre achei arborizado. Apesar de gostarmos das árvores, às vezes há necessidade da poda, porque os galhos ficam frágeis e podem causar acidentes. Então, acho muito importante”, diz.

Além das ações executadas pela Novacap, o corte ou a erradicação da árvore podem ser feitos em situações emergenciais pelo Corpo de Bombeiros ou ainda pela Neoenergia, nos casos em que a vegetação coloca em risco o fornecimento de energia.

“O Corpo de Bombeiros atua somente quando a árvore apresenta um potencial iminente de queda ameaçando algum patrimônio ou vidas, ou no caso de obstrução de vias”, afirma o capitão Fábio Bohle, do Corpo de Bombeiros.

Essas ações costumam ocorrer, principalmente, após fortes chuvas. “Como Brasília tem vários locais com arborização antiga e algumas com saúde debilitada, existe a queda de árvores em cima de veículos, casas e obstruindo as vias públicas. Nesse caso, pode ser acionado o 193”, complementa o capitão. De outubro de 2021 a fevereiro de 2022, os bombeiros atenderam 236 ocorrências relacionadas a quedas de árvores.

No caso de situações em área privada, o morador deve pedir autorização para a administração regional para contratar uma empresa para realizar o serviço. Na área pública, a população deve fazer a solicitação pela Ouvidoria, no número 162.

Fonte: Agência Brasília 

O Comitê Brasília Recicla, realizou nesta sexta-feira (29) a primeira reunião aberta à sociedade civil para apresentar suas ações, ouvir as demandas da comunidade e buscar contribuições nas ações de educação ambiental e comunicação em prol das práticas de reciclagem. O encontro foi em formato híbrido, com participação presencial no auditório da Adasa e pela plataforma Microsoft Teams.

A reunião contou com público diversificado, desde empresários do setor, sindicatos, associações, conselhos comunitários e cidadãos sem vínculos com organizações. Todos manifestaram apoio ao projeto. Entre as reivindicações apresentadas, a maioria foi no sentido de realização de campanhas publicitárias de massa sobre a coleta seletiva, maior rigor na fiscalização e punição daqueles que não cumprem as regras.

O coordenador adjunto da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES-DF), Pedro Alves Duarte, afirmou que a entidade está disponível para contribuir com o comitê. Ele elogiou a inclusão da sociedade civil e ressaltou que coleta seletiva sem mobilização e sem educação ambiental não se efetiva. “Sem um trabalho estruturado e o mais amplo possível, não vamos avançar tanto quanto gostaríamos”, observou.

O representante da Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Federação das Indústrias do DF (Fibra), Antonio Carlos Navarro, manifestou o interesse da entidade em participar do comitê e defendeu a ampliação da geração do volume de recicláveis, como forma de atrair indústrias de reciclagem para o DF.

Metas

Presentes na abertura do evento, o secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho anunciou o crescimento das metas previstas do Plano Distrital de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, o PDGIRS, e a celebração de novos contratos com cooperativas de catadores para o sistema de coleta seletiva inclusiva.

“O DF, em 2020, recuperou um total de 18.199 toneladas de resíduos domiciliares e saltou para 35.735 toneladas em 2021. Um aumento de 97% dos indicadores de reciclagem de resíduos domiciliares no DF. O governo, por meio do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), celebrará 21 novos contratos de coleta seletiva inclusiva, visando atender 23 regiões administrativas, com um investimento que supera 17 milhões de reais”, informou.

Ele destacou, ainda, que a estratégia do GDF é priorizar a contratação para a coleta seletiva de cooperativas de catadores que possuem índice de aproveitamento de 87% do material coletado.

Objetivos

O Comitê Brasília Recicla foi criado em 2020 no âmbito do GDF para promover a educação ambiental e ampliar a comunicação em prol das práticas de coleta seletiva e reciclagem de resíduos sólidos.

“Precisamos fazer a revolução, pois quando se fala dos serviços prestados na gestão de resíduos poucos estão sabendo e muitos desacreditando que eles funcionam. A gente só vai conseguir provocar essa mudança de mentalidade com o envolvimento no processo. Por isso o comitê está abrindo a participação para a sociedade civil”, afirmou a gerente de Implementação da Política de Resíduos da Sema, Maria Fernanda Teixeira.

Ela ressaltou que, sem a sociedade cumprindo seu papel, as mudanças ficam comprometidas. “O serviço de gestão de resíduos depende 90% da participação da população. De nada adianta o governo prestar um serviço de coleta seletiva, coleta convencional, contratar cooperativas, construir instalações para que esses catadores trabalhem com dignidade, se a população não acreditar e não se envolver. Precisamos sair desse círculo vicioso e queremos a ajuda das pessoas para isso”, afirmou.

Ela pediu a participação das universidades, escolas, sindicatos e associações, comércio, organizações de catadores de materiais recicláveis e de todos que se sintam aptos a contribuir com a redução da geração de resíduos para que receba tratamento adequado.

Sociedade civil

Elisa Lima, do Conselho Comunitário do Sudoeste, pediu mais fiscalização nos contêineres do comércio local, alertou sobre o vandalismo nos papa-lixo pelos catadores de rua e se colocou à disposição para divulgação do trabalho junto as escolas, igrejas e no comércio.

Moradora do Lago Sul, Célia Sancler também participou da reunião. “Vim conferir o que estão fazendo e aprender mais para aplicar em casa. Sempre tive o cuidado com o descarte dos resíduos domésticos. Todo mundo precisa aprender que lixo seco é diferente de orgânico e é preciso separar e dar o destino certo”, defendeu.

Para Heloisa Prates Doyle, da Associação dos Moradores da QI 17 e da SMDB 1, 2 e 3 do Lago Sul, o que falta é uma campanha de educação de massa similar à realizada para o uso da faixa de pedestre. “Tem que ter uma campanha que seja realmente forte, mostrando tratamento do lixo é realmente importante”, defendeu.

O diretor comercial da Novo Rio Ambiental, Maurício Gomes, elogiou a iniciativa do comitê para o sucesso da destinação adequada dos resíduos. “Como empresários, temos a responsabilidade de passar nosso conhecimento para contribuir com esse projeto.”

O Comitê Brasília Recicla é composto por representantes da Sema, Secretarias de Comunicação, Educação, DF Legal e da Agricultura. E também Emater, SLU, Adasa e Instituto Brasília Ambiental.

*Com informações da Secretaria de Meio Ambiente do DF

Fonte: Agência Brasília

As obras de ampliação da bacia de contenção do Parque da Cidade, na área da 912/913 Sul, foram concluídas. Com o término dos trabalhos, o reservatório teve a capacidade ampliada para 200 mil m³ – antes o volume era de 100 mil m³. O investimento foi de R$ 2,4 milhões.

 

A intervenção consistiu na escavação de 113.717,71 m³, execução de 570,26 m² de área de gabiões (espécie de muro flexível e drenante, que ajuda a  evitar desabamentos) e plantação de 5.073,82 m² de área de grama. Também foram incluídas 289 unidades de cerca viva plantada.

A obra está associada à construção do viaduto da Estrada Parque e Indústrias Gráficas (Epig) e tem o objetivo de aumentar a capacidade da bacia atendendo o sistema de drenagem do Sudoeste, do Setor de Indústrias Gráficas (SIG) e do final da Asa Sul, das quadras 13 a 16.

“Essa obra foi uma exigência do Iphan [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional] para que fosse possível tirar do papel o viaduto da Epig. Era necessário ampliar o sistema da rede de drenagem. Foi a ampliação da capacidade da lagoa”, explica o secretário de Obras, Luciano Carvalho.

Os serviços foram executados pela TVA Construção Eirelli. Ao todo, foram gerados 50 empregos diretos.

As obras integram o projeto do Corredor Eixo Oeste, que prevê o alargamento de pistas e a construção de faixas exclusivas nas principais vias de ligação do Sol Nascente com o Plano Piloto, como a Avenida Hélio Prates, a Epig e a Estrada Parque Polícia Militar (ESPM), que leva ao Terminal da Asa Sul.

Fonte: Agência Brasília

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) realizou, na manhã desta sexta-feira (29), mais uma Operação DF Livre de Carcaças, que visa eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti e contribuir com a segurança da população local. Dessa vez, a ação retirou seis veículos abandonados no Cruzeiro e no Sudoeste. Em ações anteriores, foram recolhidos nove automóveis no Cruzeiro e dez no Sudoeste.

A operação é feita por meio do mapeamento das regiões e da identificação de veículos abandonados. O material retirado é identificado, principalmente, por denúncias enviadas ao e-mail conseg@ssp.df.gov.br, pela comunidade local, por membros das administrações regionais e representantes dos Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs).

O intuito da ação é, também, promover saúde e bem-estar às comunidades. “A Secretaria de Segurança Pública atua para melhorar a qualidade de vida da população de todo o DF”, destaca o coordenador de Consegs da SSP-DF, Marcelo Batista. Ele explica que “basta enviar um e-mail descrevendo a situação da carcaça, incluindo fotografias”.O acúmulo de água e o depósito irregular de lixo são dois dos critérios para o recolhimento do automóvel abandonado. Mas não são só esses problemas, segundo o síndico da Quadra 703 do Cruzeiro, Paulo Cézar. “Estamos aliviados por essa ação aqui na região hoje, pois os veículos estavam servindo de moradia para pessoas em situação de rua, ocupavam vagas e, também, eram depósitos de ratos e bichos peçonhentos. É um excelente trabalho da SSP”, afirma ele.

Iniciada em fevereiro de 2020, sob coordenação da SSP-DF, a ação itinerante já retirou 860 carcaças abandonadas em áreas públicas de 23 regiões administrativas do DF. A operação é realizada em parceria com as secretarias de Governo e de Políticas Públicas, DF Legal, Departamento de Trânsito (Detran-DF), Polícia Militar (PMDF), Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), Secretaria de Saúde (SES) e Novacap.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Fonte: Agência Brasília

O time de futebol feminino da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) promove, nesta sexta-feira (29), às 8h30, a campanha de doação de sangue Jogadora Sangue Bom. Ao todo, 15 atletas irão ao Hemocentro de Brasília para realizar a ação.

O objetivo é incentivar a população a doar para contribuir com os estoques do banco de sangue na capital. A PMDF é parceira do Hemocentro e, com frequência, incentiva os militares a participarem de campanhas da instituição.

“Esta é a primeira vez que nosso time realiza uma campanha como esta. Estamos treinando bastante e participando de diversas campanhas para dar visibilidade ao futebol feminino. Em julho deste ano, vamos participar de um campeonato mundial, o World Police and Fire Games, de que participam bombeiros e policiais de todo o mundo, na Holanda. Dessa forma, aproveitamos este momento para realizar também uma boa ação, já que soubemos que os estoques de sangue estavam baixos”, explica a coordenadora do time, tenente Hellen Sene.

 

Forças de segurança

Do início de 2021 até agora, as forças de segurança do Distrito Federal promoveram 19 campanhas de doação de sangue junto ao Hemocentro de Brasília que resultaram em 276 voluntários.

Para a chefe da Subseção de Captação de Doadores da Fundação Hemocentro de Brasília, Ana Gabriela Fernandes, a ação é essencial para o abastecimento dos bancos de sangue. “Desde o momento em que a pandemia se instaurou, ficamos surpreendidos com a quantidade de instituições militares que, generosa e voluntariamente, nos procuraram para marcar doações em grupo. Sem dúvida, as forças de segurança do DF foram essenciais no abastecimento de nossos estoques e responsáveis pela recuperação de dezenas de pacientes. Nós do Hemocentro agradecemos por essa parceria tão bem-sucedida e estaremos sempre à disposição para novas ações.”

Time

O time de futebol feminino da PMDF foi criado em 2015. Policiais apaixonadas pelo esporte se juntaram e iniciaram as tratativas, em busca de um técnico e outros atletas para composição do grupo. Um dos objetivos do time é participar do World Police and Fire Games, promovido a cada dois anos em um país diferente, e de campeonatos no Distrito Federal.

Os treinos ocorrem no 7º Batalhão, da PMDF, localizado no Sudoeste, nas proximidades do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), às terças e quintas, das 19h30 às 21h30.

As policiais que tenham aptidão para esse esporte podem comparecer ao treino para avaliação do técnico. Os treinos e a rotina das jogadoras estão disponíveis para visualização no Instagram da PMDF.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Fonte: Agência Brasília

Tem como objetivo promover a Educação Ambiental e a Comunicação em prol das práticas de coleta seletiva e reciclagem de resíduos sólidos no DF.

 

Se você ou a sua instituição podem contribuir com o Comitê nesta missão, participe desta reunião!

 

INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 28/04/2022

 

REUNIÃO: Dia 29/04/2022 às 9h
Evento híbrido

 

Presencial (número limitado de participantes): Auditório da ADASA (SAIN, Estação Rodoferroviária de Brasília, Ala Norte).

 

Virtual: via Microsoft Teams (o link será enviado para os inscritos por e-mail no dia do evento)

Fonte: SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE DO DISTRITO FEDERAL

 

 

 

A Câmara Legislativa realizou nesta terça-feira (26/4) uma audiência pública para debater a estruturação do Parque Urbano da Octogonal. A criação do parque no lote 4, na entrequadra 3/8 das Áreas Octogonais é prevista pela lei 6.997, de autoria do deputado Reginaldo Sardinha (PL). A audiência foi presidida pelo autor da lei e contou com a participação de diversos moradores da região e da administradora do Sudoeste e da Octogonal, Walkiria de Freitas.

Conforme Reginaldo Sardinha, a implementação de um parque na região já era um anseio da população local. “A proposta de criação do parque atende uma demanda antiga da comunidade, que há tempos atrás realizou um abaixo assinado e reuniu quase 8 mil assinaturas.”

Entre os objetivos da estruturação do parque estão a conservação da natureza, estímulo ao desenvolvimento da educação ambiental e das atividades físicas e de recreação e lazer, além do incentivo à adoção de hábitos saudáveis. Apesar da área já ser utilizada para diversas atividades, há um projeto arquitetônico para ser implantado no local.

Para Aridney Barcellos, morador da Octogonal, os benefícios proporcionados pela estruturação do parque serão duradouros. "A aprovação da lei gerou uma grande ansiedade na nossa comunidade. Essa iniciativa do parque foi aceita por quase todos, nós dentro a octogonal verificamos a saturação do meio ambiente na região, devido ao grande tráfego nos horários de pico. A criação do parque, e sua futura ampliação, além de preservar e equilibrar o meio ambiente proporcionará a melhoria da qualidade de vida para a atual e para futuras gerações.”

A administradora do Sudoeste e da Octogonal, Walkiria de Freitas reforçou que a iniciativa era um desejo carregado pelos moradores há muito tempo e que traz impactos positivos na saúde dos habitantes. “Eu sei que essa demanda da comunidade existe há um tempo e essa oportunidade que estamos tendo agora é fundamental. A ideia é trabalhar com a qualidade de vida para que todos ganhem.”

Confira a audiência completa no canal do YouTube da TV Câmara Distrital.

Fonte: Câmara Legislativa Do DF

 Hoje (26), o secretário de cidades, Valmir Lemos, esteve na Administração Regional do Sudoeste/Octogonal para alinhamento das demandas de 2022 na Região Administrativa.

Na oportunidade, o secretário também reforçou a importância da nova ferramenta de registro de solicitações – Administração Regional 24 horas – uma nova forma que o cidadão tem para formalizar as demandas a qualquer dia e horário por meio do Portal de Serviços do Governo do Distrito Federal.

Agora, o cidadão conta com mais canais de registro de solicitações:

Telefone 162
www.ouv.df.gov.br

 Portal de Serviços do GDF – Administração Regional 24 horas
 

Os primeiros dias de ação do GDF Presente – Cidade Sempre Limpa resultaram em quase três mil metros cúbicos de lixo verde e inservíveis retirados das ruas do Distrito Federal. Para efeito de comparação, o número corresponde a mais de uma piscina olímpica – de 50 m de comprimento – cheia com todo esse material recolhido, o que demonstra o grande volume de trabalho feito por dezenas de profissionais e máquinas diariamente.

O Cidade Sempre Limpa estará presente em todas as cidades do Distrito Federal, mas nesses primeiros dias concentrou esforços nas asas Sul e Norte, na Epig, na Epia e no Sudoeste. Por dia, participaram de dez a 35 profissionais e de 35 a 50 máquinas, número que vai aumentar no decorrer desta semana com a ampliação do programa para outras cidades.

 

Na Asa Norte, os trabalhos ocorreram nas avenidas L1 e L2, nos eixos L e W, na Via W1, nas quadras 100, 200, 300, 400 e 700. Já na Asa Sul, os profissionais estiveram nas avenidas L1 e L2, nos eixos L e W e na Via W1. No Sudoeste, o GDF Presente – Cidade Sempre Limpa passou pelas 1ª, 2ª e 3ª avenidas, renovando a cidade como muito esmero.

Para o secretário de Governo, José Humberto Pires, os números mostram que a ação vai deixar o DF de cara nova nos próximos três meses, período em que esta ação específica estará rodando as ruas. “É uma pequena amostra do que vai ser a grande ação do Cidade Sempre Limpa. Aproveitamos esses dias, entre feriado e fim de semana, para fazer o trabalho de recolhimento de lixo verde, que nos preocupava. Estamos focando inicialmente este trabalho, mas, a partir de segunda-feira, os serviços começam em todas as cidades e áreas que estão no cronograma”, afirma.

O grande trabalho a que o secretário se refere é feito com equipamentos de pequeno, médio e grande portes, de caminhões a tratores, pás mecânicas a rolos compactadores. Para fazê-los funcionar, dezenas de profissionais estão envolvidos diariamente nas ações pelas ruas.

Sobre o Cidade Sempre Limpa

 

O programa Cidade Sempre Limpa faz parte do GDF Presente e conta com a força da integração do governo para atuar em todas as cidades do DF por três meses, com 620 equipamentos à disposição e dez órgãos envolvidos.

O objetivo é deixar o DF bem-cuidado em cada detalhe, com asfaltamento, poda de árvores, recuperação de calçadas e meios-fios, sinalização vertical e horizontal, instalação e reposição de lâmpadas e combate à dengue, entre outros serviços.

A atual gestão sempre esteve preocupada em cuidar da zeladoria das cidades. E também de aprimorar esses serviços. O GDF Presente nasceu para ser uma fórmula perene do SOS DF, projeto executado no primeiro semestre da atual gestão. E, agora, o Cidade Sempre Limpa chega com a experiência acumulada ao longo desses anos e a sinergia entre os órgãos de governo para aprimorar o trabalho do GDF Presente.

Fonte: Agência Brasília

Revitalização de calçada na 103!

A Administração Regional do Sudoeste/Octogonal concluiu a revitalização da calçada entre a CLSW e a SQSW 103. O trecho soma ao todo cerca de 14 metros.

Agora, os pedestres podem transitar com mais segurança pelo local que é uma passagem bem movimentada entre a quadra residencial e o comércio.

Tem alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouv.df.gov.br ou ligue para 162.

Para mais informações, entre em contato diretamente com a Administração Regional do Sudoeste/Octogonal pelo telefone 3550-7026. 

 

 

 

 

Essa foi uma semana repleta de ações e serviços voltados à melhoria da Região Administrativa. Confira o que foi realizado:

 

  • Finalização das rampas de acessibilidade na quadra 8 do SIG, próximo à Escola Canadense;
  • Construção de recuo para contêineres na CCSW 6;
  • Serviço de reparos na ciclovia do Parque Bosque do Sudoeste e capina de gramado;
  • Construção de rampa de acessibilidade e reparos de calçadas na quadra 4 do SIG, virado pra EPIG;
  • Reuniões no Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e Novacap;
  • Manutenção de bocas de bueiro na quadra 6 do SIG;
  • Foram recolhidos 6 caminhões de lixo verde na região;
  • Poda de árvores entre a SQSW 306 e Octogonal 1;
  • Tapa buraco;

Caso tenha alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouvidoria.df.gov.br ou ligue para 162 e formalize suas questões.

Agora ficou mais fácil registrar sua demanda à Administração. Baixe agora o aplicativo e-GDF, disponível para Android e iOS, e faça sua solicitação.

Saiba como, clicando aqui. Acompanhe a Administração nas redes sociais: www.linktr.ee/admsudoesteoctogonal

Da reconstrução do viaduto do Eixão à construção do viaduto do Sudoeste, da reforma da W3 Sul e das tesourinhas à reabertura da Torre de TV, Brasília entrou num eixo de crescimento e desenvolvimento com investimentos de mais de meio bilhão de reais. Neste aniversário de 62 anos da capital, a Agência Brasília listou 62 obras feitas pela atual gestão que demonstram o carinho com a cidade.

“Brasília passou muitos anos no esquecimento. O que nós temos nos empenhado é em devolver essa cidade para a população, trazendo obras como a da W3 Sul, do Setor de Rádio e TV Sul, os viadutos, a reforma das tesourinhas e também na parte cultural, com o MAB (Museu de Arte de Brasília) e a Concha Acústica. Não se recupera uma década de abandono em poucos anos, mas trabalhamos para que Brasília cresça e receba o carinho que ela e a sua população merecem”, afirma o governador Ibaneis Rocha.

 

O total investido nas 62 obras soma os recursos aplicados pelo Governo do Distrito Federal (GDF) e da iniciativa privada, incluindo as ações feitas por meio do programa Adote uma Praça.

Na área da infraestrutura e da mobilidade, por exemplo, o GDF reconstruiu o viaduto que desabou no Eixão, trazendo novos tempos para a capital. Reformou a Galeria dos Estados, as tesourinhas, os viadutos da N2, entregou duas estações de metrô – uma na 106 Sul e outra na 110 Sul -, entregou a Avenida W9, no Noroeste, e reformou toda a pavimentação da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig). A reforma da W3 Sul também marca a virada e a transformação de Brasília.

A cultura também ganhou fôlego após anos de abandono. O MAB foi devolvido à população. O Cine Brasília e a Concha Acústica foram reformados, assim como o Museu e a Biblioteca Nacional, o Memorial dos Povos Indígenas e o Espaço Oscar Niemeyer.

 

Saúde

Na saúde, embora o DF tenha concentrado as ações em outras regiões administrativas, Brasília também recebeu atenção. Inaugurou uma Clínica da Mulher, na Asa Sul, um posto-base do Samu, na Asa Norte, e entregou o Núcleo de Medicina Nuclear do Hospital de Base (Pet-CT), aguardado há anos. A cereja do bolo está em construção: o Hospital Oncológico, onde já foram feitos o canteiro de obras, ligações provisórias, terraplanagem e supressão vegetal.

 

Turismo, esporte e lazer

O turismo, o esporte e o lazer também atingiram outro patamar. Brasília passou a receber eventos e um cuidado maior com a concessão da ArenaPlex, formada pelo Estádio Mané Garrincha, o ginásio Nilson Nelson e Complexo Aquático Cláudio Coutinho.

Quadras do Parque da Cidade foram reformadas, assim como o Parque Burle Marx, no Noroeste, passou a receber infraestrutura. A Praça do Povo, no Setor Comercial Sul, se tornou um ambiente propício para a prática de skate, e muitos parquinhos, quadras esportivas e outros equipamentos públicos foram reformados pelo programa RenovaDF.

A Torre de TV foi reaberta, trazendo vida novamente a um dos principais cartões-postais da cidade.

 

Mais obras

Colégios emblemáticos, como o Caseb e o Centro de Ensino Fundamental (CEF) 01 da Vila Planalto, foram reformados, sendo que o último foi devolvido após uma espera de 30 anos. O Colégio Militar Tiradentes ganhou uma nova sede, mais ampla e com mais estrutura.

Por fim, na segurança pública, o GDF reformou a Delegacia da Mulher, na 204/205 Sul, e também a Divisão de Operações Aéreas, localizada no Setor de Garagens Oficiais Norte.

Muitas outras obras foram e estão sendo feitas em Brasília, mas as listadas acima mostram o comprometimento do governo em deixar Brasília como ela merece e com um futuro promissor por muitos anos.

Fonte: Agência Brasília

Com 17 equipamentos culturais interligados por um leque simultâneo de atividades artísticas, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) celebra os 62 anos de Brasília, após dois anos de interrupção das comemorações presenciais por conta da covid-19.

Batizado de Sorria, Brasília, o projeto comemorativo envolve amplo calendário de ações entre os dias 19 e 24 de abril. Serão realizados de shows a mostras de cinema; de exposições a feiras de economia criativa; de espetáculos populares a apresentações de orquestras, como a Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS).

“Com os museus e centros culturais de portas abertas com entrada franca, o GDF celebra democraticamente nosso conjunto de patrimônios culturais preservados e em pleno funcionamento”, aponta o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues. Confira o vídeo de apresentação da programação de aniversário dos 62 anos de Brasília:As atrações ocupam as regiões administrativas do Plano Piloto, Ceilândia, Samambaia, Núcleo Bandeirante, Gama e Planaltina, territórios onde ficam os equipamentos culturais do Governo do Distrito Federal (GDF). A OSTNCS, por exemplo, vai circular entre abril e maio com o projeto Clássicos nas Cidades, que estará nos Complexos Culturais de Samambaia, Planaltina e Casa do Cantador, em Ceilândia.

“Essa volta às comemorações presenciais é um apontamento de esperança para que a sociedade restabeleça o convívio seguro com as celebrações públicas. Optamos por modelo mais intimista, com a maioria das atividades dentro dos equipamentos culturais e um convívio externo sem grandes aglomerações”, destaca o secretário.

Com investimento de cerca de R$ 700 mil, as atividades propõem a quebra da lógica de uma festividade só com o foco no entretenimento e exaltam a preocupação do GDF com a memória cultural por meio de exposições que colocam em dinâmica aspectos históricos. Exemplos disso são a reabertura da mostra “Poeira, Lona e Concreto”, totalmente restaurada e higienizada, que retrata os primeiros tempos da construção da cidade, no Museu Vivo da Memória Candanga, e desenhos inéditos de Oscar Niemeyer, no espaço homônimo, além da valorização da história da Via Sacra de Planaltina no Complexo Cultural da região administrativa.

 

Outro destaque é a ocupação externa do Eixo Cultural Ibero-americano, antigo espaço Funarte de Brasília, que terá uma programação de 21 a 24 de abril voltada ao encontro das famílias e de amigos em torno do seu gramado e galerias com piquenique, Festival de Orquestras Populares, Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, shows e desenhaço. Essa programação reforça o ano Brasília Capital Ibero-americana das Culturas, título mundial outorgado em 2022 à cidade.

As ações também são intensas na Concha Acústica, com shows e mostra de cinema, no Museu de Arte de Brasília (MAB), e no Memorial dos Povos Indígenas, com festividade no Dia do Índio, em 19 de abril. O Cine Brasília segue a programação especial e aberta ao público com seleção de filmes emblemáticos e espetáculo comemorativo da Cia. de Comédia Os Melhores do Mundo.

Editais

O primeiro bloco de editais do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) vai garantir R$ 36 milhões para, ao menos, 300 projetos de 22 linguagens artísticas. Traz como ênfase o segmento Meu Primeiro FAC para agentes não contemplados anteriormente e entidades carnavalescas.

O edital será publicado em conjunto com dois chamamentos públicos para ações em arte urbana. O primeiro certame é para pintar as 28 paradas da W3 Norte, com cota para equidade de gênero e artista com deficiência. Serão selecionados 28 artistas com cachê de R$ 3 mil.

O outro chamamento é para selecionar coletivo para intervenção artística no muro principal do Complexo Cultural Samambaia. Juntos, têm aporte de quase R$ 100 mil.

 

Via Sacra retomada

Às vésperas da semana do aniversário de Brasília, no dia 15, às 15h, a Via Sacra ao Vivo de Planaltina volta a ocupar o Morro da Capelinha com a encenação dos julgamentos e crucificação de Jesus Cristo. O fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa na ordem de R$ 800 mil garante o evento que completa 50 anos em 2023.

A encenação da Paixão de Cristo no Morro da Capelinha ocorre em formato híbrido, com transmissão ao vivo pelo YouTube do Grupo Via Sacra. No local, haverá um telão LED de 10 por 6 metros, que vai passar a teatralização do Domingo de Ramos e da Santa Ceia, a partir das 13h. A expectativa da organização é receber 100 mil pessoas ao longo do dia, além de cinco mil acompanhando o espetáculo de forma remota.

São 15 estações de cena e o momento mais esperado é o da ressureição, ocasião em que, por meio de efeitos especiais, o ator que representa Cristo parece flutuar no ar. A organização reúne 1,4 mil participantes entre elenco principal e figurantes voluntários. Fechando o espetáculo, um show pirotécnico ao som do Aleluia, de Handel.

“Será um momento de exaltação à fé e de renovar esperança na volta à normalidade. Nossas tradições religiosas e culturais permaneceram inabaláveis e agora voltam com toda a energia, criando um clima de grande expectativa no segmento da economia criativa”, enfatiza Rodrigues.

Confira a programação:

SORRIA, BRASÍLIA

PLANO PILOTO

BIBLIOTECA NACIONAL DE BRASÍLIA – Mostra “Poema em Cartaz”, 19/4, às 11h; contação de histórias do espaço infantil e inauguração de grafite “Livro da Rua”, no dia 23/4, às 10h.

CINE BRASÍLIA – Maratona de seis filmes emblemáticos (em curadoria) em sessões gratuitas no dia 22/4 em comemoração aos 62 anos do equipamento, nas sessões de 10h, 12h, 14h, 16h, 18h e 20h. No dia 21/4, tem espetáculo comemorativo da Cia. de Comédia Os Melhores do Mundo.

CONCHA ACÚSTICA – Atividades diversas com exibição de filmes diversos. Shows, exposição digital de fotografias, entre os dias 21 e 24 de abril.

EIXO CULTURAL IBERO-AMERICANO – Atividades artísticas diversas entre 21 e 24 de abril, com apresentação da OSTNCS (21/4, às 20h); Festival de Orquestras Populares (22 a 24/4, das 18h às 22h), com ações lúdicas no gramado como desenhaço, piquenique cultural e atrações infantis.

ESPAÇO CULTURAL RENATO RUSSO – Reabertura da Gibiteca do Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul, que será batizada de TT Catalão, 21/4, às 14h.

ESPAÇO LÚCIO COSTA – Exposição permanente “Plano Piloto de Brasília”, projetado pelo urbanista Lúcio Costa. Como uma verdadeira viagem ao tempo, o visitante tem acesso a fotos e informações históricas, além de uma grande maquete da capital federal.

ESPAÇO OSCAR NIEMEYER – “O Mestre e o Aprendiz”. Exposição de objetos e documentos pertencentes a Gervásio de Oliveira, que trabalhou como estagiário para Oscar Niemeyer no planejamento e construção de Brasília. Abertura 22/4, às 17h .

MEMORIAL DOS POVOS INDÍGENAS – Início dia 19/04, às 10h. com festividade em comemoração ao Dia do Índio, com canto da etnia tupinambá chamado “Oração para a Lua”, com a cantora Nívia Tupinambá, seguido por workshop de pintura corporal indígena. Exposição “Artes e Cultura Indígenas” e feira étnica na área externa com shows. Atividades seguem até 24/4.

MUSEU DE ARTE DE BRASÍLIA (MAB) – O Museu que comemora um ano de reabertura terá ciclo de feiras criativas no hall com ênfase em moda, gastronomia. Será lançada a versão virtual do livro do MAB “Arte e Design em Brasília: 1950 a 2022” no site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, no dia 21/4, quando um MAB comemora um ano de reabertura.

MUSEU NACIONAL DA REPÚBLICA – Expositivo Principal: “Xingu 57. Fotografias de Domiciano Pereira de Souza Dias”. Mezanino, ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais’, de Raquel Nava.

MUSEU DA CIDADE – Exposição permanente, com frases talhadas no mármore branco que contam a história de interiorização da capital federal, desde o século 18 até sua inauguração.

PANTEÃO DA PÁTRIA – “Brasília Museu Aberto”. Exposição digital realizada por meio de projeção mapeada de obras de ícones artísticos da história de Brasília na fachada externa do Panteão da Pátria. Dia: 21/4, das 19h às 22h. Há ainda exposição sobre a vida e trajetória política de Tancredo Neves, além do “Livro de Aço dos Heróis da Pátria”, o “Mural da Liberdade de Athos Bulcão”. O público ainda vai conferir o painel “Inconfidência Mineira”, de João Câmara, e o vitral de Marianne Peretti.

CEILÂNDIA

CASA DO CANTADOR – Festival “Circularte” festival de música brasileira, 23/4, às 19h.

NÚCLEO BANDEIRANTE

MUSEU VIVO DA MEMÓRIA CANDANGA – Reabertura da exposição “Poeira Lona e Concreto” (20/4, às 15h) , após restauro e higienização. Com acervo composto pelas edificações históricas, peças, objetos e fotos da época da construção de Brasília, a exposição permanente narra a história da cidade, desde os projetos até a inauguração em 1960.

GAMA

MUSEU DO CATETINHO – Reabertura, no dia 21/4, às 9h, da primeira residência oficial do presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, durante a construção do novo Distrito Federal. O espaço ficou fechado desde o início da pandemia, em março de 2020, e agora reabre com manutenção de pintura externa e interna, limpeza do forro e troca de peças de madeira da estrutura, eliminação de orifícios no telhado, forro e paredes, revitalização do piso de pilotis, limpeza dos pisos do banheiro, num aporte de R$ 400 mil. A abertura de exposição memorial terá quarteto da OSTNCS. Em seguida, segue a cerimônia de entrega da Medalha de Mérito Cultural “Seu Teodoro”, com apresentação do grupo homônimo.

PLANALTINA

COMPLEXO CULTURAL DE PLANALTINA – Exposição “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”. Mostra fotográfica, figurinos, cartazes e outras peças do acervo. Abertura: dia 20/4, às 20h.

SAMAMBAIA

COMPLEXO CULTURAL SAMAMBAIA – Ação de grafite na fachada (com lançamento do edital de chamamento público dia 20/4) e apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro dentro do projeto “Clássicos nas Cidades” 19/4, às 20h.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

19/4 – TERÇA-FEIRA

Museu da Cidade

9h às 18h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 18h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 18h – Exposição permanente.

Memorial dos Povos Indígenas

10h – Festividade do Dia do índio com canto da etnia tupinambá “Oração para a Lua”, com a cantora Nívia Tupinambá. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas” Indígenas. Feira étnica.

Complexo Cultural Samambaia

20h – Concertos nas Cidades com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro no projeto “Cultura nas Cidades”.

20/4 – QUARTA-FEIRA

Museu da Cidade

9h às 18h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 18h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 18h – Exposição permanente.

Biblioteca Nacional de Brasília

9h às 20h – Poema em Cartaz.

Memorial dos Povos Indígenas

10h – Exposição “Artes para Descobrir as Culturas”. Feira étnica.

Museu Vivo da Memória Candanga

15h – Reabertura da exposição “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Museu de Arte da Brasília

9h – Feiras étnicas, exposições.

Complexo Cultura de Planaltina

20h – Abertura da “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

21/4 – QUINTA-FEIRA

Museu do Catetinho

9h – Reabertura do espaço cultural revitalizado e cerimônia de entrega da Medalha “Seu Teodoro”.

Eixo Cultural Ibero-americano

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Desenhaço e contação de histórias.

12h às 16h – Sambão no gramado.

14h às 20h – Feira criativa.

18h às 20h – OSTNCS.

20h – Ballet dança by Juan Carlos Vega.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 14h – Poema em Cartaz.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

19h às 22h- “Brasília Museu Aberto”.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Nubia Batista, Eliaquim Camilo, Natasha Barros e Gilberto Cruz. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas”.

Espaço Cultural Renato Russo

14h – Reabertura da Gibiteca TT Catalão.

Concha Acústica

17h – Digão (Raimundos).

Cine Brasília

20h – Especial Os Melhores do Mundo.

22/4 – SEXTA-FEIRA

Eixo Cultural

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Palhaçaria.

14h às 20h – Feira criativa.

18h às 20h – Orquestra Popular do Recife.

20h às 22h – Orquestra Popular Quadrafônica.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 20h – Poema em Cartaz.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições e feiras.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Mirim Ju Yan Guarani, Ian Wapichana, Gilberto Cruz e Oziel João Filho. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas Indígenas”.

Cine Brasília

10h às 22h – Sessões de mostra de filmes emblemáticos.

Espaço Oscar Niemeyer

17h – Abertura “O Mestre e o Aprendiz”.

Concha Acústica

18h – “As Duas Faces”.

20h – “Protegendo o Inimigo”.

23/4 – SÁBADO

Eixo Cultural Ibero-americano

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Show de mágica.

14h às 20h – Feira criativa.

18h às 20h – Orquestra Popular Salve Glória.

20h às 22h – Orquestra Popular Rockfônica.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições e feiras.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Kumuu Dan Wapichana, Heloísa Cruz de Araújo, Nívia Costa e Kessia Daline. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas Indígenas.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 14h – Poema em Cartaz.

11h – Contação de histórias no Espaço Infantil, inauguração do grafite “Livro da Rua”.

Concha Acústica

18h – “Trolls”

20h – “Saída de Mestre”.

24/4 – DOMINGO

Eixo Cultural Ibero-americano

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Percussão para crianças.

14h às 20h – Feira criativa.

16h às 18h – Chorinho no gramado

18h às 20h – Orquestra Alada Trovão da Mata.

20h às 22h – Orquestra Marefreboi.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 14h – Poema em Cartaz.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições e feiras.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Waurá, Ybá Sanenawa, Fernando Gomes e Javier. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas Indígenas”.

Concha Acústica

18h – “Como Treinar o Dragão”.

20h – “Cinema Paradiso”.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec)

Fonte: Agência Brasília

Após cinco meses de funcionamento, as bicicletas compartilhadas já são notadas facilmente pelas ruas de Brasília. Agora na cor rosa, 355 unidades estão distribuídas por 41 estações na região central da capital. E, segundo a empresa Tembici, operadora do sistema, as viagens das “rosinhas” aumentaram 60% se comparadas a outubro de 2021, quando o programa foi implantado.

Outro dado mostra que o brasiliense aderiu a esta nova opção de mobilidade: a operadora registrou um aumento de quatro vezes no número de “bicicleteiros”, observando-se o primeiro trimestre deste ano em relação ao último de 2021.

Novas, práticas e acessadas por meio de um aplicativo de celular, as bikes, de fato, têm uma boa rotatividade na maioria das estações. Em especial no Parque da Cidade, em frente ao Setor de Rádio e TV, e próximo à Funarte, no Eixo Monumental – os pontos mais disputados.

As bicicletas disponíveis na estação do parque, segundo o levantamento da empresa, são responsáveis por 20% dos passeios de todo o sistema. É o caso da servidora pública Sandra Gusmão, 49 anos, que bate o ponto no local. Aluga a bike duas vezes por semana após o trabalho. Aos sábados ou domingos, traz os dois filhos, e mais de uma vez eles já encontraram o ponto com capacidade para 26 bicicletas totalmente vazio.

 

“Uso desde o início, quando elas chegaram no fim de 2021. As bikes são superconfortáveis, é fácil de retirá-las e tudo se faz via aplicativo. Gosto de andar no próprio parque”, conta Sandra. “Moro no Guará e, se tivesse uma estação por lá, pensaria seriamente em vir pedalando para o meu trabalho aqui no Plano Piloto”, admite. Ela tem uma “magrela” em casa, mas hoje prefere usar as rosinhas.

O técnico-administrativo João Paulo Rodrigues, 33 anos, trabalha no Setor de Autarquias Sul. O hobby dele é pedalar após o expediente para esfriar a cabeça. O rapaz circula pela área verde das entrequadras da Asa Sul. “Não tenho nada de ruim para falar. Venho quase todos os dias e gosto muito. Depois, pego o ônibus e sigo para minha casa”, revela o morador de Planaltina.

As 41 estações estão situadas nas asas Sul, Norte e em outros pontos da região central, como o Eixo Monumental, na altura do Sudoeste, no Parque da Cidade e outros. Em Águas Claras, as bicicletas são elétricas: há uma parceria da operadora com um aplicativo de entrega de refeições e o aluguel é exclusivo para usuários da atividade.

A ideia de levar o sistema compartilhado para outras regiões administrativas (RAs) está em estudo pela Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob). Segundo o secretário Valter Casimiro, o objetivo é colocar subsídio do governo para expandir para as demais cidades. O Plano Piloto, segundo ele, foi a RA onde os gestores mais se mostraram interessados em implantar o projeto quando houve um chamamento público à época.

“As bikes compartilhadas eram muito aguardadas na cidade. Os brasilienses abraçaram o projeto desde o início. Conforme o aumento da demanda e a maturidade do programa, podemos expandir a outros lotes”, pontua a gerente regional da Tembici, Marcella Bordallo. O contrato prevê um total de 500 bicicletas e 70 estações que estão sendo criadas aos poucos.

Ciclovias à vontade

Se tem muitas bicicletas para compartilhar, ciclovia é o que não falta no Distrito Federal. Nas asas Sul e Norte, de acordo com números da Semob, são 136 km de ciclovias construídas. Já no Sudoeste, são mais 10 km de pistas para os ciclistas transitarem com segurança.

“Brasília tem uma extensão enorme de ciclovias e conseguimos atender bem a mobilidade da população do Plano Piloto. Naturalmente, precisamos fazer algumas interligações entre elas, mas isso já está previsto”, adianta Casimiro. Com uma malha cicloviária atual de 633,49 km, a capital federal  só fica atrás de São Paulo (699 km).

Como alugar:

Para mais informações sobre as bicicletas compartilhadas e estações, acesse https://brasilia.tembici.com.br/ ou baixe o aplicativo Tembici no celular.

Fonte: Agência Brasília

 

O fim do período de chuvas e a fase de estiagem que segue até outubro de 2022 dará mais celeridade à obra de construção do viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig). A intervenção viária que integra o Corredor Eixo Oeste já está com 20% de execução e vai mudar a rotina dos cerca de 25 mil motoristas que passam pela rodovia todos os dias, entre o Eixo Monumental e a Estrada Parque Taguatinga (EPTG).

 

No final de março, os construtores concluíram a etapa de fundação das 24 estacas. Elas darão sustentação a todo o carregamento do viaduto por onde passará a trincheira entre o Parque da Cidade D. Sarah Kubitschek e o Sudoeste. A expectativa dos engenheiros envolvidos na obra é de que os próximos meses de tempo firme e sem temporais sejam de execuções ainda mais rápidas.

“Fizemos as fundações, estamos na fase de escavações e com dois terços da rede de águas pluviais concluídos. Depois de um início de ano de chuvas intensas e constantes, com poucos intervalos secos, já conseguimos acelerar para deixar tudo pronto em setembro”, avisa o secretário de Obras do Distrito Federal, Luciano Carvalho de Oliveira.

No início deste mês já foi feita a concretagem de seis das 28 vigas logarítmicas. Com 40 toneladas cada uma, elas serão responsáveis por assentar as lajes do viaduto – que é por onde passarão os veículos leves e pesados. Sem chuvas, a projeção é que quatro delas sejam feitas a cada semana.

Além disso, está em fase de conclusão a recolocação da rede de energia elétrica da Neoenergia. Os construtores da obra só aguardam a retirada do cabeamento antigo das operadoras de telefonia e internet para retirar os postes que ainda ocupam o trecho da via onde está o canteiro de obras.

Orçada em R$ 24,6 milhões, a construção do viaduto da Epig vai consumir 300 toneladas de ferragens e 5 mil m³ de concreto – o equivalente a 620 caminhões cheios do material. Os recursos são de financiamento da Caixa Econômica Federal.

Passa rápido

A nova intervenção urbana acabará com os gargalos e o tempo de espera no trânsito de quem passa pela via, principalmente nos semáforos próximos ao cruzamento do Sudoeste com o Parque da Cidade. Em horários de pico, a espera chega a quase dois minutos, provocando congestionamentos. “Essas retenções deixarão de existir e o tráfego fluirá, sem paradas”, explica o engenheiro civil Carlos Magno, executor de contrato da Secretaria de Obras.

Com geração de 80 empregos diretos, a obra inclui ainda a construção de uma rede de drenagem e a expansão da lagoa de contenção do Parque da Cidade – que passou de 100 mil m³ para 200 mil m³ de água. Dos 2,7 km da rede, 65% já foi feito.Síndico do bloco E na quadra 303 do Sudoeste, o engenheiro Marcelo Galimberti, 58 anos, está ansioso pela conclusão da obra, prevista para setembro de 2022. Ele lembra que já enfrentou muitos problemas para sair do bairro e acessar a Asa Sul no início da manhã e na hora do almoço. “A execução desse projeto vem em excelente tempo e vai facilitar a vida de quem passa por aqui, principalmente de quem vem e segue até Taguatinga”, prevê.

Fonte: Agência Brasília

 3ª Edição da Feirarte do Sudoeste!

No último sábado (09), foi realizada a terceira edição da Feirarte do Sudoeste. Evento que reuniu mais de 80 expositores de artesanato, trabalhos manuais, gastronomia, além de apresentações culturais e musicais.

As Feiras Especiais de Artes – Feirartes, no Distrito Federal, são instituídas e regulamentadas pela Lei 6.423/19, que garante os direitos e as obrigações dos artesãos, trabalhadores manuais e artistas plásticos que nelas trabalham.

O evento contou ainda com apresentações da roda de capoeira da Associação Capoeira Ave Branca, parada da carreata Forróclore Especial de Páscoa com o Grupo Pellinsky e a Quadrilha Sanfona Lascada, voz e violão com Samuel Lila e a presença do deputado distrital Reginaldo Sardinha.

Para ter acesso a mais fotos, acesse o link no perfil.

 

 

 

Nesta semana, a Administração Regional do Sudoeste/Octogonal com o apoio de diversos órgãos do GDF realizaram serviços de manutenção por toda a região. Confira abaixo os detalhes:

• Construção de acessibilidade na CLSW 105, em frente ao bloco B;

• Lançamento do projeto Administração Regional Digital 24 Horas;

• Solenidade de troca de Comando do 7º Batalhão da PMDF e visita do novo Comandante, Major Jasiel Tavares Fernandes;

• Detran realizou sinalização horizontal no estacionamento da QRSW 1, A1;

• Continuidade no serviço de recapeamento de estacionamento do bloco G da SQSW 300;

• Conserto de ciclovia e construção de passeios públicos no Parque Bosque do Sudoeste;

• Revitalização de trechos de calçadas, pintura de piso, mesa e bancos, e limpeza na quadra de areia da SQSW 303;



• Operação Tapa-Buraco nas quadras 302, 304

• Construção de rampas de acessibilidade na quadra 8 do SIG, ao lado da Escola Canadense;

• Poda de árvores na Octogonal 1;

 

• Foram recolhidos 14 caminhões de lixo verde na região.

 

Caso tenha alguma solicitação, denúncia, reclamação ou mesmo elogios, acesse o site www.ouvidoria.df.gov.br ou ligue para 162 e formalize suas questões.

Agora ficou mais fácil registrar sua demanda à Administração. Baixe agora o aplicativo e-GDF, disponível para Android e iOS, e faça sua solicitação. Saiba como, clicando aqui.

Acompanhe a Administração nas redes sociais: www.linktr.ee/admsudoesteoctogonal

 

 

O major Jasiel Tavares assumiu o comando do 7º Batalhão nesta terça-feira (5). A cerimônia de passagem de comando ocorreu no Auditório da Imprensa Nacional, no Setor de Indústrias Gráficas e contou com a presença de várias autoridades.

O major Jasiel pretende implementar novas modalidades de policiamento no Cruzeiro e Sudoeste e fortalecer o policiamento comunitário. “Nossa área é de baixíssima criminalidade, mas a gente não pode se descuidar por isso”, declara.

 

O objetivo do novo comando é dar continuidade ao trabalho executado pelo major Vinicius, que ficou à frente da unidade por 10 meses. Nesse período, o 7º Batalhão ampliou a presença dos policiais nas ruas.

O major Vinicius destaca como legado o reforço na segurança da região. “Aumentamos os Vizinhos Protegidos nas quadras do Sudoeste e estreitamos os laços com a comunidade”, frisa.

A solenidade marcou também a primeira passagem de comando do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Fábio Augusto, como chefe máximo da corporação. Ele esteve acompanhado do subcomandante, coronel Hércules Freitas, e do chefe do Estado-Maior, coronel Reginaldo.

Fonte:  Polícia Militar Distrito Federal

 Você sabia que o Parque Bosque do Sudoeste é um ponto de arrecadação de roupas, calçados,  brinquedos e livros?

Faça sua doação na sede do parque com itens em condições de serem utilizados. Ainda, é importante higienizar os itens e acondicioná-los em sacolas plásticas transparentes para facilitar a identificação.

📚 A biblioteca comunitária do parque aceita todos os tipos de livros, exceto, didáticos.

Lembrando que doação não é descarte!

💟 Faça a diferença e doe!

 

Parque Bosque do Sudoeste

Funcionamento diário

De 6h às 22h

Sede do parque: 8h às 18

Endereço: Entre a 2ª, 3ª e 4ª avenidas do Sudoeste, próximo à lateral do INMET

 

 

A campanha nacional de vacinação contra gripe e sarampo foi oficialmente lançada, na tarde desta segunda-feira (4), na Unidade Básica de Saúde (UBS) 2 da Asa Norte. No evento, o secretário de Saúde do Distrito Federal, general Manoel Pafiadache, reforçou a meta de imunizar 90% do público-alvo contra a gripe, que é causada pelo vírus influenza.

No ano passado, devido à pandemia, esse índice foi de 67,4%. No entanto, o secretário declarou que este ano, para atingir o objetivo, caso seja necessário, a pasta promoverá imunização fora das unidades de saúde do DF. Veja os locais de vacinação contra gripe e sarampo.

“Se precisar de ações fora dos nossos hospitais e UBSs, em rodoviárias, aeroportos e afins, vamos fazer”, assegurou o gestor. Ele ressaltou ainda que a pasta continuará seguindo o Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, bem como as notas técnicas do órgão. “Tudo que fazemos é alinhado com o ministério.”

Também presente ao lançamento, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, exaltou as campanhas de imunização em geral, afirmando que vacinar a população é um dever do Estado. “Já pagamos um preço muito alto no passado, quando pessoas morreram por doenças absolutamente evitáveis por campanhas de vacinação eficientes”, citou.

O ministro falou ainda sobre o sarampo, uma das doenças combatidas na atual campanha. “Quando eu era criança, tive sarampo. Como médico, acompanhei casos. E hoje talvez os jovens médicos pediatras não tenham visto sequer um caso de sarampo graças às nossas campanhas de vacinação.”

Após a fala, Queiroga vacinou cinco cidadãos do DF contra a gripe. Também participaram do lançamento da campanha a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS) no Brasil, Socorro Gross; o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do ministério, Hélio Angotti Neto; o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros; e o secretário executivo do ministério, Rodrigo Cruz.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Fonte: Agência Brasília

Elo importante entre a população e o Governo do Distrito Federal (GDF), as administrações regionais agora oferecem atendimento 24 horas por dia pelo portal de serviços do DF. O projeto, que é um dos compromissos assumidos por Ibaneis Rocha em 2018, foi lançado nesta terça-feira (5) em cerimônia no Palácio do Buriti.

 

Mais de 30 serviços passam a ser disponibilizados pela população a qualquer hora do dia. Desde pintura de faixa de pedestre à instalação de paradas de ônibus ou de Pontos de Encontro Comunitários (PECs), até ações para combate à dengue e a manutenção de estradas.

Futuramente, também será possível solicitar licenciamento para quiosques e trailers, autorização para ambulantes, cópia de plantas de edificações existentes e desarquivamento de processos. O GDF pretende incluir todos os serviços de interesse da população prestados pelas administrações no portal e, neste primeiro momento, trabalha para aprimorar o atendimento.

Para o governador Ibaneis Rocha, o programa aproxima o governo da população para que ela possa indicar o que precisa ser feito, corrigido e elogiado nas cidades em qualquer dia, horário e local.

“Mesmo com o trabalho das administrações regionais não dá para ver tudo. A gente tem que dar facilidade para as pessoas, inclusive para reclamar. Você tem que dar espaço para a reclamação e buscar a solução. Esse é um programa de coragem, porque você tem acesso à reclamação. A pessoa vai poder indicar onde está o buraco, sair da quadra de esportes e mostrar onde precisa arrumar. Dentro do nosso governo fizemos isso em todas as áreas, é o espírito de acolhimento às famílias”, afirma o chefe do Executivo.

É importante ressaltar que o atendimento presencial será mantido nas administrações regionais, em horário normal do expediente, e as solicitações também poderão ser feitas pelo telefone 162. “É um programa que sonhei muito e encarreguei os melhores secretários que eu tenho para tocá-lo. Um programa feito de forma bastante transversal e ouvindo também os principais problemas da comunidade”, acrescenta Ibaneis Rocha.

Titular da Secretaria de Governo, que é a coordenadora do programa, José Humberto Pires de Araújo destaca que a gestão tem se preocupado em modernizar seus serviços.

“É um avanço da administração pública para que o cidadão tenha acesso aos serviços. Com a modernidade e tecnologia que temos hoje é um atraso não ter um canal em que as pessoas possam acessar os serviços na hora que desejam e precisam. O nosso governo está conectado com a modernidade, trazendo ao cidadão essa oportunidade de falar diretamente com o governo por meio desse canal”, explica.

 

Além da Segov, participam do projeto a Controladoria-Geral e a Secretaria de Economia. O tratamento e gerenciamento das solicitações serão feitos pelo sistema de ouvidorias, o OUV-DF. Para o melhor funcionamento do programa, a Escola de Governo capacitou servidores que ocupam áreas estratégicas nas administrações regionais.

“Esse é mais um projeto que une esforços de várias pastas para melhorar ainda mais os serviços prestados à população do DF”, destaca o secretário de Economia, Itamar Feitosa.

Além da comodidade de um serviço online, o Administração Regional Digital 24 Horas também permite que as solicitações sejam recebidas e tratadas pelo sistema de Ouvidoria do GDF. Logo, terão que ser respondidas dentro dos prazos legais previstos de até 20 dias corridos, conforme explica os gestores da Controladoria-Geral.

“O papel da CGDF é dar suporte aos órgãos para desempenharem o melhor trabalho possível. Hoje, a solicitação de serviços no DF alcança o segundo maior tipo de manifestações na Ouvidoria”, afirma o controlador-geral do DF, Paulo Martins.

A ouvidora-geral substituta do DF, Maria Fernanda Cortes de Oliveira, reforça que as demandas poderão ser concentradas em um único canal. “Ao invés de entrar por protocolo, carta para o gabinete do administrador, vamos centralizá-las nesse canal e trabalhar de forma digital. Todas elas vão estar registradas no sistema da Ouvidoria, que tem estrutura para monitorar as demandas e respondê-las em até 20 dias”, explica.

“Com esse serviço 24h a população vai ser mais bem atendida, estaremos mais próximos da população, uma vez que temos um horário de funcionamento e passaremos a atender com alguns serviços 24h por dia”, pontua a administradora do Riacho Fundo, Ana Lúcia Melo.

Passo a passo

Para acessar o serviço basta entrar neste link e clicar no ícone “Administração Regional Digital 24h”. Em seguida, escolha a opção “Cidadão”. Por fim, escolha um dos serviços digitais disponíveis em “Administração Regional Digital 24h” e faça o seu registro.

Fonte: Agência Brasília

A 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza terá início na segunda-feira (4). Nesta primeira etapa, devem ser vacinados idosos a partir de 60 anos e trabalhadores da saúde. A segunda etapa começa em 3 de maio e abrange os demais grupos prioritários elencados pelo Ministério da Saúde.

O público-alvo no Distrito Federal é de 1.086.547 pessoas e a meta é vacinar 90% de cada um dos grupos prioritários até 3 de junho, data prevista para o encerramento da campanha.

 

Como a campanha de vacinação contra a influenza coincidirá com a realização da vacinação contra a covid-19, a Secretaria de Saúde orienta que seja priorizada a administração da vacina de covid-19 para as crianças de 5 a 11 anos. Assim, essa faixa etária terá prioridade na segunda fase da influenza.

Nessas situações, a orientação é respeitar o intervalo mínimo de 15 dias entre as vacinas para crianças de 5 a 11 anos. Para adultos, não é mais necessário nenhum intervalo entre a vacina da covid-19 e os demais imunizantes. O DF recebeu 95.600 doses contra a influenza, 20% do total dos grupos da primeira etapa. O quantitativo restante será enviado semanalmente pelo Ministério da Saúde ao longo da campanha.

Primeira etapa – 4 de abril a 3 de junho
Idosos com 60 anos ou mais
Trabalhadores da área da saúde

Segunda etapa – 3 de maio a 3 de junho
Crianças a partir de 6 meses até 5 anos, ou seja, 4 anos, 11 meses e 29 dias
Gestantes
Puérperas
Povos indígenas
Professores do ensino básico e superior
Pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais
Pessoas com deficiência permanente
Caminhoneiros
Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso
Trabalhadores portuários
Forças de segurança e salvamento
Forças Armadas
Funcionários do sistema de privação de liberdade
População privada de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas

Cobertura vacinal

No ano passado, o DF não atingiu a meta de cobertura vacinal da campanha. Foram administradas 1.048.225 doses contra a influenza nas redes pública e privada. Desse total de doses aplicadas, 641.990 (61,3%) beneficiaram integrantes de algum dos grupos prioritários. Já o percentual de público-alvo vacinado foi de 67,4%, não atingindo a meta de 90% e sendo o menor dos últimos 10 anos.

O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, reforçou na coletiva desta quinta-feira (31) a importância de a população se sensibilizar para participar da campanha de vacinação contra a influenza. “Entendemos a situação da covid, que estava mais presente ano passado, mas agora pretendemos ter uma bela cobertura na questão da influenza, que é tão importante quanto”.

O Informe Técnico da 24ª campanha ressalta que a vacinação da população-alvo pode reduzir as sobrecargas nos sistemas de saúde e contribuir com a prevenção de possíveis novos surtos de doenças respiratórias pelo vírus da influenza.

Sintomas

O documento destaca que o período de incubação do vírus é, geralmente, de dois dias, variando entre um e quatro dias. Os sintomas costumam ser febre alta, seguida de dor muscular, na garganta e cabeça, coriza e tosse. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias.

Sintomas respiratórios como a tosse e outros tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar.

A transmissão pode ocorrer por meio do contato direto ou indireto com as secreções respiratórias, pelo toque em superfícies contaminadas com o vírus da gripe e, em seguida, na mão, nos olhos, nariz ou boca.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Fonte: Agência Brasília

O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) esteve na manhã desta sexta-feira (1º) no Sudoeste para orientar os moradores sobre a importância de recolher os dejetos dos seus animais de estimação, especialmente gatos e cachorros. A atividade de conscientização foi realizada pelas equipes de mobilização social do SLU e da empresa Valor Ambiental, contratada do SLU que atua na cidade, em parceria com a Administração Regional do Sudoeste e Octogonal.

Os mobilizadores percorreram as ruas da QRSW 1, na área conhecida como Sudoeste Econômico, e conversaram com moradores sobre como o recolhimento dos dejetos dos pets contribui para a limpeza urbana. Um deles foi Rodrigo Pasturczak, morador da região há 15 anos, que passeava com seus cãezinhos Zack e Bento e já estava com a sacolinha pronta para retirar as fezes deles da praça central.“Boa parte dos donos de pet aqui recolhe os dejetos. Muitas vezes, quem não recolhe não faz por mal, mas sim por não saber da proibição ou não entender muito bem o assunto. Essa é uma ação importante de conscientização que vai ajudar bastante a nossa comunidade”, destacou o morador.Aliados importantes para disseminar informações aos condôminos, os zeladores dos prédios também foram sensibilizados e receberam panfleto sobre o assunto. “A responsabilidade de limpar as fezes é do dono, ou seja, de quem cria o pet. Muitas vezes recolho os dejetos hoje e no dia seguinte está tudo sujo novamente. As pessoas precisam ter mais consciência para que a gente mantenha as residências e cidades limpas”, explicou o zelador do Edifício Free Way, Expedito das Neves.

 

Parceria entre órgãos

A administradora do Sudoeste e Octogonal, Walkiria Garcia, fez questão de estar presente na mobilização. Ela conversou com moradores sobre a questão dos dejetos de pets e ressaltou o valor da parceria entre administração e SLU.

“O SLU é um parceiro nosso aqui no Sudoeste. Tenho certeza que essa mobilização dará resultados e vai sensibilizar muitos moradores. Esse é um trabalho de construção, não acontece tudo de um dia para o outro. As coisas vão mudando em seu próprio ritmo. Agradeço por mais uma parceria do SLU e sei que faremos outras atividades como essa”, disse.

De acordo com a Lei Distrital nº 6202/2018, é de responsabilidade do proprietário, do responsável, do condutor ou do cuidador a remoção imediata dos dejetos ou excrementos fecais deixados pelos animais domésticos nas vias ou logradouros públicos e os danos que causem a terceiros.

Para a coordenadora de mobilização do SLU, Efigênia Lustosa, a recompensa de todo o esforço é contribuir para a mudança de comportamento da população. “A ideia é essa mesmo, fazer barulho, movimentar a comunidade. Toda essa galera está aqui, junta, para passar informação e contribuir com a limpeza urbana e o meio ambiente”.

*Com informações do Serviço de Limpeza Urbana

Fonte:Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes